Por que os médicos cubanos assustam

Elite corporativista teme que mudança do foco no atendimento abale o nosso sistema mercantil de saúde

8059 76

Elite corporativista teme que mudança do foco no atendimento abale o nosso sistema mercantil de saúde

Por Pedro Porfírio

A virulenta reação do Conselho Federal de Medicina contra a vinda de 6 mil médicos cubanos para trabalhar em áreas absolutamente carentes do país é muito mais do que uma atitude corporativista: expõe o pavor que uma certa elite da classe médica tem diante dos êxitos inevitáveis do modelo adotado na ilha,  que prioriza a prevenção e a educação para a saúde, reduzindo não apenas os índices de enfermidades, mas sobretudo a necessidade de atendimento e os custos com a saúde.

Essa não é a primeira investida radical do CFM e da Associação Médica Brasileira contra a prática vitoriosa dos médicos cubanos entre nós. Em 2005, quando o governador  de Tocantins não conseguia médicos para a maioria dos seus pequenos e afastados municípios, recorreu a um convênio com Cuba e viu o quadro de saúde mudar rapidamente com a presença de apenas uma centena de profissionais daquele país.

A reação das entidades médicas de Tocantins, comprometidas com a baixa qualidade da medicina pública que favorece o atendimento privado, foi quase de desespero. Elas só descansaram quando obtiveram uma liminar de um juiz de primeira instância determinando em 2007 a imediata “expulsão” dos médicos cubanos.

No Brasil, o apego às grandes cidades

Dos 371.788 médicos brasileiros, 260.251 estão nas regiões Sul e Sudeste

Neste momento, o governo da presidenta Dilma Rousseff só  está cogitando de trazer os médicos cubanos, responsáveis pelos melhores índices de saúde do Continente, diante da impossibilidade de assegurar a presença de profissionais brasileiros em mais de um milhar de municípios, mesmo com a oferta de vencimentos bem superiores aos pagos nos grandes centros urbanos.

E isso não acontece por acaso. O próprio modelo de formação de profissionais de saúde, com quase 58% de escolas privadas, é voltado para um tipo de atendimento vinculado à indústria de equipamentos de alta tecnologia, aos laboratórios e às vantagens do regime híbrido, em que é possível conciliar plantões de 24 horas no sistema público com seus consultórios e clínicas particulares, alimentados pelos planos de saúde.

Mesmo com consultas e procedimentos pagos segundo a tabela da AMB, o volume de  clientes é programado para que possam atender no mínimo dez por turnos de cinco horas. O sistema é tão direcionado que na maioria das especialidades o segurado pode ter de esperar mais de dois meses por uma consulta.

Além disso, dependendo da especialidade e do caráter de cada médico, é possível auferir faturamentos paralelos em comissões pelo direcionamento dos exames pedidos como rotinas em cada consulta.

Sem compromisso em retribuir os cursos públicos

Há no Brasil uma grande “injustiça orçamentária”: a formação de médicos nas faculdades públicas, que custa muito dinheiro a todos os brasileiros, não presume nenhuma retribuição social, pelo menos enquanto  não se aprova o projeto do senador Cristóvam Buarque, que obriga os médicos recém-formados que tiveram seus cursos custeados com recursos públicos a exercerem a profissão, por dois anos, em municípios com menos de 30 mil habitantes ou em comunidades carentes de regiões metropolitanas.

Cruzando informações, podemos chegar a um custo de R$ 792.000,00 reais para o curso de um aluno de faculdades públicas de Medicina, sem incluir a residência. E se considerarmos o perfil de quem consegue passar em vestibulares que chegam a ter 185 candidatos por vaga (UNESP), vamos nos deparar com estudantes de classe média alta, isso onde não há cotas sociais.

Um levantamento do Ministério da Educação detectou que na medicina os estudantes que vieram de escolas particulares respondem por 88% das matrículas nas universidades bancadas pelo Estado. Na odontologia, eles são 80%.

Em faculdades públicas ou privadas, os quase 13 mil médicos formados anualmente no Brasil não estão nem preparados, nem motivados para atender às populações dos grotões. E não estão por que não se habituaram à rotina da medicina preventiva e não aprenderam como atender sem as parafernálias tecnológicas de que se tornaram dependentes.

Concentrados no Sudeste, Sul e grandes cidades

Números oficiais do próprio CFM indicam que 70% dos médicos brasileiros concentram-se nas regiões Sudeste e Sul do país. E em geral trabalham nas grandes cidades.  Boa parte da clientela dos hospitais municipais do Rio de Janeiro, por exemplo, é formada por pacientes de municípios do interior.

Segundo pesquisa encomendada pelo Conselho,  se a média nacional é de 1,95 médicos para cada mil habitantes, no Distrito Federal esse número chega a 4,02 médicos por mil habitantes, seguido pelos estados do Rio de Janeiro (3,57), São Paulo (2,58) e Rio Grande do Sul (2,31). No extremo oposto, porém, estados como Amapá, Pará e Maranhão registram menos de um médico para mil habitantes.

A pesquisa “Demografia Médica no Brasil” revela que há uma forte tendência de o médico fixar moradia na cidade onde fez graduação ou residência. As que abrigam escolas médicas também concentram maior número de serviços de saúde, públicos ou privados, o que significa mais oportunidade de trabalho. Isso explica, em parte, a concentração de médicos em capitais com mais faculdades de medicina. A cidade de São Paulo, por exemplo, contava, em 2011, com oito escolas médicas, 876 vagas – uma vaga para cada 12.836 habitantes – e uma taxa de 4,33 médicos por mil habitantes na capital.

Mesmo nas áreas de concentração de profissionais, no setor público, o paciente dispõe de quatro vezes menos médicos que no privado. Segundo dados da Agência Nacional de Saúde Suplementar, o número de usuários de planos de saúde hoje no Brasil é de 46.634.678 e o de postos de trabalho em estabelecimentos privados e consultórios particulares, 354.536.Já o número de habitantes que dependem exclusivamente do Sistema Único de Saúde (SUS) é de 144.098.016 pessoas, e o de postos ocupados por médicos nos estabelecimentos públicos, 281.481.

A falta de atendimento de saúde nos grotões é uma dos fatores de migração. Muitos camponeses preferem ir morar em condições mais precárias nas cidades, pois sabem que, bem ou mal, poderão recorrer a um atendimento em casos de emergência.

A solução dos médicos cubanos é mais transcendental pelas características do seu atendimento, que mudam o seu foco no sentido de evitar o aparecimento da doença.  Na Venezuela, os Centros de Diagnósticos Integrais espalhados nas periferias e grotões, que contam com 20 mil médicos cubanos, são responsáveis por uma melhoria radical  nos seus índices de saúde.

Cuba é reconhecida por seus êxitos na medicina e na biotecnologia

Em  sua nota ameaçadora, o CFM afirma claramente que confiar populações periféricas aos cuidados de médicos cubanos é submetê-las a profissionais não qualificados. E esbanja hipocrisia na defesa dos direitos daquelas pessoas.

Não é isso que consta dos números da Organização Mundial de Saúde.  Cuba, país submetido a um asfixiante bloqueio econômico, mostra que nesse quesito é um exemplo para o mundo e tem resultados melhores do que os do Brasil.

Quando esteve em Cuba, em 2003, a deputada Lilian Sá
foi conhecer com outros parlamentares o médico de família,
uma equipe residente no próprio conjunto habitacional

Graças à sua medicina preventiva, a ilha do Caribe tem a taxa de mortalidade infantil mais baixa da América e do Terceiro Mundo – 4,9 por mil (contra 60 por mil em 1959, quando do triunfo da revolução) – inferior à do Canadá e dos Estados Unidos. Da mesma forma, a expectativa de vida dos cubanos – 78,8 anos (contra 60 anos em 1959) – é comparável a das nações mais desenvolvidas.

Com um médico para cada 148 habitantes (78.622 no total) distribuídos por todos os seus rincões que registram 100% de cobertura, Cuba é, segundo a Organização Mundial de Saúde, a nação melhor dotada do mundo neste setor.

