A metrópole da juventude

Crianças e adolescentes são chamados a contribuir com idéias e propostas para fazer de São Paulo uma cidade menos desigual Por Paula Nogueira   Com a proximidade...

283 0

Crianças e adolescentes são chamados a contribuir com idéias e propostas para fazer de São Paulo uma cidade menos desigual

Por Paula Nogueira

 

Com a proximidade das eleições municipais, a população será confrontada com uma série de propostas, mais ou menos factíveis, vindas de candidatos de diferentes campos ideológicos. São idéias para todas as áreas, mas que nem sempre têm conexão com a realidade local de quem vai ter sua vida afetada e que não costuma ser ouvido. Em especial, os jovens, que estão alijados da maior parte das discussões e debates sobre políticas públicas no Brasil. Uma contradição em um país que tem cerca de 60 milhões de brasileiros que ainda não chegaram aos 18 anos.
Que futuro aguarda esses milhões de crianças e adolescentes? Buscando respostas a essas questões, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e a revista Viração decidiram inverter o jogo político. Ao invés de esperar políticas para a infância e a juventude, por que não pensá-las coletivamente e apresentá-las para os futuros candidatos?
Desta forma, começou a ser desenhado o projeto, realizado em conjunto com a Secretaria Municipal de Educação de São Paulo, cujo objetivo central é entender o que pensam e esperam jovens da rede pública e particular, grupos e organizações não-governamentais em relação a melhorias para São Paulo. “Queremos mobilizar crianças e adolescentes para que reflitam, opinem e sugiram melhorias para a cidade”, afirma o diretor da revista Viração, Paulo Lima.
As idéias serão encaminhadas ao I Fórum Nossa São Paulo, que acontece de 15 a 18 de maio de 2008. Lá serão discutidas e sistematizadas as propostas que depois serão levadas aos candidatos à prefeitura. “As sugestões em educação serão enviadas à secretaria municipal da área para que ajudem na construção do Plano Municipal de Educação, que está sendo elaborado em 2008”, acrescenta a coordenadora do Unicef Adriana Alvarenga. Quem organiza o fórum é o Movimento Nossa São Paulo, formado por cerca de 400 entidades, entre elas dezenas de grandes empresas.
A íntegra dessa matéria está na edição impressa. Reserve com seu jornaleiro!



No artigo

x