Comissão da Verdade será instalada nesta quarta, 16

Os sete integrantes foram anunciados na última semana.Para coordenador da Frente de Defesa da Memória, da Verdade e Justiça, Ary Noronha, as indicações foram boas Por Igor Carvalho  Já é...

310 0

Os sete integrantes foram anunciados na última semana.Para coordenador da Frente de Defesa da Memória, da Verdade e Justiça, Ary Noronha, as indicações foram boas

Por Igor Carvalho 

Já é público o nome dos sete integrantes que vão compor a Comissão da Verdade. A comissão terá dois anos para investigar as violações aos direitos humanos cometidas durante o período da ditadura militar no Brasil (1964-1984). Os indicados tomarão posse em cerimônia na próxima quarta-feira (16), que instalará a comissão. Os nomes foram publicados no Diário Oficial da União desta sexta-feira (11), o decreto está assinado pela presidente Dilma Roussef e a ministra da da Casa Civil Gleisi Hoffmann.
Os integrantes da comissão serão: o jurista José Paulo Cavalcante Filho; a psicanalista Maria Rita Kehl ; ex-procurador-geral da República Cláudio Lemos Fonteles; o ex-ministro da Justiça José Carlos Dias; a advogada Rosa Maria Cardoso Cunha – que defendeu a presidenta Dilma durante a ditadura militar; o professor Paulo Sérgio Soares, que recentemente integrou uma missão da Organização das Nações Unidas (ONU) na Síria; o ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Gilson Langaro Dipp.

De acordo com o porta-voz da Presidência da República, Thomas Traumann, todos os nomes foram selecionados pessoalmente por Dilma, que usou como critérios a conduta ética e a atuação na promoção dos direitos humanos.

A comissão terá liberdade para colher depoimentos e requerer documentos que possibilitem aprofundar a investigação sobre os crimes cometidos durante a ditadura militar. Apesar de apontar fatos e culpados, a comissão não terá poder de punição. O presidente da comissão ainda será escolhido e de acordo com Traumann, estarão presentes na primeira audiência, quarta-feira (16), os ex-presidentes José Sarney, Fernando Collor, Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva.

Para Ary Noronha, coordenador da Frente de Defesa da Memória, da Verdade e Justiça,  formada por parentes de diversos desaparecidos políticos, a escolha dos nomes foi sensata. “Foram boas indicações, agora é aguardar o trabalho deles. Vamos torcer e aguardar que nos respondam aonde estão os desaparecidos. Vamos apoiá-los.”

Foto: Flickr/Fora do Eixo




No artigo

x