Segundo a New England Journal of Medicine, “o sistema de saúde cubano parece irreal. Há muitos médicos. Todo mundo tem um médico de família. Tudo é gratuito, totalmente gratuito. Apesar do fato de que Cuba dispõe de recursos limitados, seu sistema de saúde resolveu problemas que o nosso [dos EUA] não conseguiu resolver ainda. Cuba dispõe agora do dobro de médicos por habitante do que os EUA”.

O Brasil forma 13 mil médicos por ano em  200 faculdades: 116 privadas, 48 federais, 29 estaduais e 7 municipais. De 2000 a 2013, foram criadas 94 escolas médicas: 26 públicas e 68 particulares.

Formando médicos de 69 países

Estudantes estrangeiros na Escola Latino-Americana de Medicina

Em 2012, Cuba, com cerca de 13 milhões de habitantes, formou em suas 25 faculdades, inclusive uma voltada para estrangeiros, mais de 11 mil novos médicos: 5.315 cubanos e 5.694 de 69 países da América Latina, África, Ásia e inclusive dos Estados Unidos.

Atualmente, 24 mil estudantes de 116 países da América Latina, África, Ásia, Oceania e Estados Unidos (500 por turma) cursam uma faculdade de medicina gratuita em Cuba.

Entre a primeira turma de 2005 e 2010, 8.594 jovens doutores saíram da Escola Latino-Americana de Medicina. As formaturas de 2011 e 2012 foram excepcionais com cerca de oito mil graduados. No total, cerca de 15 mil médicos se formaram na Elam em 25 especialidades distintas.

Isso se reflete nos avanços em vários tipos de tratamento, inclusive em altos desafios, como vacinas para câncer do pulmão, hepatite B, cura do mal de Parkinson e da dengue.  Hoje, a indústria biotecnológica cubana tem registradas 1.200 patentes e comercializa produtos farmacêuticos e vacinas em mais de 50 países.

Presença de médicos cubanos no exterior

Desde 1963,  com o envio da primeira missão médica humanitária à Argélia, Cuba trabalha no atendimento de populações pobres no planeta. Nenhuma outra nação do mundo, nem mesmo as mais desenvolvidas, teceu semelhante rede de cooperação humanitária internacional. Desde o seu lançamento, cerca de 132 mil médicos e outros profissionais da saúde trabalharam voluntariamente em 102 países.

No total, os médicos cubanos trataram de 85 milhões de pessoas e salvaram 615 mil vidas. Atualmente, 31 mil colaboradores médicos oferecem seus serviços em 69 nações do Terceiro Mundo.

No âmbito da Alba (Aliança Bolivariana para os Povos da Nossa América), Cuba e Venezuela decidiram lançar em julho de 2004 uma ampla campanha humanitária continental com o nome de Operação Milagre, que consiste em operar gratuitamente latino-americanos pobres, vítimas de cataratas e outras doenças oftalmológicas, que não tenham possibilidade de pagar por uma operação que custa entre cinco e dez mil dólares. Esta missão humanitária se disseminou por outras regiões (África e Ásia). A Operação Milagre dispõe de 49 centros oftalmológicos em 15 países da América Central e do Caribe. Em 2011, mais de dois milhões de pessoas de 35 países recuperaram a plena visão.

Quando se insurge contra a vinda de médicos cubanos, com argumentos pueris, o CFM adota também uma atitude política suspeita: não quer que se desmascare a propaganda contra o  regime de Havana,  segundo a qual o sonho de todo cubano é fugir para o exterior. Os mais de 30 mil médicos espalhados pelo mundo permanecem fiéis aos compromissos sociais de quem teve todo o ensino pago pelo Estado, desde a pré-escola e de que, mais do que enriquecer, cumpre ao médico salvar vidas e prestar serviços humanitários.

Leia também:

Brasil trará 6 mil médicos cubanos para atender moradores de áreas carentes



No artigo

76 comments

  1. fpenin Responder

    Melhorem os salários e as condições de trabalho para os nossos médicos e verão a demanda ser atendida . Já que os excepcionais médicos cubanos são tão bem preparados, porque temer os testes para revalidação de diplomas? Não entendo, é só obedecer o que a lei prevê. Quanto à vossa peça de propaganda explícita, LAMENTÁVEL!

    1. Christian Messias Responder

      Se você leu a materia, viu que os salários nos municípios são maiores que nas capitais e mesmo assim os médicos não aparecem.

      1. Isabela Pedrosa Responder

        Sabe pq? pq os municipios pagam só 2 meses. depois o médico toma calote, trabalha de graça. E não pode denunciar pq a grana que recebe vem isenta de impostos. Só isso

    2. Angelo Bonateli Neto Responder

      Ótimo. Faça a revalida, mas não por uma instituição corporativista como o CFM. Se a revalida fosse aplicada aos médicos brasileiros, quantos passariam. Vejam os resultados obtidos pelo próprio CRM de São Paulo http://www.cremesp.org.br/?siteAcao=NoticiasC&id=2715

    3. Armando Cury FIlho Responder

      Em que mundo ?!

      Eles já ganham mais do que a imensa maioria dos brasileiros !

      Além disso, só na cabeça de loucos ou safados como você que eles vão deixar o conforto dos grandes centros para irem para cidades ou vilas de dar nojo ou desprezo …

      Que imaginação insana brasileiro tem …

      1. José Responder

        …cidades ou vilas de dar nojo ou desprezo…palavras de burguês.

  2. fernando Responder

    “NÃO ACEITO A PROLETARIZAÇÃO DE MINHA PRFISSÃO”. cara, não é sobre isso q se trata. vc apenas está dizendo q morre de medo de ser pobre e está cagando para a saúde de quem está ao seu lado e, se o preço do seu sucesso é a podridão dos outros, foda-se. é isto que você disse e crê q eu devo concordar só porque vc estudou 4 anos num cursinho? mas q obstinado vc hein. vc quer mesmo ficar rico. e ai de nós se estragarmos o seu planinho! hahahaha

    1. Christian Messias Responder

      Por que a mesma revolta usada contra os médicos cubanos, não mostra-se quanto ao descasso dos hospitais municipais do país?

      1. wagner Responder

        O descaso dos hospitais que a mídia faz e eles também fazem, mas o intuito é justamente de criar horror a hospital público, engraçado é que sempre fui atendido no público

