Veja aqui como foram os protestos contra corrupção no metrô e trem de SP

Manifestações contra o esquema no transporte sobre trilhos marcaram a quarta-feira (14) em São Paulo

829 0

Manifestações contra o esquema no transporte sobre trilhos marcaram a quarta-feira (14) em São Paulo

Da Redação

Nesta quarta-feira (14), acontecem dois protestos contra o esquema de corrupção do PSDB que teria desviado cerca de R$ 500 milhões das obras no Metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).

O Movimento Passe Livre e o Sindicato dos Metroviários de São Paulo convocaram um protesto a partir das 15h, no Vale do Anhangabaú. O PT e a CUT lideram um ato na Assembleia Legislativa de São Paulo pela criação da CPI do Metrô.

Acompanhe a cobertura, clique F5 para atualizar as informações:

21h30 – O deputado Luiz Claudio Marcolino (PT) afirmou no plenário da Assembleia que foram utilizadas balas de borracha contra a população hoje durante a manifestação em frente à Alesp, mesmo com o governador tendo declarado que esse tipo de armamento estava proibido (Informação de Felipe Rousselet).

21h29 – Vídeo mostra agência do Itaú sendo atacada na Avenida Liberdade, em São Paulo.

21h04 – O presidente da Câmara Municipal de São Paulo José Américo (PT) encerra sessão e diz a manifestantes que documentos da CPI dos Transportes estarão disponíveis em audiência pública na próxima quinta (15). Ele aconselhou os movimentos a elaborarem projeto de iniciativa popular para delegar ao Legislativo a tarefa de fixar o preço da passagem de ônibus. (Via Estadão)

20h52 – Imagem: manifestantes deixam a Câmara Municipal de São Paulo (Foto Igor Carvalho)

20h47 – Manifestantes decidem deixar a Câmara Municipal de São Paulo.

20h42 – Vereador Ricardo Young (PPS) se compromete com manifestantes a realizar audiência pública sobre a CPI dos Transportes na próxima quinta-feira (22). Os manifestantes da Assembleia Nacional de Estudantes-Livre (Anel) que ocupam a Câmara decidem se permanecem ou deixam o local.

20h36 – Imagens da manifestação na Câmara Municipal de São Paulo (Fotos de Igor Carvalho)

20h28 – Imagens de estilhaços de bombas de efeito moral utilizadas na repressão a manifestantes em frente à Alesp (Fotos Felipe Rousselet).

20h22 – Imagens da agência do Itaú depredada por manifestantes com o rosto coberto há cerca de uma hora, na Avenida Liberdade, região central de São Paulo (Fotos Cristina Uchôa)

20h20 – O deputado Luiz Claudio Marcolino diz que a bancada do PT na Alesp está saindo do plenário em solidariedade aos feridos na manifestação em frente à Assembleia.

20h14 – Eduardo Oliveira, que trabalhava como fotógrafo para o Sindicato dos Químicos de São Paulo na manifestação em frente à Alesp, foi ferido na ação da tropa de choque (Fotos de Felipe Rousselet)

20h10 – Manifestantes que decidiram ocupar a Câmara se encontram na galeria do Plenário (Informação de Igor Carvalho).

20h03 – Imagens dos feridos na ação policial contra manifestantes na Alesp (Fotos Paula Ribas)

19h59 – Para o presidente da Câmara Municipal, José Américo, fato de manifestantes terem desviado do mote original do protesto contra cartéis do metrô e da CPTM seria um “cavalo de pau político-ideológico”. “Se acontece na política tradicional, nos movimentos também.”

19h55 – Na Alesp, a tropa de choque atingiu 3 manifestantes com bala de borracha. (Via ascom/Dep. Luiz Cláudio Marcolino)

19h52 – Os dez manifestantes que subiram para a reunião com o presidente da Câmara de São Paulo, José Américo, não saem do prédio. Eles querem CPI dos Transportes e planilhas abertas e dizem que vão passar a noite na Câmara.

19h43 – A polícia havia colocado gradis no início da rampa de entrada da Alesp e manifestantes negociavam a entrada do restante do grupo que permanecia fora da Assembleia. Em dado momento, alguns manifestantes começaram a balançar os gradis e quando os derrubaram a tropa de choque reagiu disparando bombas de gás lacrimogêneo. Ao menos uma manifestante foi ferida no rosto, como mostra a foto abaixo de Felipe Rousselet. O nome dela é Severina Ramos do Amaral, da Central dos Movimentos Populares.

19h40 – Na Avenida Liberdade, quase na Praça da Sé, agência do banco Itaú é atacada por manifestantes com os rostos cobertos.

19h34 – Exclusivo: vídeo de Igor Carvalho mostra negociação entre o presidente da Câmara Municipal, José Américo (PT), e manifestantes.

