Artistas levam o lúdico ao Movimento de Sem Teto da Bahia

Veja ensaio fotográfico de ocupações no Pelourinho, em Salvador

780 4

Veja ensaio fotográfico de ocupações no Pelourinho, em Salvador

Por Jéssica Lemos

Na Ladeira do Passo, no Pelourinho, um prédio rosado com florzinhas se destaca dos demais. Essa é uma das ocupações do Movimento de Sem Teto da Bahia- MSTB, um grupo de pessoas que tem como objetivo lutar por uma causa que é lei, o direito a moradia. “Desde o fim da escravidão, os negros foram deixados na rua, sem emprego, sem casa, sem dignidade” destaca a militante Maura Cristina, 52.

O MSTB ocupa apenas espaços públicos inutilizados, nunca espaços de propriedade particular. Mas o prédio de número 46 localizado na Ladeira do Passo tem um diferencial; este é composto por artistas, músicos, atores, poetas e artesãos. A poetisa Jocelia Fonseca, 30, quando questionada pelos motivos que a levaram a apoiar o movimento, tem uma resposta simples e direta “porque eu não tinha teto, um salário mínimo não é suficiente para sustentar um filho e pagar um aluguel em Salvador”, explica a artista.

Quando a polícia bate na porta dos ocupantes para desapropriá-los, a lei de direito à moradia é apresentada aos oficiais. Todo cidadão tem direito à moradia, por isso, para colocá-los para fora do prédio público é necessário conceder a eles um lugar para morar, eles não podem ser retirados do local e deixados na rua.

A pequena Inaiá, de 4 anos, abre as portas de sua casa e mostra o quarto que divide com seus irmãos. Sua mãe, Cléa Barbosa, 41, que é poetisa e artesã, chama o marido para compor a foto da família.

O poeta Tiago Oliveira presenteia a visita com um livro que ele próprio escreveu e teve a honra de publicar. Outros livretos são confeccionados com sua própria impressora. Temas como política, direitos humanos e contos infantis, fazem parte de sua obra. O artista faz parte também do Coletivo Poesia Além das 7 Praças, juntamente com a companheira Luciana Estrela.

Diversas outras ocupações são encontradas pelo Centro Histórico, em prédios antigos com uma bandeira escrita: MSTB. O movimento não é uma exclusividade dos baianos, em todo Brasil grupos de pessoas se reúnem com o objetivo reivindicar o direito a moradia.

Família de Hercules (artesão) e Cléa Barbosa (poetisa) com seus 3 filhos que também moram na ocupação
” Faço parte do MSTB porque eu não tinha teto, um salário mínimo não é suficiente para sustentar um filho e pagar um aluguel em Salvador”
Inaiá, 4 anos
Maura Cristina, 52, liderança da ocupação

 

Veja a íntegra do ensaio fotográfico realizado por Jéssica Lemos AQUI.



No artigo

4 comments

  1. Diego Pinheiro Responder

    Perfeitas as fotos! parabéns pela reportagem!

  2. Vinicius Responder

    Belíssimo ensaio fotográfico. Parabéns pela sensibilidade no olhar.

  3. Srt Silva Responder

    Adorei a matéria e as fotos, parabéns!

  4. Hamilton Britto Responder

    ao lado desse prédio morava ( ou ainda mora) Gil Félix e lá ensaiava a banda Passo 48, reggae roots baiano iníco dos anos 90. E Tem que ocupar mesmo, não tem grana nem assisitência pública, vai na coragem!


x