  3. Neiva Maria Rogieri Caffaro Responder

    Brilhante , fantástica análise da conjuntura sócio-político-econômica e do diagnóstico de situação de saúde do Brasil e do mundo ocidental , nos traz essa matéria ! Seria uma análise perfeita, não fosse a ausência de avaliação da necessidade de interdisciplinaridade na Atenção à Saúde ( outros profissionais com participação mais efetiva, não médicos ) , bem como à necessidade da democratização das Práticas Naturais de Saúde , de visão holística , para que se mude esse modelo de atenção à Saúde ineficiente e até nefasto, que temos no Brasil e no mundo ocidental em geral, inserido no Sistema Capitalista. É um modelo de Saúde com Medicina mercantilista, fragmentado, hospitalocêntrico, centrado na assistência médica , mecanicista, e apoiado em equipamentos de alta complexidade e muito caros , para diagnóstico e terapêutica. É a Medicina ineficaz e até iatrogênica ( doenças causadas pela intervenção médica ) , que alguns médicos que se opõem a ela, e com razão, chamam de MEDICINA QUÍMICO-INDUSTRIAL, desenvolvida para gerar doença e lucro para a Indústria Farmacêutica e de Equipamentos e para os conglomerados médicos e para a Medicina Privada. . Daí os Conselhos de Medicina e Sindicatos Médicos investirem contra essa missão solidária que nos presta Cuba , ao enviar seus médicos , que assistem à população com modelo diferente do nosso, eficaz , como comprovam os indicadores de Saúde de Cuba, e de países que recebem médicos cubanos em missão de solidariedade internacional. Como médica pediatra, com formação em Saúde Pública , e em Homeopatia, que exerceu função pública de gerenciamento de serviços de Saúde e auditorias em Sistema Público e Privado, tive a missão de fazer , com outros profissionais de saúde, o diagnóstico da falência de modelo de Saúde com as características aqui comentadas e analisadas na matéria que suscita esse comentário. Longo, me perdõem, mas ainda insuficiente para traduzir toda minha indignação e revolta pela má atitude do CFM , de repelir os médicos cubanos . Colégio de Médicos homiziadouro das prevaricações privilegiadas ( como são os serviços corruptos a quem dão sustentabilidade , onde se abriga o corporativismo e a tentativa de sustentação desse “modelo de doença ” falido, agonizante, doente que foi “fortalecido ” ao longo de anos de autoritarismo desde o golpe militar de 64.) E por ser dissidente desse modelo e por ter denunciado a corrupção na assistência médica, paguei e pago alto preço. Perseguições e ações punitivas do CREMESP, julgamento e condenaçào injusta, um verdadeiro Tribunal de Exceção, na década de 80 , como auditora consciente e responsável por denúncias de criminosos que ficaram impunes ( alguns hoje estão em Colégios Médicos ) . E mais tarde , na década de noventa, por ter optado publicamente por uma prática de saúde simples, acessível, eficaz e de custo zero, ( URO-SAÚDE OU URINOTERAPIA ) de TRADIÇÃO MILENAR , CONSAGRADA PELO USO consagrada pela Medicina Tradicional Chinesa, Ayurvédica, Árabe, Africana, Indígena, Japonesa, entre outras , preconizadas pela OMS a partir de 2000 . Parabéns ao governo brasileiro por essa atitude corajosa de trazer ao Brasil a missão solidária internacional dos médicos cubanos .!Muito gratos somos e seremos a esses missionários destemidos e valorosos, e ao governo da Ilha de Fidel e da Democracia Cubana ! Haveremos de aprender muito com eles, que conseguirão salvar muitas vidas e melhorar em muito a qualidade e eficácia da Atenção à Saúde no Brasil, assim como fazem nas Nações que os contratam ! Viva Cuba ! Viva Fidel ! Viva Dilma ! Viva o corajoso Ministro da Saúde , Padilha, que está enfrentando o corporativismo médico com essa medida e com outras não menos acertadas, que engrandecem a construção da DEMOCRACIA VERDADEIRA ! E viva o POVO BRASILEIRO, O GRANDE PROTAGONISTA DESSA CONSTRUÇAO DEMOCRÁTICA !

    1. Glaucia Responder

      Como será que vc gostaria que tratassem seus filhos se estiverem em grave estado de saúde, provavelmente longe dos médicos, hospitais e equipamentos compelxos. Sou a favor da medicina holística, mas sua visão desinformada e eloquente está fora da realidade.

  4. Christian Messias Responder

    Todo médico estudante de universidade pública deve no mínimo trabalhar por 2 anos nos hospitais públicos brasileiros, antes de ir para a iniciativa privada. Quer benefício maior que estudar numa instituição para pelo contribuinte? Se vc morasse num município onde quem atende e receita são os enfermeiros por que não tem médico ou o mesmo está na “sua” clínica, ai eu queria ver se sua visão revoltista continuaria intacta.

    1. Herbo Responder

      porque só médico ?

    2. Luciane Responder

      Por que só o médico deve “devolver” o que foi recebido na faculdade??? O ensino público não é de graça, aliás nada é de graça nesse país , imposto todos pagamos muito! Então todos os estudantes de qualquer área, deveria prestar serviços à comunidades carentes: dentistas, enfermeiros, advogados, assistentes sociais, fisioterapeutas,etc.
      A idéia de trazer os médicos cubanos pra mudar a estrutura de sáude do país é muito distorcida, o governo precisa investir mais, fazer saúde pública de verdade, se quer ter os números de Cuba, não vai ser trazendo os profissionais de lá para trabalhar em nossa estrutura falida que vai resolver, sim eu acredito que eles são competentes na atenção primária, mas eles são só uma peça do quebra -cabeça… não vai resolver… temos mão de obra aqui, é necessário se repensar o modelo da escola médica do nosso país e formarmos mais médicos generalistas, prontos para atuar na atenção primária, e que eles tenham condições para trabalhar em todos os municípios do país. Claro que isso não vai acontecer do dia pra noite, se faz necessário muito investimento, esforço, trabalho sério…
      Esse governo não quer resolver o problema da saúde pública do país , esse governo apenas quer se eleger novamente…

  5. Cledson Ventura Responder

    O motivo para a não interiorização dos médicos não é a falta de profissionais e nem o valor dos salários É A FALTA DE ESTRUTURA, que impossibilita todos nós de trabalhar com dignidade e eficácia, sem estrutura nada poderemos fazer pelo povo. também não é possível aplicar a medicina que nos aprendemos na faculdade onde falta luva, fio
    de sutura, equipamentos de raio-x e outros exames complementares
    básicos para a saúde. seria interessante pesquisar a fundo o motivo da não interiorização dos médicos ao invés de publicar o senso comum.
    Agora se você acha interessante ser cuidado por um médico, com a
    formação duvidosa ( não passou no revalida e estudou um modelo de
    medicina de outro país, onde a epidemiologia é diferente) e sem acesso a
    equipamentos básicos de diagnóstico, então realmente você pode
    concordar com a vinda deles, mas saiba do risco de iatrogenias
    provocando mortes e comorbidades, tome cuidado também para quem você levará
    os seus parentes a partir de agora, o médico que está o tratando pode
    não está preparado. Garanto a vocês, o governo está tomando a ATITUDE MAIS BARATA para tentar resolver o problema, ( na verdade é uma enganação populista) mas so vai agrava-lo, devido ao maior risco de iatrogenias, ai eu pergunto, quem é o mesquinho agora?

  6. Cledson Ventura Responder

    E o governo tem o dever de investir no interior para que os médicos trabalhem, médicos não são mágicos para trabalhar onde falta tudo: luvas, fios de sutura, medicamentos, raio-x e etc. A vinda dos cubanos só vai passar uma falsa idéia para a população de que o governo está fazendo alguma coisa, porque não vao conseguir trabalhar tbm, ninguem quer arriscar o CRM e várias noites de sono, por não conseguir cuidar da saúde das pessoas. Se o governo quer a interiorização de médicos, invista em estrutura !

  7. Cledson Ventura Responder

    você colocaria a sua saúde nas mãos de um médico que não conseguiu se mostrar apto no revalida? saiba que pode ser qualquer tipo de médico, até o bom médico que não teve sorte, como o mal médico que não está preparado.

    1. Livia Responder

      E cade o revalida pros formados no Brasil?

      Se formos falar de competência, aqui no Brasil tem tanto médico incompetente/despreparado como em qualquer outro país!

      Ah se tivesse um revalida pros formados aqui… aí a porca ia torcer o rabo!!

      1. marcilio Responder

        Argumentar que os medicos cubanos terao treinamento de alguns poucos meses no idioma português…..mas os cubanos estao acostumados a tratar pobres de recursos, alem disso o dia a dia fara uma imersao no português e alem do mais o idioma e muito proximo, ha! so pra finalizar,quantas pesoas nao entendem o que um medico Brasileiro vindo da Elite e que estudou nos melhores colegios escreve nas receitas??? muitas veses impossivel de ler!!!! fato!!!! Bem vindo cubanos! vcs terao uma luta pela frente, que sera a oposicao dos medicos brasileiros cooporativistas e mercantilistas! forca estou com vcs, o povo precisa de vcs!!!

  8. Cledson Ventura Responder

    kkkkk, só posso rir do seu comentário.ISSO, por causa da música deles, confie a sua saúde a um médico que siquer foi testado, ele pode tanto ser um bom médico como pode ser um charlatão qualquer, pense também, que o governo não vai dar estrutura pra esse médico( esse é o motivo da não interiorização dos médicos brasileiros), e aposte o seu bem mais precioso, a sua vida em um profissional com formação duvidosa ( ele nem siquer foi testado) que nem equipamento para te examinar ele vai ter.

