Piñera vence candidato de Bachelet e promete mudanças

O candidato Sebastián Piñera, da Coalición por el Cambio, de direita, venceu o segundo turno das eleições ocorridas neste domingo para a Presidência do Chile. O empresário, um dos mais ricos do país, afirmou...

130 1

O candidato Sebastián Piñera, da Coalición por el Cambio, de direita, venceu o segundo turno das eleições ocorridas neste domingo para a Presidência do Chile. O empresário, um dos mais ricos do país, afirmou no discurso de posse que promoverá uma "segunda transição" no país para torná-lo "desenvolvido" e "sem pobreza".

A primeira transição ocorreu em 1990, com a queda do regime de Augusto Pinochet e a ascensão da frente de centro-esquerda Concertación, que desde então tem vencido as eleições e governa o país. Apesar da derrota, a frente de esquerda sai do governo com uma das maiores aprovações da história: 80% em 2009.

Esta é a primeira vez em 52 anos que uma aliança de centro-direita vence as eleições no Chile. Em 1964, Eduardo Frei Montalva venceu as eleições presidenciais pelo Partido Democrata Cristão e tornou-se o último presidente de direita do país.

Apesar da vitória da Coalición, o presidente eleito Piñera terá que ceder em muitos pontos uma vez que a maioria do Congresso será dominada pela Concertación.

Eduardo Frei, candidato governista, teve 48,32% dos votos, 4% a mais que no primeiro turno – uma pequena diferença, apesar do apoio recebido por todos os candidatos derrotados no primeiro turno.

Entre um dos motivos para a derrota do canditato governista levantados pelos analistas está a fragmentação da frente de esquerda. A maior mudança prevista no governo de Piñera será na política externa, que poderá deixar de apoiar os governos de Evo Morales na Bolívia e Hugo Chávez na Venezuela e poderá passar a cooperar com os Estados Unidos.



No artigo

1 comment

  1. David Oliveira

    Outra pergunta: por que os pobres chilenos ainda acreditam que a Concertación é diferente em alguma coisa da Coalición?

Comments are closed.


x