Espaço Solidário

Rock no interior e situação das mulheres no Piauí. Por Moriti Neto Rock solidário no interior de São Paulo O Grito Rock chega à nona edição...

299 0

Rock no interior e situação das mulheres no Piauí.

Por Moriti Neto

Rock solidário no interior de São Paulo

O Grito Rock chega à nona edição em 2011, com mais de 130 cidades participantes, incluindo representantes de países como Brasil, Argentina, Uruguai, Bolívia, Chile, Panamá, Costa Rica, Honduras e El Salvador, consolidando-se como o maior festival integrado das Américas.

A cidade de São Carlos, no interior de São Paulo, faz parte do circuito e, na edição deste ano, que ocorreu nos dias 26 e 27 de março, recebeu programação variada, tendo como proposta a integração de diversas artes. Para tanto, foram abertos espaços para apresentações que incluem shows, intervenções circenses, peças de teatro e mostra de vídeos.

Além disso, o evento recebeu a 3ª Feira de Cultura e Economia Solidária de São Carlos, com o objetivo de solidificar um espaço de encontro direto entre coletivos culturais, empreendimentos de economia solidária e a população local, estimulando o consumo de bens e serviços produzidos.

Diversos empreendedores solidários de São Carlos participaram da feira, com venda e troca de produtos artesanais ligados ao rock. Os materiais apresentados variaram de camisetas aerografadas, discos antigos, bijuterias, quadros e chaveiros, entre outros.

Realizador do evento, com mais de dois anos de atuação, o Massa Coletiva, núcleo cooperativo de comunicação e cultura, integrante do Circuito Fora do Eixo, atua na cidade de São Carlos sob os princípios da rede, desenvolvendo trabalhos de maneira colaborativa e incorporando o movimento de economia solidária, buscando a democratização da produção e do acesso aos bens culturais.

A feira de economia solidária no Grito Rock 2011 contou com os apoios da Prefeitura de São Carlos, da Rádio UFSCar, do Metropolis Dining Club e dos empreendimentos solidários do município.

No Piauí, debate sobre nova lei e a situação das mulheres        

Nos dias 12 e 13 de março, o Grupo Setorial de Economia Solidária do Piauí  reuniu-se, na cidade de Teresina, no Auditório do Partido dos Trabalhadores, para avaliar os diversos pontos da nova lei de incentivo a empreendimentos solidários do estado.

Para ampliar o debate público e contribuir com o fortalecimento da lei, instituída pelo governo piauiense como Política Estadual de Fomento à Economia Solidária, também meta do governo federal a ser desenvolvida em todo o país, diversos temas foram abordados durante o encontro.

Entre eles, o mais debatido foi a situação das mulheres no mercado informal de trabalho, destacando que, na zona urbana, existe maior representação feminina, com integrantes organizadas e capacitadas para a realização de trabalhos profissionais. Já as mulheres da zona rural, ao contrário, enfrentam muitas dificuldades de articulação e têm pouco acesso às políticas públicas.

Como experiência de sucesso, foi citado o Grupo de Mulheres Bordadeiras do Parque Piauí, que realiza trabalho informal solidário e consegue produzir e vender de forma organizada.

Segundo a coordenadora do Grupo Setorial de Economia Solidária do Estado do Piauí, Rosângela Sousa, “é um momento oportuno para o avanço das propostas, pois os eixos da política nacional da redução da pobreza e da miséria, bem como a expansão de microempresas em todo o país, fazem da política de economia solidária um passo importante para o êxito dessas metas, tanto na esfera estadual como federal”.

Participaram das discussões educadores populares, representantes do Fórum de Economia Solidária do Piauí e militantes femininas.



No artigo

x