Opinião: Não vamos dar trégua

Mais uma vez nossa greve teve um balanço positivo. Em todos os estados a categoria aderiu ao movimento. Estamos mobilizados e vamos continuar mobilizados para que os governos estaduais e municipais coloquem em prática...

183 0

Mais uma vez nossa greve teve um balanço positivo. Em todos os estados a categoria aderiu ao movimento. Estamos mobilizados e vamos continuar mobilizados para que os governos estaduais e municipais coloquem em prática o piso salarial nacional do magistério da forma como foi aprovado no Congresso, após meses de amplo debate.

Ainda tem professor no Brasil, como é o caso do Rio Grande do Sul, que ganha menos que o salário mínimo. A lei sancionada em julho do ano passado pelo Presidente Lula determina que o valor do piso é de R$ 950 para uma carga horária de 40 horas semanais.

Por isso, não vamos dar trégua a governadores e prefeitos que não querem assumir essa responsabilidade.

A interpretação que o Supremo Tribunal Federal deu é que até o julgamento do mérito o valor do piso poderá ser composto por gratificações e abonos. Para governadores e prefeitos manter essa política é mais vantajoso porque esses penduricalhos não são incorporados ao salário do educador.

O país precisa aprender a respeitar a vontade do povo que foi expressa no parlamento.

Por isso, enquanto a legislação não for obedecida vamos pressionar. Faremos quantas greves forem necessárias até o cumprimento da lei.

CNTE divulga balanço final da greve de advertência



No artigo

x