  9. juliana Responder

    atualmente existe o FIES e se, como estudante de medicina de faculdade estrangeira, vc quer voltar a trabalhar no Brasil, preste a prova de validaçao do seu diploma. fugir do vestibular pra estudar fora e depois voltar é uma soluçao meio facil tb.

  10. Cristiane Wolff Dick Responder

    LOGO Q ESSA NOTÍCIA SAIU NOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO, TEVE GENTE FALANDO Q NÃO APROVA A VINDA DOS MÉDICOS CUBANOS, DIZEM QUE A PROVA DE REVALIDAÇÃO DE DIPLOMAS MOSTRA UM BAIXO ÍNDICE DE APROVAÇÃO, MAS EU QUERIA MUITO VER ESSE ÍNDICE, SE ESSA “PROVA” FOSSE APLICADA AOS MÉDICOS FORMADOS NO NOSSO PAÍS.

  11. dyego Responder

    Vamos observar outro lado ainda. O governo nesses últimos 8 anos liberou a abertura descontrolada de faculdades de medicina, agora o mesmo vem dizer que os médicos não querem ir para este ou aquele lugar. Será que o problema são os médicos ou falta de condições de trabalho. Além disso, qual o problema de fazer o REVALIDA? Fiz meu irmão (1º bimestre do 1º período) fazer a prova, sabe o resultado? em no máximo 1 ano tenho certeza que o mesmo passaria. Agora difícil é explicar o motivo para o qual de mais de 600 que se prestaram ao exame ano passado, menos de 70 foram aprovados. Esse é o médico que o governo quer, médico com intuito de ganhar votos. Além do mais, quem garante que após chegar esses mesmo não migram para a capital e se tornam mais um tiro no pé do governo?

  12. Paulo Andrade Responder

    Falou tudo…

  13. Lari Responder

    A verdade é que, a grande maioria da classe médica não gosta de trabalhar, gosta de ter emprego. Duvido que algum de vocês ai, que se dizem “abdicar da vida normal” aceitariam um emprego com salario de 10 mil e jornada de trabalho de 40 hrs semanal. Duvido muito! E isso tudo porque o que vocês querem mesmo é ter 3 empregos trabalhando só 2 dias na semana e ganhar o triplo disso! Depois, melhor não criticar os médicos cubanos, uma vez que a educação brasileira não é lá esse exemplo de excelência, não é mesmo? Principalmente com tanta faculdade particular que, tem facilitado a entrada de estudantes sem preparação e o pior, sem a minima vocação pra coisa!
    Tudo isso é lamentável!
    E eu quero é que venha médico cubano, americano, africano e tudo mais que há. Porque se tratar com esses “doutorezinhos” daqui e os de Cuba vai dar no mesmo.

    Vão trabalhar e pensar menos em dinheiro, é o melhor a ser feito!

  14. renato quintana Responder

    Quem é esse idiota que escreveu esta matéria? Certamente é um partidário deste governo corruPTo que está se perpetuamente sorrateiramente no governo!

  15. Glaucia Responder

    não se engane, a culpa dos pacientes estarem nos corredores é do governo, a equipe de saúde que está lá trabalhando também é vítimas deste descaso.

  16. Karla Cintia de Olieira Responder

    Se o modelo cubano de medicina é tão bom então porque não estamos sendo agraciados com esta enorme sabedoria em nossas universidades ? Não seria mais justo capacitar os nossos médicos ao invés de desqualifica-los arbitrariamente? Que se importe o modelo então ao invés e descartar o material HUMANO já existente no país porque por trás desta discussão não existe só uma “elite de classe média alta” afim de encher o c… de grana, há tbm diversos imbecis que como eu acreditaram que estudar e trabalhar desde os 16 anos de idade, lhes permitiria fazer diferença no cenário de saúde do pais. Se algo adoeceu e tirou o tesão dos médicos brasileiros foi o próprio sistema e sua de política de gestão em saúde pública e não há quem fique chocado com a solução da nossa Presidente: descartar os “doentes”. Ah! lembrei…médico não adoece só gente.

  17. Antônio Pontes Responder

    Sou à favor de acabar com a fome na ÁFRICA também, vamos mandar 6.000 cozinheiros franceses para lá, assim acabaremos com a fome. É demais brincar com minha inteligência de achar que não é uma proposta eleitoreira de quem não tem condições de resolver os problemas do pais e gasta bilhões com uma copa do mundo que será uma vergonha MUNDIAL!!!!

  18. Elisabete Torii Responder

    Maravilhoso artigo, precioso mesmo. Chego a ficar grata à gritaria idiota do CFM e cidadãos desinformados em geral, porque deram o motivo para eu ter esta aula sobre os sistemas médicos do Brasil e de Cuba. Viva Cuba!

  19. silvio Responder

    gostei da ideia!!!! Vamos importar políticos, principalmente para o poder Executivo.

  20. Nana Responder

    Cleide, então faz o seguinte para todos nós. Reuna seus colegas brasileiros, caso sejam médicos, e, num ato público, abdiquem dos seus CRM`s, e se submetam ao Revalida como manifesto/apelo para que o exame seja aplicado para todos, ok? Ai vocês alegam nos jornais (porque a nobre atitude vai chamar bastante atenção) que só vão atuar na medicina se passarem no Revalida, porque é fundamental que todos sejam avaliados.

    Façam isso por nós, pobres pacientes.

    Sem esse tipo de atitude honesta por parte dos médicos brasileiros centrados nesse pseudo-movimento Pro-Revalida, nao defenderia esse corporativismo de forma alguma, evidentemente.

    Acho que deixei claro, desde o princípio, que a necessidade de um exame para todos é o óbvio ululante. Mas a hipocrisia e oportunismo de parte dessa classe médica é algo que tenho asco. Apenas isso. Leia o texto de Pedro Saraiva (médico) sobre isso e pense melhor, também.

    Veja também o artigo sobre a medicina preventiva cubana na New England Journal of Medicine, a revista mais respeitada de medicina do mundo, antes de sair por aí denegrindo o modelo cubano que exporta médicos para mais de 70 países há anos, incluindo países de alto desenvolvimento.

  21. Adilson Responder

    Ha muitos exemplos de locais que foram instalados, com equipamentos e recursos e nem assim houve exito, os médicos não foram e não vão para lá, devido as localizações e condições que eles não estão acostumados e ainda longe de suas familias, que são principalmente do sul e sudeste. A classe médica, como qualquer outra classe, não quer ir para os fundões, nós queremos boas instalações, onde tenha bons restaurantes, teatros e entreterimentos no geral, estar perto da familia, boas estradas, aeroportos et. Não podemos falar, que estão errados, nós queremos o melhor sempre, mas há uma necessidade não atendida, que são os interiores, principalmente no norte e nordeste do país e enquanto não se tomar decisões corajosas como esta, de trazer esses médicos de Cuba, Portugal ou Espanha, essa situação não mudara, na atual situação economica que esses paises vivem, é uma oportunidade única para o Brasil, e para esses lugares desamparados. Existe muita polemica sobre as condições desses lugares, com certeza são ruins, mas enquanto não existir profissionais, para reclamarem essas necessidades e até brigar por elas, isso fica no vazio.

    E falando da qualificação desses profissionais, isso é outro ponto a ser ponderado, já houve muitos casos de charlatões estarem, atendendo, operando e matando e não foi nos sertões que isso aconteceu e outros ainda, que quando vão te atender nem olha na sua cara, então a classe médica, que é tão fechada e conivente com muitos absurdos e abusos, não deve ser tão extremista como esta sendo, deveria estar ajudando a resolver os problemas que existe com uma tentativa como essa, com opniões e experiência que poderiam facilitar essa inclusão, nesse mundo tão carente que é a saúde publica.

  22. Mami Responder

    Só gostaria de saber duas coisas: o governo irá fazer o pagamento aos médicos? E os médicos cubanos virão por livre e espontânea vontade, para um lugar ermo que ninguém quer ir?

