Pnud lança portal de monitoramento de municípios no FSM

“Yes, we can!” Esssa frase foi ouvida pelo mundo todo durante a campanha presidencial dos Estados Unidos, quando OBama rodou vários locais mostrando que o país poderia mudar, melhorar, que eles podiam. Mas essa...

176 0

“Yes, we can!” Esssa frase foi ouvida pelo mundo todo durante a campanha presidencial dos Estados Unidos, quando OBama rodou vários locais mostrando que o país poderia mudar, melhorar, que eles podiam. Mas essa frase não saiu de um marketeiro político. Saiu da campanha brasileira Oito Jeitos de Mudar o Mundo, em que o mote era Nós Podemos. A campanha era da Pnud (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento), divulgando os oito objetivos de desenvolvimento do milênio, criado pela ONU para serem alcançados até 2015.

Para dar continuidade ao projeto, o Pnud, em conjunto com o movimento Nós Podemos, Paraná e o Orbis (Observatório Regional Base de Indicadores de Sustentabilidade – PA), lançou o Portal ODM em uma palestra no Fórum Social Mundial, na quinta-feira (29). Para a organização, fazê-lo no FSM significa mostrar a importância social do portal.

O site pretende auxiliar governo e população na análise da situação da sua região. Além de explicar o que é cada um dos oito objetivos, ele tem o acompanhamento municipal, que mostra como cada uma das cidades brasileiras estão. São cerca de 990 mil relatórios dinâmicos e 2,3 milhões de registros no sistema do site.

Democracia participativa é cidadania plena
Para o enviado especial da ONU, o indiano Minar Pimpler, o portal é uma ferramenta para que a população possa cobrar das instituições oficiais atitudes que corroborem com os objetivos do milênio. Para ele, o Brasil precisa ter mais participação nas decisões políticas. “Vejo pelo meu país, a Índia, onde um milhão de estudantes sairam às ruas para exigir do Primeiro Ministro e do ministro das Finanças que 6% do PIB fosse para a educação e 3%, para a saúde.” A campanha, conhecida como “Nine is mine”, conseguiu alcançar os seus objetivos, levando o governo a aumentar as verbas destinadas a cada área. “Esse exemplo meu deu a certeza de que ações como essa não são em vão, e esse portal vai ser uma ferramenta muito útil de pressão social”, completa.

Nesse sentido, o secretário de Integração Regional do Pará, André Farias, disse que também vê o portal como algo para utilização dentro dos governos municipais. “Apesar da importância de cada instância de governo, sabemos que quem está mais perto da população são as prefeituras. E eles precisam saber como está a situação do lugar onde eles governam, para poder ajudar o Brasil a alcançar essas metas”. Ele convidou a organização do site para dar uma oficina aos prefeitos do Pará, mostrando como o site funciona. “Sei que eles vão agradecer por mais uma ferramenta.”

Simplicidade e usabilidade 

Para os organizadores do site, não adianta criar mais um site que não seja realmente acessível a todos. Por isso, o Portal ODM foi criado visando ser didático. Dividido em várias partes, ele mostra, dentro dos objetivos do milênio, indicadores para que seja entendida cada parte dele. O portal também contém explicações para esses indicadores, que estão em formato de metadados, permitindo que o usuário não se perca na navegação (saindo e voltando para a página diversas vezes). Os gráficos são simples e bem elaborados, para que não haja nenhuma forma de análise duvidosa.

É possível também ver um relatório dinâmico de qualquer uma das cidades, com um perfil do local. Ele é parecido com outras iniciativas locais, como o Movimento Nossa São Paulo, Bogotá Como Vamos, Nossa Ilha Mais Bela, entre outros. A diferença é que todos os indicadores são baseados nos critério dos ODM.

Com informações de Três no Fórum.



No artigo

x