Sistema carcerário no Brasil: solução ou tiro no pé?

Padre Valdir João da Silveira, da Pastoral Carcerária, fala respeito da situação dos presos no Brasil

568 1

Padre Valdir João da Silveira, da Pastoral Carcerária, fala respeito da situação dos presos no Brasil

Por CarlosCarlos e Alexandre De Maio



No artigo

1 comment

  1. erivaldoferreira Responder

    Os paulistas
    que sempre apontaram os dedos para as mazelas de outra cidade, sempre se orgulharam
    da “eficiência” da ROTA (por
    matar no varejo e atacado),.

    Agora estão
    vivenciando uma situação de violência extremada. Mas em vez de tentar
    solucionar a desigualdade e a miséria, de trazer os apenados para a legalidade,
    o Estado e, sobretudo a elite dirigente paulistana fizeram  uma opção pelo oportunismo e o acordo.  Verdade seja dita, o governo do Estado
    abandonou os presos.

     “O crime só tem medo de uma coisa: que a
    maioria das pessoas entre na legalidade e ele não tenha com quem negociar”

    Em vez de se
    aperfeiçoarem os mecanismos de gestão penitenciária, desenvolver o papel
    de protagonista, o Estado de São Paulo, cooptou lideranças negativas  de diversos perfis criminosos.

    Negociou com
    elas, manteve as velhas estruturas corruptas e arcaicas do Sistema Prisional
    paulista.  Uma clientela cada dia mais
    jovem que, ao contrário dos antigos candeeiros, não irão respeitar, em alguns
    momentos, os códigos tradicionais que gerem a vida no interior das unidades. As
    elites paulistanas sempre esconderam suas mazelas, negam veementemente o PCC. Ao
    longo dos quase dezenove anos de Governo tucano, o PCC se tornou mais forte, e
    o estado de São Paulo ficou cada vez mais fraco; não foi o PCC  que se tornou mais organizado e mais
    experiente; foi o Estado de São Paulo que deixou de fazer sua parte. Portanto,
    toda essa violência é fruto chamada simbiose entre o Estado e as facções
    criminosas que atuam no interior dos presídios.


x