19h23 – Tropa de Choque impede grupo de manifestantes de entrarem na Alesp. Outros grupos protestam  no plenário e no auditório Franco Montoro (Foto Felipe Rousselet)

19h21 – Deputado Adriano Diogo (PT), sobre declaração de Alckmin de que o estado de São Paulo é “vítima”: “O governador tem que explicar por que o estado é vítima e por que o cartel está há tantos anos no governo do PSDB. Eles não estão respondendo nada, só estão respondendo com ataques”. (Informação do repórter Felipe Rousselet)

19h17 – Manifestação na Rua Maria Paula, sentido único, pista interditada em frente à Câmara Municipal. No momento há 173 km de lentidão nas vias monitoradas pela CET. (Informação Twitter da CET-SP).

19h13 – Dez manifestantes conseguem entrar e serão recebidos pelo presidente da Câmara Municipal de São Paulo, José Américo. Igor Carvalho, da Fórum, é o único repórter que acompanha os manifestantes dentro da Câmara.

19h12 – Conflito generalizado em frente à Câmara Municipal de São Paulo:
http://twitcasting.tv/midianinja_sp

19h06 – Princípio de confronto entre PM e manifestantes em frente à Câmara de São Paulo (Foto Igor Carvalho).

19h05 – Hugo Fanton, da Assembleia Popular: “É no mínimo estranho ele [Alckmin] se dizer vítima, para não dizer cara de pau. Não é a primeira vez q surgem denúncias. São seguidas licitações. Aparentemente é uma forma de desviar o foco de uma denúncia que cai diretamente no colo do Executivo. Mas isso não nos surpreende. Eles se isentam de responsabilidade de tudo”. (Informação do repórter Felipe Rousselet)

18h57 – Professor Roberto Guido, na manifestação da Alesp: “O PSDB inventou uma nova modalidade de corrupção, na qual tem o corruptor, mas não tem o corrupto. A história de que o estado de São Paulo é vítima precisa ser desmascarada. O governo paulista tem sido o algoz das licitações e dos serviços públicos em nosso estado. Por isso estamos aqui, por uma CPI dos Transportes” (Informação do repórter Felipe Rousselet)

18h55No RJ: Polícia revista manifestantes e distribui panfletos contra violência em protestos (Via Agência Brasil).

18h50 – Deputado Antonio Mentor (PT): “O governo federal repassou, a fundo perdido, 400 milhões para a linha bronze, como reconheceu o próprio governador. Repassou também 271 milhões para a expansão da linha verde. Não é muito, mas é muito mais do que o governo tucano, nos oito anos anteriores, repassou ao metrô. E se compararmos os recursos de financiamento, o governo tucano aplicou 4,5 bilhões, enquanto nos anos posteriores o governo do presidente Lula financiou por meio do BNDES 15 bilhões para o metrô e a CPTM”. (Informação do repórter Felipe Rousselet)

18h35 – Segundo a Polícia Militar de SP, “600 manifestantes estão reunidos nos auditórios da Alesp para exigir dos parlamentares a instalação de CPI para o caso Siemens”. A PM informa que protesto é “pacífico”.

18h28 – Na Praça da Sé, humorista do programa Pânico na Tv tenta fazer brincadeiras e é expulso do ato. A equipe do programa e manifestantes entraram em conflito. O humorista foi expulso aos gritos de “chega de alegria, a PM mata pobre todo dia”. (Informação do repórter Igor Carvalho)

18h23 – “Não vamos aceitar que o dinheiro que devia ser usado para o nosso transporte vá para o bolso de empresários e patrões (…) Só quem usa o transporte ou quem trabalha no transporte todo dia é que conhece seus problemas e é nas ruas que vamos conquistar um novo transporte”, repetem manifestantes na Praça da Sé. “Para o Alckmin, o que importa é lucrar com nosso sufoco.”

(Foto: Igor Carvalho)

18h16 – Protesto continua na Praça da Sé, na região central de São Paulo.

(Foto: Igor Carvalho)
(Foto: Igor Carvalho)

18h07 – Manifestantes chegam à Praça da Sé, onde estava previsto o término do ato. Mas, segundo membro do Movimento Passe Livre, com o entusiamo dos participantes, protesto deve continuar pelo centro de São Paulo. (Informações do repórter Igor Carvalho)

(Foto: Igor Carvalho)

17h58 – Manifestantes chegam à Praça do Patriarca, no centro de São Paulo. Dos prédios, pessoas atiram papéis picados em solidariedade ao protesto contra o esquema de desvios de verbas no Metrô e CPTM.

(Foto: Igor Carvalho)

17h54 – Na Rua São Bento, comerciantes fecham as portas. “Vem, vem pra rua vem, contra o Geraldo”, dizem manifestantes.

(Foto: Igor Carvalho)

17h51 – “Estudo, trabalho, dou duro o dia inteiro, o Geraldo anda de carro e ainda rouba o meu dinheiro”, cantam manifestantes no centro de São Paulo. (Informações de Igor Carvalho)

17h40 – Sindicato dos Metroviários estima que 2 mil pessoas participam do protesto na região central de São Paulo contra os desvios no Metrô e na CPTM.