  23. Joao Gualberto Jr Diniz Responder

    Enquanto isso nossos governantes…. Dilma e ex Lula continuam se tratando nos hospitais mais bem equipados do pais!!!!!! Hospitais privados e com medicos de excelencia

  24. joanderson lima Responder

    São poucos os médicos cubanos ou que se formaram em Cuba que
    conseguem atuar no Brasil. “São bem vindos os médicos formados no exterior e
    que passam pela revalidação legal de seu diploma para exercer sua função. Não
    questionamos a importação de médicos, desde que eles passem pela revalidação.
    Hoje, por exemplo, nós temos 299 médicos formados no exterior registrados no
    Conselho. Desses, apenas 37 tem diploma de Cuba”.

    A revalidação e o registro é a garantia de que o médico
    possa exercer bem sua função. O processo consiste em três etapas. Na primeira,
    o médico precisa apresentar sua grade curricular( no Brasil tem curso de sus
    ela em Cuba nao), pois ela precisa ser semelhante à brasileira. Na segunda
    etapa, ele precisa fazer a prova escrita. Somente se passar por essas fases o
    médico faz a prova prática.

    A PERGUNTA QUE NÃO CALA: e o povo brasileiro que vive nos
    lugares onde não tem médicos os médicos brasileiros não querem ir trabalhar lá
    irão continuar sem assistência à saúde? Estão aqui querendo ideologizar a
    questão. Sou a favor de que venham médicos de qualquer país do mundo, em
    caráter temporário, e desde que prestem os serviços nas regiões onde precisam.
    Essa gente precisa saber que o Brasil é um continente (não é apenas o sul e
    sudeste desenvolvidos) e tem muitas carências. E pegar ou largar, precisamos
    dos médicos pra já. QUER DIZER QUE AS MULHERES QUE RESIDEM NOS CONFINS DA
    AMAZÔNIA, POR EXEMPLO, NUNCA IRÃO TER DIREITO A SER ASSISTIDA POR UM
    GINECOLOGISTA??? Isso é um absurdo, o governo federal precisa quebrar essa
    reserva de mercado dos médicos brasileiros!

    os médicos formados em Cuba são especialistas em PSF. Na
    ilha socialista há, em média, um médico para cada 170 pacientes, sendo um
    número superior ao dos Estados Unidos, que tem um para 188 pacientes, segundo a
    Organização Mundial de Saúde.

  25. joanderson lima Responder

    São poucos os médicos cubanos ou que se formaram em Cuba que
    conseguem atuar no Brasil. “São bem vindos os médicos formados no exterior e
    que passam pela revalidação legal de seu diploma para exercer sua função. Não
    questionamos a importação de médicos, desde que eles passem pela revalidação.
    Hoje, por exemplo, nós temos 299 médicos formados no exterior registrados no
    Conselho. Desses, apenas 37 tem diploma de Cuba”.

    A revalidação e o registro é a garantia de que o médico
    possa exercer bem sua função. O processo consiste em três etapas. Na primeira,
    o médico precisa apresentar sua grade curricular( no Brasil tem curso de sus
    ela em Cuba nao), pois ela precisa ser semelhante à brasileira. Na segunda
    etapa, ele precisa fazer a prova escrita. Somente se passar por essas fases o
    médico faz a prova prática.

    A PERGUNTA QUE NÃO CALA: e o povo brasileiro que vive nos
    lugares onde não tem médicos os médicos brasileiros não querem ir trabalhar lá
    irão continuar sem assistência à saúde? Estão aqui querendo ideologizar a
    questão. Sou a favor de que venham médicos de qualquer país do mundo, em
    caráter temporário, e desde que prestem os serviços nas regiões onde precisam.
    Essa gente precisa saber que o Brasil é um continente (não é apenas o sul e
    sudeste desenvolvidos) e tem muitas carências. E pegar ou largar, precisamos
    dos médicos pra já. QUER DIZER QUE AS MULHERES QUE RESIDEM NOS CONFINS DA
    AMAZÔNIA, POR EXEMPLO, NUNCA IRÃO TER DIREITO A SER ASSISTIDA POR UM
    GINECOLOGISTA??? Isso é um absurdo, o governo federal precisa quebrar essa
    reserva de mercado dos médicos brasileiros!
    Joanderson Lima

  26. Paulo Henrique Macedo Responder

    Nossos governantes querem adotar um modelo de saúde pública que deu certo em Cuba, mas que no Brasil pode ser um fiasco, fracasso na certa.
    Lá, segundo estudos apontados pela OMS, a saúde funciona, pois o Estado realmente cumpre com suas obrigações para com a sociedade, como: Educação de qualidade, sistema de saúde que funciona e liberdade religiosa e de associação. Só para se ter uma ideia, Cuba investe, mesmo com o bloqueio econômico, 18% de seu PIB em saúde, já aqui o percentual não passa de 5%. Não vou nem comparar Cuba e Brasil no quesito educação para não chorar. É vergonhoso!
    Não é caso brasileiro, creio que todos nós temos noção clara de que a única política que funciona por aqui é a do pão e circo (bolsas famílias da vida e futebol). É notório que nossos políticos não tem compromisso com o desenvolvimento da nação, o que vale para esses abutres é o desenvolvimento de suas próprias contas bancárias. Infelizmente!
    Trazer médicos cubanos não resolverá um problema de gestão pública e de compromisso social!
    Sim, sou à favor de Revalida, não por duvidar da qualidade do ensino de profissionais vindos de outros países, mas por achar que a Medicina não é apenas o estudo de patologias, e sim uma questão, acima de tudo, social.
    Ninguém melhor que um brasileiro para conhecer a sociedade em que vive e assim, de pose desses conhecimentos e vivência, tratá-la com o devido compromisso.
    Questionar se nas faculdades de Medicina estão pessoas que estão aptas à dedicar a vida em prol da saúde da sociedade em geral (ricos, pobres, classe média, classe baixa, amarelo, roxo, vermelho, azul, asiático, negro, branco, índio) é uma outra questão que não cabe à discussão.

    “(…)Dos filhos deste solo és mãe gentil,
    Pátria amada, Brasil!(…)”

  27. Carlos Coimbra Responder

    Que tanto médico cubano assim existe em disponibilidade naquele país para ser distribuído mundo á fora ?
    Que eu saiba,salve engano,só existem duas faculdades de medicina em Cuba e que formam,no total, 220 médicos por ano…..como pode haver 6000 médicos em disponibilidade naquele país ?
    Algo deve estar errado nessa nova ESTÓRIA do governo dos Petralhas….
    O perigo já foi alertado :…… Cubanos,pseudos médicos,vestidos de jalecos brancos se distribuindo pelo interior do Brasil implantando células terroristas por todo o nosso território e executando assim o plano lulista-bolivariano do alto eacalão do
    Partido do Trambique que tem como objetivo transformar nosso páis numa

    ditadura Bolchevique………..nada mais…..só isso….
    A ABIIN já alertou os brasileiros sobre isso…..a revista VEJA já divulgou essa

    aberração.

  28. Miriane Gnau Responder

    Nao sou contra trazer médicos como parte da solucao, mas tbm tem que investir na infraestrutura, os médicos estrangeiros nao vao fazer milagres! Mas, pense comigo, vc acha que os médicos portugueses e espanhóis, por pior que esteja a situacao na Europa, vao trabalhar no meio da floresta, por 8 mil reais ( menos de 4 mil euros) ? Nao, eu acho que nao. Eles vao trabalhar na Inglaterra, na Austrália, no Canadá ou em Dubai. Quem vai entao? Os cubanos. Eu nao tenho nada contra os médicos cubanos, tenho certeza que sao bons médicos, mas eles nao sao livres para escolher! Sao obrigados pelo Governo comunista a trabalharem em lugares onde nenhum outro médico desse mundo quer ir trabalhar. Os governos locais pagam cerca de 3 mil dólares ao Estado Cubano e os médicos recebem 300. Vamos ter escravos do comunismo atendendo a populacao carente, grande solucao! Se querem médicos estrangeiros, que permitam que médicos do mundo inteiro se candidatem, e que fiquem os que passarem nos exames necessários! Exames para validar o diploma de profissionais estrangeiros sao aplicados em qualquer país sério desse mundo, por que nao no Brasil? Vc estao doidos? Se o Conselho nao o fizer, e alguém da sua família morrer na mao de um médico desse, vc vai achar lindo? …Essa história de trazer médicos cubanos tem por trás um plano sórdido, das alas mais radicais do Governo do PT, para ajudar o regime totalitário de Cuba, com o nosso dinheiro!

