72% da publicidade do governo federal na internet vai para grandes grupos

O blogueiro Miguel do Rosário analisa dados da Secom e mostra como a distribuição de verbas publicitárias oficiais direcionadas à internet contribui para a concentração na área da comunicação

1990 2

O blogueiro Miguel do Rosário analisa dados da Secom e mostra como a distribuição de verbas publicitárias oficiais direcionadas à internet contribui para a concentração na área da comunicação no Brasil

Por Redação, com informações de O Cafezinho. Post original aqui

Leia também: A chamada mídia técnica versus a nossa qualidade democrática

O blogueiro Miguel do Rosário publicou em seu site O Cafezinho alguns dados que dão conta de como a distribuição de verbas publicitárias por parte do governo federal, direcionadas à internet, acaba contribuindo ainda mais para a concentração na área da comunicação no Brasil.

Por meio de uma análise dos números da Secretaria de Comunicação da Presidência da República (Secom), referentes aos anos de 2011 e 2012, 72,2% de toda publicidade oficial investida na rede vai parar nas mãos dos grandes grupos de comunicação. Isso representa R$ 4,77 milhões de um montante total de R$ 6,6 milhões, que são investidos em sites dos grupos Globo, UOL, Folha, Estadão, Abril, RBS, e também Microsoft, Fox e Yahoo. Veja o quadro abaixo elaborado por Rosário:

Velhas mídias

Outro dado chama a atenção. Em geral, os mesmos grupos beneficiados pela verba publicitária federal na internet também são agraciados em outros tipos de mídia. A publicidade federal destinada às empresas do grupo Globo, por exemplo, cresceu 36% em 2012, atingindo R$ 49,64 milhões, o que representa 43,6% de toda a publicidade federal no ano.

Além de poucos grandes grupos concentrarem os recursos publicitários governamentais, os  meios tradicionais de uma forma geral continuam recebendo maior atenção. Em 2012, mesmo com o governo tendo aumentado em 110,2% o investimento em publicidade na internet, onde a pluralidade informativa é maior em comparação aos outros meios, a publicidade destinada a jornais cresceu ainda mais, 120%.

Os números da Secom analisados não incluem estatais e agências reguladoras, referindo-se apenas à publicidade da presidência da República e dos ministérios. Mas o padrão em geral adotado por empresas estatais é o mesmo.

 

 

 



No artigo

2 comments

  1. Zé da Silva Responder

    Patrocínio à Imprensa Golpista.

  2. Zé Do Bêlo Responder

    Os grandes grupos são grandes bostas, precisam mamar nas tetas do governo…