Homem que depredou Prefeitura não é o mesmo que rasgou notas no carnaval

Tiago Ciro Tadeu Faria foi detido, prestou depoimento e foi liberado por falta de provas

404 0

Tiago Ciro Tadeu Faria foi detido, prestou depoimento e foi liberado por falta de provas  

Do SPressoSP 

Homem começou a quebrar as vidraças da Prefeitura e incentivava outras pessoas a fazerem o mesmo (Foto: Reprodução)

A Polícia Civil de São Paulo deteve um suspeito de ser o rapaz que aparece depredando o prédio da Prefeitura de São Paulo, e incentivando outras pessoas a fazer o mesmo, durante o protesto contra o aumento das tarifas de transporte público na capital paulista nesta terça-feira (18). A atitude do rapaz foi o estopim para uma série de depredações e saques no centro de São Paulo. Um carro da Rede Record foi incendiado no tumulto. Entretanto, o homem detido foi liberado por falta de provas.

Segundo o delegado  Osvaldo Nico Gonçalves, divisionário do Departamento de Capturas e Delegacias Especializadas (Decade), mensagens de internautas nas redes sociais informavam que o homem flagrado destruindo os vidros do prédio da Prefeitura na manifestação contra o aumento da tarifa do transporte público é o autônomo Tiago Ciro Tadeu Faria.

O rapaz detido é o mesmo que, em 2012, rasgou os votos na apuração do desfile das escolas de samba no carnaval paulistano, , dando início a um grande tumulto. Na época, Tiago declarou que tomou a atitude por que um grupo de dirigentes de escolas de samba teriam combinado de “melar” o carnaval para que nenhuma escola fosse rebaixada.

De acordo com Gonçalves, o rapaz detido prestou depoimento no 3º Distrito Policial, na Santa Ifigênia, e foi liberado porque não é o homem de máscara de gás e camiseta branca que depredava a Prefeitura. “Minha equipe foi prendê-lo como suspeito porque estavam postando mensagens no Facebook de que ele seria o vândalo, mas vimos que não é”, disse o delegado.

Os atos de vandalismo aconteceram depois que a maior parte dos manifestantes deixaram a Prefeitura e pacificamente foram até a Av.Paulista. Alguns manifestantes tentavam evitar que atos de vandalismo fossem cometidos, inclusive tentando proteger o prédio da Prefeitura com um cordão humano, mas não conseguiram deter aquelas pessoas que estavam dispostas ao tumulto. Por sua vez, a PM demorou para reprimir a ação dos vândalos. A Força Táctica só reprimiu os atos de vandalismo após três horas que as primeiras pedras foram lançadas contra a fachada da Prefeitura.

De acordo com informações da Polícia Militar, 56 pessoas foram presas por saques, no centro, e por vandalismo nas imediações da Rua Augusta.

(Atualizado às 15h48) 

Com informações do portal G1. 



No artigo

x