  29. Miriane Gnau Responder

    …Essa história de trazer médicos cubanos tem por trás um plano sórdido, das alas mais radicais do Governo do PT, para ajudar o regime totalitário de Cuba, com o nosso dinheiro!

  30. Marcela Responder

    Manipulação de Estatísticas:

    A “impressionante” mortalidade infantil cubana é mantida artificialmente baixa pelas trapaças estatísticas do Partido Comunista e por uma taxa de aborto verdadeiramente pavorosa: 0,71 abortos para cada feto nascido vivo. Essa é, de longe, a taxa mais alta do hemisfério. Em Cuba, qualquer gestação que sequer insinue alguma complicação é “terminada”.

    Também digno de nota, de acordo com a Associação dos Médicos e Cirurgiões Americanos, a taxa de mortalidade das crianças cubanas com idade entre um e quatro anos é 34% maior do que a dos EUA (11,8 versus 8,8 por 1.000). Mas estes números – por uma questão de critério – não figuram nas notórias “taxas de mortalidade infantil” da ONU e da Organização Mundial de Saúde. Portanto, não há pressão sobre os médicos cubanos para que eles falsifiquem esses números – por enquanto.

    Em abril de 2001, o Dr. Juan Felipe García, de Jacksonville, Flórida, entrevistou vários médicos que haviam desertado recentemente de Cuba. Baseado no que ouviu, ele declarou o seguinte: “Os números oficiais da mortalidade infantil de Cuba são uma farsa. Os pediatras cubanos constantemente falsificam os números a pedido do regime. Se um bebê morre durante seu primeiro ano de vida, os médicos declaram que ele era mais velho. Caso contrário, tal lapso pode custar-lhe severas punições, além do seu emprego.”

  31. Livia Responder

    Então melhor deixar a população morrer sem estrutura e sem médicos né?
    Como os povos antigos se curavam se não havia estrutura? Havia conhecimento, pelo menos.. e nem isso não é aplicado. Só se pensa em estrutura.. estrutura! Pode ter ctz q um médico, mesmo sem estrutura, faz a diferença (o médico que tem o mínimo de conhecimento, é claro!)

    1. Flávia Jaine Responder

      Concordo, Lívia. Óbvio que uma boa estrutura é importante, mas a falta dela não é motivo pra deixar a população carente de lado. Os médicos de antigamente aprendiam a lidar com o paciente de uma forma mais direta e perspicaz devido a falta de estruturas. Um bom médico saberá lidar com os pacientes mesmo com escassez de certos investimentos. Claro que o governo deve investir muito na saúde, mas enquanto isso não acontece os médicos poderiam fazer o máximo para salvar as vidas.

  32. Livia Responder

    É, concordo que deveria ser obrigatório o exame.
    Meu, hoje, se vc for no médico e já não der uma sugestão pra ele de que doença vc tem.. neguinho simplesmente não descobre a doença ou fala que é uma virose! Isso acontece por todos os cantos… é só falar com as pessoas que vc ve que é assim que acontece!
    Pra quem estuda 6 anos (fora a residência , se gaba tanto por ser médico, é muito despreparo!!

    1. Armando Cury FIlho Responder

      Especialmente no caso dos médicos brasileiros, que costumam ser bem alienados e se julgam os donos da verdade.

      Eu mesmo fui vítima de erro médico.

      Médico brasileiro é cafajeste. Historicamente, os indivíduos se formavam como médicos para pertencer à classe dominante, à classe alta.

  33. Livia Responder

    Claro, eles são os únicos profissionais que fazem sacrifícios da vida particular!
    A ‘vida comum’ que ele falou, deve ser a pobreza.. pq eles todos são ricos!

  34. Livia Responder

    Os cubanos, com ctz, são tão bons quanto os médicos daqui. A diferença é que aqui não se aplica nenhum “revalida”. Se o governo começasse aplicar exame aqui, veríamos quantos passariam.
    Pode ter médico despreparado lá, mas aqui tb tem, e muitos!
    Da mesma forma que tem técnicos/auxiliares de enfermagem mal preparados que aplicam leite na veia do paciente e o mata.
    Tem profissional mal preparado em todo lugar, em todas as áreas.. Que tal começar aplicar exames em todo mundo do Brasil?
    Muitos daqui iam sambar (no mau sentido)!!

  35. Livia Responder

    TÁ TODO MUNDO ESQUECENDO DA POPULAÇÃO E SÓ PENSANDO NA CLASSE MÉDICA.
    A POPULAÇÃO PRECISA DE ATENDIMENTO PRA ONTEM.. AS PESSOAS ESTÃO MORRENDO!

  36. Paulo Roberto Leite Responder

    Que falta médico no país é indiscutível. Há vagas para médicos em toda grande São Paulo e os salários não são baixos. Os médicos “trabalham” em vários empregos e poucos cumprem sua jornada devida.
    Essa balela de que não tem condições de trabalho etc. é tudo desculpa pra fugir da questão objetiva: o Brasil tem um médico para cada 3,5 vagas e a maioria desses profissionais não quer sair dos grande centros, mesmo com os salários altíssimos que alguns municípios oferecem.
    Em todos os países existem médicos estrangeiros atuando normalmente, por que aqui tem que ser diferente? Medo de concorrência mais capacitada????
    Lamentável essa reserva de mercado assassina que exclui milhares do atendimento médico. Se não querem atender nos locais onde mais se necessita de médicos, deixem os que se dispõe a isso fazê-lo. É uma questão de respeito ao ser humano e, acreditem, pobre também é humano.

  37. Angelo Bonateli Neto Responder

    Vejam essa matéria, aqueles que apoiam a revalida super neutra proposta pelo CFM http://www.cremesp.org.br/?siteAcao=NoticiasC&id=2715
    Tb é interessante lembrar que os países mais ricos (e consequentemente com mais estrutura, melhores salários e condições + dignas de trabalho) importam muito mais médicos do que o Brasil. Acho muito interessante olhar número e procurar informações seguras antes de acreditar numa elite médica corporativista que tem como único objetivo o lucro e agora resolve posar de coitados preocupados com a saúde da população.

    1. marcilio Responder

      Falou tudo Angelo!

  38. Livia Cardoso Responder

    O governo junto com CFM devem entrar em acordo e irem na causa do problema investindo nos medicos brasileiros e fazendo melhor distribuicao desses profissionais para cada estado, valorizando e dando condicoes dignas de trabalhos para os mesmos. Para depois pensarem em contratar medicos estrangeiros e terem gastos com isso. Pois a populacao que depende do SUS sao os maiores prejudicados nessa história!

  39. Flavia Guimaraes Responder

    Vamos fazer uma campanha nacional para a criação de um hospital cubano na capital federal para tratamento da presidente , dos deputados e senadores brasileiros.

  40. Antonio Araujo Responder

    Esse Rafa deve ser mais um burguês que estudou a vida toda em colégios particulares para poder entrar nas faculdades Publicas/Federais, e depois de formado não contribuir ao sistema publico em PRN, mais deve ter sua clinica particular indo muito bem obrigado, e para completar o orçamento atende muito que mal os pacientes do SUS. Isto é a cabeça dessa elite burra do Brasil.!