17h30 – Manifestantes colocam fogo em boneco do governador Geraldo Alckmin na região central.

(Foto: Igor Carvalho)

 

17h26 – A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) pede aos motoristas que evitem a região central de São Paulo, em função da manifestação contra o escândalo dos cartéis no Metrô e CPTM. (via Estadão)

17h25 – A entrada da Alesp foi liberada a manifestantes, que estão concentrados no auditório Franco Montoro. Deputados vão conversar com integrantes do protesto. (Informação do repórter Felipe Rousselet)

17h21 – Da Agência Brasil: PM estima em mil número de manifestantes em protesto contra desvios no metrô paulistano http://bit.ly/15FtOB6

17h16 – Manifestantes na região central chegam ao Pateo do Collegio. Sob uma garoa fina e frio, eles dizem: “Chega de sufoco, e de político babaca, a gente está lutando por uma vida sem catraca”. (Informa repórter Igor Carvalho)

(Foto: Igor Carvalho)

17h05 – Segundo policial militar que está fazendo o controle da entrada da Assembleia Legislativa, de última hora veio uma ordem da presidência da Casa permitindo a entrada apenas de funcionários no local. A justificativa é de que há uma votação em andamento e que o clima está tenso no plenário. (Informação do repórter Felipe Rousselet)

17h03 – Na região central, manifestantes caminham rumo à rua Boa Vista, onde fica a Secretaria de Transportes Metropolitanos.

(Foto: Reprodução Twitter/@garridofabiano)

16h59 – Na Alesp, os deputados do PT , Enio Tatto, Beth Sahão e João Paulo Rillo, e a líder sindical Raquel Kacelnikas tiveram que enfrentar vários PMs para garantir a entrada de 100 pessoas, já cadastradas na portaria, para acompanharem a sessão.  (Informação via Assessoria Luiz Cláudio Marcolino)

(Foto: Paula Ribas)

16h58 – “O povo não quer mais roubo no Metrô / PSDB, sua hora já chegou” é uma das palavras de ordem no protesto no centro de São Paulo.

16h51 – Debaixo de chuva, manifestantes começam a subir o Viaduto Maria Paula, em direção à Praça João Mendes. Próxima parada será na Secretaria de Transportes Metropolitanos.

(Foto: Igor Carvalho)

16h47 – Manifestantes criticam governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, no protesto no centro da capital.

(Foto: Igor Carvalho)

16h42 – De acordo com cálculos da PM, mil pessoas estariam no protesto na região central de São Paulo.

16h39 – “Três, três reais não dá, eu quero o passe livre, eu quero o passe livre já”, gritam os manifestantes, que começam a descer a Rua Riachuelo, no centro de São Paulo, com trânsito já interrompido.

(Foto: Igor Carvalho)

16h33 – “Se essa manifestação pulsante seguir para a Alesp, vamos conseguir emplacar a CPI para investigar as falcatruas do PSDB”, diz Carlos Giannazi, deputado estadual (PSOL).

(Foto: Igor Carvalho)

16h28 – Repórteres da rede Globo trabalham sem credenciais e sem logo nos microfones.

(Foto: Igor Carvalho)

16h25 – Manifestantes cantam “o Geraldo vai cair, vai cair, vai cair”, menção ao governador Geraldo Alckmin. Agora, o grupo segue pela Líbero Badaró. (via Estadão)

16h20 – Capitão Jean Paulo leva câmera pessoal para filmar os protestos: “Trouxe de casa, é para minha proteção, para que depois vejam como são tratados os policiais”.

(Foto: Igor Carvalho)

16h12 – De acordo com o Sindicato dos Metroviários, um dos organizadores do protesto no centro de São Paulo, mais de 800 pessoas já estão no local. O trânsito na Rua Libero Badaró está interrompido.

(Foto: Igor Carvalho)

16h07 – Manifestantes saíram em marcha em direção à Rua Boa Vista, onde fica a Secretaria dos Transportes Metropolitanos. Segundo o presidente do Sindicato dos Metroviários de São Paulo, Altino de Melo Prazeres, eles vão tentar conversar com o secretário, Jurandir Fernandes, e protocolar uma carta de reivindicações.

15h48 – Movimento Passe Livre, Mães de Maio, Conlutas, PSTU, PSol, CTB, UJS e Rede Emancipa são alguns dos movimentos presentes no protesto no Vale do Anhangabaú.

(Foto: Igor Carvalho)

15h39 – Manifestantes já estão no Vale do Anhangabaú. Há diversas faixas pedindo “Fora Alckmin”. Faixa do MPL diz: “Por R$0,20, derrubamos a tarifa. Por R$ 425 milhões, derrubaremos o Alckmin”.

15h – Manifestantes fazem cadastramento para entrar na Assembleia Legislativa, onde acontecem protestos dos movimentos de moradia e pela CPI do Metrô, às 17h.

(Foto: Ascom/Dep.Luis Claudio Marcolino)

 



No artigo

x