Entidades assinam carta a Barak Obama pela liberdade aos cinco cubanos presos

Pelo menos cem organizações apoiaram documento assinado na Cúpula dos Povos

236 1

Pelo menos cem organizações apoiaram documento assinado na Cúpula dos Povos

Por Maria Eduarda Carvalho

Durante a Cúpula dos Povos na Rio+20, pelo menos cem entidades latino-americanas aprovaram a assinatura de uma carta dirigida ao presidente dos Estados Unidos, Barak Obama, pedindo a libertação dos cinco cubanos que se encontram em cárcere no país. Entre elas o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), a Central única dos Trabalhadores (CUT) e a União Nacional dos Estudantes (UNE).

Gerardo, Ramon, Fernando, Antonio e René foram condenados à prisão perpétua acusados de conspiração, quando estavam em solo americano para investigar atentados contra Cuba. Uma rede anticastritsta atuava na Flórida para desestabilizar o regime cubano. Os chamados “cinco heróis” largaram tudo em Cuba para tentar colher informações nos Estados Unidos, como conta Fernando Morais, em “Os últimos soldados da Guerra Fria”. Eles já se encontram presos há 14 anos.

No evento de assinatura, assessor político da embaixada cubana, Rafael Idalgo, agradeceu os esforços dos brasileiros.  Ele ressaltou que “Cuba não falhará com o Brasil, trabalharemos dia e noite para fortalecer essas relações”. Idalgo também salientou as parcerias entre os dois países na educação e na saúde e deixou claro que a ofensiva contra a ilha é muito mais profunda.

Confira a íntegra do documento:

Chamamento do Rio de Janeiro ao Presidente Barack Obama

Presidente Obama:

Em cárceres do seu país, há cerca de 14 anos de injusta prisão, seguem presos cinco antiterroristas cubanos, Gerardo, Ramón, Fernando, Antonio e René. Do Rio de Janeiro, onde está ocorrendo a Rio+20, e em meio aos esforços pela preservação do meio ambiente e pela sustentabilidade do planeta, apelamos ao seu sentimento de justiça e humanidade para que os libertem já.

Estamos apelando para que faça uso das suas faculdades constitucionais do poder de uso do indulto, que permita aos cinco unir-se a seus familiares em Cuba. Estamos certos de que V. Excia. honrará sua condição de Prêmio Nobel e o humanismo que tal status determina.

Presidente Obama, é do seu conhecimento que os cinco cubanos, pelos quais intercedemos, estão inocentes dos crimes de que são acusados e que suas ações visavam salvar vidas de cubanos, norte-americanos e inocentes de outros países, ao monitorar as ações terroristas dos grupos contrarrevolucionários que atuam na Flórida contra Cuba. Cabe a V. Excia. Senhor Presidente, a palavra e a decisão finais pela libertação dos cinco.

Rio de Janeiro, 18 de junho de 2012.



No artigo

1 comment

  1. Marica Responder

    MInha carta a Obama é para que deixe de atacar o mundo, urgente. Quem com ferro fere…


x