  41. Isa s Responder

    Melhorem seus serviços e as condições de atendimento e verão a demanda diminuir. por q assim a pessoa num precisa voltar no plantão do próximo medico para terminar de se examinada ou quem sabe medicada, num caso de saúde publica ou seja de descaso os médicos que mandam, a população que não PAGA obedece.volta p casa com metade de um atendimento ou nem atendida por q o médico chegou as 10 hrs ao invés de as 7hrs e foi embora as 11hrs, azar o seu paciente que não PAGA, ele tinha que atender no consultório particular dele,infelizmente eh assim senti no meu próprio corpo.E tendo eu sabido o que é um atendimento por um médico cubano digo, ele chegou as 7 hrs foi embora as 12 hrs e atendeu todo mundo do dia, examinou, diagnosticou e prestou atenção em mim e ouviu minhas queixas , me receitou remédios que funcionaram e pediu que eu voltasse caso não me recuperasse.E além de tudo isso não parecem deuses e nem se comportam como tal, me senti sendo atendida numa clinica particular rs. Mas essa é somente minha experiência pessoal. Sou confeccionista de roupas e o governo importa roupas da china que são mais baratas que as minhas, mas mesmo assim eu ainda tenho espaço pras minhas por que me esforço pra oferecer o melhor de mim seja o preço que for, mais barato, mais caro tanto faz , ainda é o melhor de mim.

  42. JONES Responder

    . Os mais de 30 mil médicos espalhados pelo mundo permanecem fiéis aos compromissos sociais de quem teve todo o ensino pago pelo Estado… ESSES POBRES COITADOS SÃO ESCRAVIZADOS PELO REGIME CUBANO E TEM TODO UM ESQUEMA MONTADO PARA QUE ELES NÃO DESERTEM E SUMAM ADENTRO DO PAÍS TEM CUBANO FUGINDO A NADO PARA OS EUA. ESSE BLA BLA BLA ESQUERDOPATA ENALTECENDO CUBA NÃO FALA COMO É EXATAMENTE O REGIME AUTORITÁRIO QUE É CUBA

  43. Mariana Responder

    Quem faz a SAÚDE de um país é o GOVERNO,e não os médicos!
    Se a precariedade de nossa saúde fosse culpa deles(médicos),não seria culpa de nossos professores a péssima qualidade da educação no país,por exemplo??
    Acho que não,né?
    Eu acho muito fácil falar que os médicos são “um bando de capitalistas” enquanto você vai trabalhar e senta sua bunda em um emprego digno,com salário certo no fim do mês,com um plano de crescimento em seu emprego e com todo o equipamento que você precisa para fazer seu trabalho da maneira correta e sem riscos.
    Vamos mandar médicos cubanos para o interior do Brasil!.Acho certo também mandar professores cubanos para escolas públicas do interior caindo aos pedaços,sem carteiras,sem cadernos,sem lousa,sem merenda,já que serão os cubanos que livrarão o Brasil de suas mazelas.

  44. marcilio Responder

    lembrando:
    medicos brasileiros tambem nao fazem prova de validacao!

  45. lao Responder

    Eles querem sair de Cuba a qualquer custo, até mesmo com a imposição feita pelo o governo de Cuba, que 90% do salário dos cubanos, isto R$9.000,00 será destinado ao governo Cubano e o trabalhador ficará somente com R$1.000,00. Etaaaaaaaa escravidão filhodaputa e tem gente dizendo que Cuba é bom, vai pra lá. E o pior é que o Brasil aceita esse tipo de COVARDIA. Dos PTralhas não se espera muita coisa. Para quem tem um Presidente do Senado que emitiu notas fiscais frias e um Presidente da Repúbrica que no passado assaltava bancos.Você espera mais alguma coisa?

  46. antonio cardoso pereira Responder

    O papel aceita tudo.

    Revalidação de diplomas já.

    Guerrilha nunca.

  47. Sodré Neto Responder

    Flanelinhas disputam território a facas, traficantes a tiros, as mafias de varias instituições corruptas reagem violentamente quando percebem concorrência, sejam politicas, policiais, religiosas, e enfim, agora, a grande máfia da saúde representada , mantida e concubinada por muitos médicos brasileiros, mostraram sua cara a população.

    Um amigo que tem mestrado em administração hospitalar me disse que das áreas que ele administrou e não foram poucas, essa é a área mais corrupta que ele viu. Então pasmem, pois falta muito ainda ser mostrado do descaratismo que a medicina brasileira está enfiada. O processo de revelação do mal caratismo que produziu este sistema de regalias e protecionismo aos médicos no Brasil, produziu muito mais absurdos que o cidadão possa imaginar, o que vemos destes cearenses dando “bandeira” é apenas a ponta do iceberg!

    O poder corrompe, “quer conhecer o carater de alguem dê-lhe poder”, já dizia Lincoln, e como somos todos pecadores, não é dificil prever que desgraça o exagero de ganhos e privilegios pode produzir em qualquer um de nós, inclusive no ser humano médico.

    Assim como reis bem pagos, cheios de regalias, prestigio, propina daqui e dali, se enchem de arrogancia e corrupção, assim médicos se enchem de propinas de laboratórios, de farmácias, de cada exame que encaminham ganham uma comissão, de cada suprimento usado numa cirurgia um percentual , de cada procedimento a mais, ganham mais – aglutinam todas as funções e nada sem a orientação deles se faz. Se vc vai fotografar por meio de ultrasson, só o médico pode fazer esta tarefinha em geral extremamente simples.

    Então se tornaram os senhores do espaço feudal . Muito poder para eles se considerarem semi-deuses, duques e duquezas, condes e condessas da idade média vivendo entre a plebe atual. Diante de nós no consultório, onde vc fica até inibido de questionar, discordar, perguntar e ocupar o tempo daquela pessoa super requisitada e concorrida…atrás de tanta pompa, tantos salarios, tantas propinas, nasce a arrogância de um poder ameaçado agora pela concorrência de pares.

    No Brasil dos miseráveis, eles nadam de braçada em cima da desgraça e da doença. Da morte tiram lucro, diante do câncer festejam um procedimento bem pago com altas percentuais por cada quimioterápico aplicado. Diante de uma cirurgia cardíaca já contabilizam mais de 10 mil reais por usarem um kit consignado. Se alguem morre seus procedimentos só podem ser revistos por meio de ação judicial .

    Protegidos, bem pagos e solitários no mercado, embalados por uma idolatria do “seu doutor mandou” exercem seu poder, se tornam politicos, prefeitos e donos da terra . Mas agora enfim, revelam de que espécie são ou foram produzidos por este sistema cheio de graça da desgraça de coisas , por este sistema que lhes privilegiava tanto, lhes mimava tanto, que podemos comparar aqueles monstrinhos mimados produzidos por mães ultra complacentes!

    Para darem uma simples consulta, reúnem em torno de si uma fila imensa de miseráveis para ganhar o máximo possível de prestigio e de salarios da doença e suplicio alheio. Então, mesmo estando com as mãos feridas e cortadas pelo sofrimento da população, bato minhas palmas quanto mais se revelam, quanto mais se escancaram, quanto mais se esclarecem a população.

    O SBT ainda mostra como muitos ganham sem fazer nada , mas o pior é que o SBT e nós sabemos muito pouco ainda . Quando li estes links abaixo e vi que ainda sei muito pouco do abismo, de tão negro e assustador , senti como Nietzcsche, que não estava mais a olhar para ele , mas que o abismo moral da medicina é que está a nos olhar http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/ff3105201001.htm
    http://www.infectologia.org.br/default.asp?site_Acao=&paginaId=134&mNoti_Acao=mostraNoticia&noticiaId=17062

  48. cleuma Chaves Responder

    Engraçado, todo ano faculdades privadas colocam médicos de formação duvidosa no mercado, e o CONSELHO DE MEDICINA nunca se importou, aliás até tentou, mas como o exame foi uma fiasco, e ele ia mexer com muita gente grande, ele abafou o caso.. Como explicar essa preocupação com a qualidade agora…Como ??? Como??//

  49. Muleque Zóiudo Responder

    Em 1983 eu fiz uma cirurgia no dedo mindinho porque o cilindro pegou a ponta do meu dedo, e eu precisei fazer um enxerto. Era tirar um pedacinho da pele do meu pulso e colocar na ponta do dedo mindinho. Era uma cirurgia bem simples e rápida. O medico que tinha aplicado 4 picadas, sendo 3 no meu dedo e 1 no pulso. Ele usou meio vidro de xilocaína. E foi até a outra sala enquanto anestesia fazia efeito, só que ele deixou a prancheta com as anotações de materiais bem do meu lado, e eu comecei a ler: 3 vidros de xilocaína, 11 pares de luvas, 10 gases, 1 rolo de algodão, 2 rolos de esparadrapos 4 agulhas de sutura, 1 rolo de fio especial para costurar a pele, 2 vidros de Mertiolate. Ele só tinha usado na verdade 1 par de luvas, 1 agulha, 60 cm de fio especial, 1 chumacinho de algodão, 2 pecinhas de gaze, molhou um chumacinho de algodão no mertiolate e passou no ferimento, resumindo o medico estava roubando o hospital São José em Diadema SP. a corrupção está no sistema público todinho gente. A cirurgia foi feita em 40 minutos. Os nossos médicos também são bem suspeitos.

