Relógios e revólveres

A profissão de barbeiro tem características interessantes. No interior, barbearia geralmente funciona como uma espécie de centro social, é ponto de reunião de homens que vão contar ou ouvir as novidades. Barbeiro passa o...

179 0

A profissão de barbeiro tem características interessantes. No interior, barbearia geralmente funciona como uma espécie de centro social, é ponto de reunião de homens que vão contar ou ouvir as novidades. Barbeiro passa o dia inteiro falando e ouvindo todos os tipos de papo, pois assunto de médico geralmente é saúde, de advogado é direito, de professor é educação, de fazendeiro é a falta ou excesso de chuvas, o preço da arroba de boi, do saco de café… e cada trabalhador fala de seu trabalho (ou da falta de trabalho), do salário, e todo mundo fala do governo, geralmente mal. Então, a profissão de barbeiro é quase uma universidade, com muita discussão política, econômica e tudo mais. Barbeiro esperto aprende muito. Não é à toa que sempre houve barbeiros envolvidos com a criação de partidos e organizações políticas, geralmente de esquerda. Até na fundação do Partidão, o Partido Comunista Brasileiro, em 1922, tinha um barbeiro.
Meu pai era barbeiro e ensinou a profissão aos filhos homens, inclusive a mim, que nunca fui bom profissional nessa e talvez em nenhuma outra área. Com dez filhos pra criar, a renda da barbearia não era suficiente, então, era preciso complementar a renda da barbearia com algum tipo de negócio. Isso é outra coisa comum entre os barbeiros do interior: comprar, vender e “breganhar” alguma coisa. Meu pai negociava revólveres e relógios. Dizem as más línguas que comprava relógios de bolso de qualquer marca, mas só vendia “Omegas Ferradura”; e comprava revólveres de qualquer marca, mas só vendia Smith Wesson.

A íntegra dessa matéria está na edição impressa. Reserve com seu jornaleiro!



No artigo

x