Sindicalistas são presos durante greve de professores na Angola

Cinco dirigentes sindicais foram presos durante uma greve de professores na província angolana do Bengo. Segundo o sindicato da categoria "há perseguição aos colegas que estão a fazer piquetes". A grave foi deflagrada contra os baixos salários...

167 0

Cinco dirigentes sindicais foram presos durante uma greve de professores na província angolana do Bengo. Segundo o sindicato da categoria "há perseguição aos colegas que estão a fazer piquetes". A grave foi deflagrada contra os baixos salários e falta de diálogo da direção provincial da Educação.

"Mal estamos a formar a terceira República (designação oficial para o atual período, pós as segundas eleições em Angola) e já estamos com pressões e perseguições, o que indicia que nada mudou", acrescentou Hermínia do Nascimento, citada pelo site Notícias Lusófonas.

"A razão tem que vencer. Há razões mais do que suficientes para se fazer essa greve, aliás ainda não decretamos a segunda fase da greve nacional porque registamos que em algumas províncias ainda há algum diálogo e acreditamos que as coisas vão se resolver", salientou Hermínia do Nascimento, acrescentando que a greve de professores no Bengo prosseguirá "até que as partes sejam chamadas para negociar".

"Com estas detenções não há outra solução. Se há uma paralisação legal, as pessoas deviam sentar-se e reflectir. Só se chegou à paralisação porque não houve boa vontade por parte da direcção provincial da Educação para se resolver este problema", frisou a dirigente sindical.

A Frente para a Democracia também reagiu à detenção dos sindicalistas e vê "com apreensão que este ato gratuito de violência e de desrespeito pelos direitos humanos e pelos princípios mais elementares do Estado democrático de direito enquadra-se na estratégia da restauração autoritária reiniciada pelo Governo após a usurpação da maioria qualificada nas eleições de 5 de Setembro". A FPD diz que esta ação do Estado angolano "já se abateu sobre populares na Lunda-Norte saldando-se em 1 a 5 mortos e mais de uma centena de detidos e na detenção de aproximadamente cinco autoridades tradicionais da Lunda-Sul".

Infra-estrutura

O presidente do Sindicato Nacional de Professores (Sinprof), Guilherme Silva, apelou  para a direção do ministério da Educação redobrar esforços no sentido de continuar a promover seminários de capacitação e formação contínua, com vista a corresponder com as exigências da reforma educativa em curso no país.
Para Guilherme outro ponto essencial é a existencia de  material didático necessário, já que os professores da 5ª e 6ª classes irão ministrar todas as disciplinas.

(Com informações de agências)



No artigo

x