  50. helton Responder

    Não sei o que o babaca que escreveu sabe sobre médicos e sobre Cuba! Ouve o galo cantar não sabe onde e sai arrotando: os “medicos” se assim podem ser chamados(são técnico de saude publica e agentes politicos), defendidos por um ignorante que é o sr Lula, são tão incompetentes que têm medo de fazer a prova de revalidação como qualquer outro estrangeiro, mesmo os formados em Haward( a melhor do mundo) fazem. São pessoas que só aprendem o que interessa ao governo cubano. Não são médicos no sentido científico. ! Defendemos que um médico seja médico! Se o senhor acha que são bons, vá se tratar com um deles! Porque Dilma e Lula não trataram seus tumores em Cuba? Eles aprendem apenas sanitarismo e saude pública(politica) não sabem tratar doenças. Os infelizes que os defendem acham que podem fazer com o povo brasileiro o que fazem lá: É isto que temos ! é isto que terão. O governo não se interessa pelo cidadão. O foco é a economia popular. Não se trata de ciume,nosso; o povo tem o direito de se tratar como quer, não como o governo quer. Medico cubano não conhece medicina sofisticada porque é assim que o Fidel quer.( Ele deve ter uma formação médica excelente para impor seu método ao povocubno). Coorporativismo é o que faz o governo Dilma comprando médicos para mandar dinheiro pra ditadura cubana que est´falida(parte volta aos caixas do PT). Os cubanos são tecnicos de saúde publica e não medicos.

  51. helton Responder

    o autor insiste na tese marxista que os médicos tem que retribuir os gasto com sua formação: ôh incompetente! o que sustenta a faculdade pública são impostos pagos por todos nós, para que o governo retribua com SAUDE e EDUCAÇÂO. Ou seja nós pagamos pelo ensino! E porque só os médicos? Quantos estão presos por falta de advogados? Cade os enfermeiros e fisioterapeutas? Quantas escolas estão sem professor? sem psicologos, sem pedagogos! todo mundo estudou de graça, provavelmente até o infeliz que escreveu a materia estudou, mas deve ser petista de carteinha, empregado pelo partido! porque só medico tem que retribuir? O resto do mundo é santo?

  52. guilherme Responder

    Facil falar que nao precisa de infra estrutura pra atender mas entao aqueles que acham desnecessario podem ter seus filhos sem ultra som no pre natal, sem radiografias para avaliar a tosse que nao melhora nos seus filhos, uma tomografia para avaliar possivel apendicite ou calculo renal ou avc…falar sem conhecer eh muito bonito mas entao sente a bunda atras de um balcao pra atender 100 pessoas por dia e justifique para elas que voce ainda nao tem o dom de fazer milagres!!!pq somente santos nao precisam de dinheiro para comprar arroz, feijao e pagar a escola dos filhos….ah mas fiquem tranquilos porque o medico nao tem consciencia social e sim o PT que tem ao coloca o brasil com a terceira maior carga tributaria do mundo em troca recevemos servicos de pessima qualidade!!! Enquanto isso o povo vai sendo feito de palhaco e os medicos culpados pela corrupcao e incopetencia do PT.

  53. Armando Cury FIlho Responder

    Vocês não são capitalistas ???!!! Vocês são uns dos maiores monstros da humanidade !!! O inferno é pouco para vocÊs !!!

  54. Armando Cury FIlho Responder

    Parabéns pela postagem !

    Adorei isso !

    Foi muito inteligente ! Os médicos daqui é que deveriam fazer o exame, esses incompetentes !

  55. Armando Cury FIlho Responder

    Canalha é o médico, sim !

    Eles encobrem muita coisa errada !

    Médico é safado, não é santinho, não ! Não é ingênuo !

  56. Armando Cury FIlho Responder

    Se toca, Ana Alencar !

    A mulher já explicou ! O homem cobrou por fora, ou seja, se não pagasse não tinha cirurgia !

    É comum médico usar de extorsão !

  57. Ana Alencar Responder

    Sinceramente, quem defende q médico tem q trabalhar sem estrutura ou não sabe nada de saúde ou está com o plano de saúde pago e quer q pobre se f.. mesmo; cubanos são incompetentes e irresponsáveis pq SABEM q não falam português, SABEM q não tem conhecimento pra exercer medicina no Brasil (menos d 10% passaram em uma prova q 70% dos ESTUDANTES de medicina passaram e sem estudar); SABEM q podem matar alguém e mesmo assim vem pra cá com esse papo furado de vocação, de ajudar, de palpaçao; e vcs ficam pagando pau pra eles e dizendo q médico brasileiro é safado? quanta burrice! quantos erros deles vcs querem q eu aponte só nesses primeiros dias? não sabem nem passar
    amoxicilina, nem entubar paciente; e aos idiotizados petistas ou comunistas de iphone ou ignorantes por opçao: pobre não tem só verme não viu? pobre tem pressão alta, diabetes, infarto, derrame, acidente, fratura, queimadura, depressão! respeitem os pobres! a culpa de não ter médico no interior é dos prefeitos, caloteiros, safados e mentirosos! DUVIDO q qualquer um de vocês acha um CONCURSO pra médico com um salário q preste! Parem de vomitar sem nem digerir q a imprensa comprada joga em cima de vcs! Ah e não vem com essa idiotice de q médico q faz pública “deve” alguma coisa não; então TODOS os Profissionais de TODAS as profissões q fizeram pública DEVEM do mesmo jeito! Quero ver advogado ir trabalhar de graça na Defensoria pública! Quero ver engenheiro fazer obra de graça! Acham q médico é idiota? Idiotas são vocês! Tenham um pingo, um mínimo de senso crítico, pelo amor de Deus! O Brasil vai virar a Venezuela e vcs vão pra fila comprar papel higiênico!

  58. Armando Cury FIlho Responder

    Sartre mesmo já falou,o inferno são os outros.

    E eu encontrei um real demônio mesmo, chamado doutor Otelo, que trabalhou no Hospital do Servido Público Estadual. Ele me prescreveu oxandrolona, um esteróide sexual fortíssimo, sem nenhuma indicação lógica.

    Ficou por isso mesmo !

    Você que é um poço de rancor !

    E o que é pior, é o rancor de um monstro, porque você faz o mal e ainda acha que está, pasmem, certo !

    Você é um canalha e sempre será, pois é isento de senso crítico !

    Vocês são os piores médicos do mundo !

    E as piores pessoas também !

    Vocês são um lixo para vocês mesmos ! Veja a trajetória delinquente do doutor Uip, o amigão do Alkmin ( outro médico e monstro ! ).

    O canalha vetou que Santo André tenha faculdade de medicina !

    Nem para vocês mesmos vocês não prestam !

  59. Armando Cury FIlho Responder

    Médico brasileiro é muito bem papo.

    É a classe mais safada do Brasil !

    Eu mesmo precisava ser atendido quando, desesperado, entrei no corredor interno do PS e vi um médico velho, ” responsável “, se é que se pode usar essa palavra, pelo local e mais uns 6 outros jovens assistindo a corrida da fórmula 1 pela televisão !

    Pena o brasileiro não estudar, essa é uma classe sem classe, que devia ser monitorada bem de perto e com rigor !


x