Primeiro dia de #VigíliaVetaTudo recebe 30 convidados em mais de 9 horas de programação

Mobilização conta com mais de 30 ativistas em debate que gerou mais de 3 mil visualizações em todo o Brasil.

221 0

Mobilização conta com mais de 30 ativistas em debate que gerou mais de 3 mil visualizações em todo o Brasil.

Por Maria Eduarda Carvalho [25.05.2012 13h55]

Na iminência das últimas 48 horas de prazo para uma posição da presidenta Dilma Rousseff sobre o novo Código Florestal, ambientalistas, artistas, intelectuais e políticos começaram ontem,24, aúltima Vigília pelas Florestas.

Para os debates por mais de nove horas ininterruptas, mais de 30 convidados deram seus depoimentosem São Pauloe Belo Horizonte nas respectivas Casas Fora do Eixo ou diretamente de Brasília via telefone ou Skype como no caso da ex-ministra Marina Silva, todos juntos questionando o novo Código Florestal e temas relacionados à sustentabilidade e meio ambiente que giram no seu entorno.

A programação contou ainda com performances cênicas, música e flashes diretamente de Brasília onde aconteceu, a partir das 18h, a Serenata pelas Florestas, na Praça dos Três Poderes em frente ao Palácio do Planalto.

A resposta à mobilização veioem números. Maisde 3 mil pessoas acompanharam a transmissão, muitas interagindo e enviando perguntas para os convidados. A participação massiva nas redes sociais é uma das características mais fortes do movimento, que na tarde de ontem foi o assunto mais comentado do Twitter.

Um dos principais pontos questionados pelos ativistas da Vigília foi a importância da lei ser vetada integralmente. “O veto parcial não pode reescrever nem suprimir somente alguns trechos da lei, mas o parágrafo ou artigo inteiro. Se a presidente veta integralmente o projeto que foi aprovado, o código atual continua em vigência, não há problemas de descontinuidade, a regra que existe continua valendo porque o projeto aprovado no Congresso foi integralmente vetado. Mas se ela sanciona aquele projeto e veta alguns artigos, o projeto que está em vigência deixa de existir, as regras atuais deixam de existir e valem as novas regras. Não há como vetar a parte ruim mantendo o benefício”. Explica Bazileu Margarido, ex-presidente do Ibama. Caso aconteça o veto parcial, medidas provisórias serão publicadas para garantir o funcionamento de pontos da Lei que foram suprimidos, mas as medidas teriam que voltar a Câmara para aprovação.

Sobre o assunto, a ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva defendeu que Dilma Rousseff está duplamente respaldada para vetar integralmente o novo código. “(Dilma) está legitimada para vetar porque constitucionalmente lhe é assegurado esse direito. E, no segundo turno das eleições de 2010, quando em resposta sobre uma questão a respeito da anistia a desmatadores, o que aumentaria o desmatamento, ela respondeu de próprio punho que vetaria todo e qualquer dispositivo que significasse isso”.

A presidenta não se manifestou a respeito, mas decidiu ontem, em reunião com os ministros da Agricultura, Meio Ambiente e Casa Civil, que deverá se pronunciar oficialmente sobre o veto hoje, a partir das 14h, provavelmente propondo algumas medidas provisórias como solução para vetos. Enquanto isso, as manifestações continuam em frente ao Palácio do Planalto no Distrito Federal e os debates que começaram a partir das 9h da manhã seguem continuamente na Casa Fora do Eixoem São Pauloaté às 19h.



No artigo

x