Espaço Solidário

Na Bahia, cursos sobre gestão de recursos hídricos mobilizam famílias e oficina ensina a criar e manter iniciativas de economia solidária em São Paulo. Por Moriti Neto...

220 0

Na Bahia, cursos sobre gestão de recursos hídricos mobilizam famílias e oficina ensina a criar e manter iniciativas de economia solidária em São Paulo.

Por Moriti Neto

 

Na Bahia, cursos sobre gestão de recursos hídricos mobilizam famílias

Atividades que fazem parte do Projeto Cisternas II, executado pelo Centro de Assessoria do Assuruá (CAA) promoveram, na Bahia, durante todo o mês de setembro, um ciclo de cursos com o intuito de capacitar a população para a gestão dos recursos hídricos. A primeira etapa prevê 930 famílias beneficiadas com cisternas de consumo e produção.

O Curso de Gerenciamento de Recursos Hídricos (GRH), ministrado no assentamento Deus Dará, no município de Jussara, na Bahia, pela monitora Adalgisa Rocha, fez com que os lavradores da região se mobilizassem. “Já aprendi que para pegar água na cisterna tem que usar um balde exclusivo, para não contaminar a água”, relata Sirleide Ribeiro dos Santos, de 33 anos.

A iniciativa oferece orientações sobre os cuidados corretos com as cisternas e o uso da água. As famílias também recebem noções de participação cidadã, convivência com o semiárido e produção agroecológica, participando, ainda, de várias atividades práticas, sendo uma delas a produção de desenhos que ilustram a luta pelos recursos hídricos na comunidade.

São incluídas 26 capacitações, sendo 20 para produção de alimentos e 6 para consumo humano. A atividade teve acompanhamento da coordenação pedagógica do projeto, composta por Cláudio Rodrigues e Nara Lígia.

O Cisternas II é fruto de parceria entre o CAA, Articulação no Semiárido Brasileiro (ASA) Secretaria de Desenvolvimento Social do Estado da Bahia (Sedes) e Ministério do Desenvolvimento Social (MDS). A primeira etapa do projeto contempla a construção de 720 cisternas para consumo humano e mais 210 para produção de alimentos.

Oficina ensina a criar e manter iniciativas de economia solidária

A Rede de Saúde Mental e Economia Solidária é um espaço de articulação de experiências de inserção no trabalho, constituído por pessoas que são usuárias da Rede de Saúde Mental do Estado de São Paulo. Buscando desenvolver atividades de comercialização, formação, troca de conhecimentos, tecnologias sociais e constituindo processos de construção coletiva, o objetivo é fortalecer iniciativas em torno da saúde mental no conjunto do tecido social. A participação na Rede se realiza com a presença em reuniões mensais e em atividades organizadas.

Em parceria com o Núcleo Estadual de Assessoria Técnica em Economia Solidária (NEATES-SP), executado pelo Instituto Integra, a Rede realizará a oficina Como Montar e Manter Cooperativas e Associações de Economia Solidária, no dia 15 de outubro, das 9h às 18h, no Conselho Regional de Psicologia, localizado na rua Arruda Alvim, 89, perto da estação Clínicas do metrô, em São Paulo. Com o número de vagas já preenchidas dez dias antes do fim das inscrições, os organizadores mantiveram matrículas abertas e fizeram uma lista de espera para organizar outra edição do evento.

A oficina Como Montar e Manter Cooperativas e Associações de Economia Solidária terá como conteúdo, na sua primeira parte, marcos conceituais e jurídicos para nortear a manutenção legal dos projetos. Na segunda etapa, serão explicados os instrumentos de gestão dos empreendimentos, dirigidos à sustentação administrativa das associações e cooperativas.

O módulo com os marcos conceituais e jurídicos será desenvolvido com base em questões que abordam o que é um empreendimento econômico solidário, o que é uma cooperativa, o que é uma cooperativa social, as diferenças entre associações, cooperativas e microempresa, questões trabalhistas e previdenciárias, leitura crítica da lei do cooperativismo social (lei 9867/1990), bem como estatutos e os limites legais, por exemplo, para o funcionamento de um empreendimento de cooperativa social sob figura jurídica.

A parte da oficina direcionada aos instrumentos de gestão dos empreendimentos será baseada em modelos de controle financeiro e de gestão, tabelas de organização, tabelas de controle financeiro, explicitando as relações entre compradores e fornecedores, assim como entradas e saídas de recursos financeiros. Serão demonstrados, ainda, modelos de assembleias, atas e ofícios para a organização de reuniões dos cooperados e associados.



No artigo

x