Trollagem feminista no Miss Islândia 2013

Islandesas se inscreveram em massa no concurso para criticar a objetificação das mulheres e o estereótipo da “mulher ideal”

1641 21

Islandesas se inscreveram em massa no concurso para criticar a objetificação das mulheres e o estereótipo da “mulher ideal”

Por Carolina de Assis, no blog Transtudo na Revista Samuel 

O concurso Miss Islândia 2013 tem causado furor nacional desde a abertura das inscrições, em junho. O evento recebeu um número recorde de candidaturas: em um país com pouco mais de 320 mil habitantes, mais de 1.300 pessoas se apresentaram. Não, não há uma horda de islandesas aspirando à coroa e à faixa. O sucesso de participação é resultado de uma divertida campanha de trollagem do concurso que enfrenta a oposição de grande parte da população e das aguerridas e bem-humoradas feministas islandesas.

Hildur Lilliendahl, Miss Troll 2013 (Foto: DV.is)

Quando as inscrições foram abertas, Rafn Rafnsson, diretor do evento, declarou que o concurso tinha sido “revigorado”, e que a intenção era popularizar o evento fazendo algo “moderno e diverso”, indo além do estereótipo da miss islandesa “loira, alta e com olhos azuis”. O critério de seleção seria bem mais generoso, não haveria mais requisitos mínimos de peso e altura, e todo mundo poderia se candidatar. A ativista feminista Hildur Lilliendahl entendeu o recado, postou sua candidatura em seu perfil no Facebook e anunciou sua participação. No dia seguinte, Sigríður Ingadóttir, membro do parlamento islandês pelo partido de esquerda Aliança Social Democrática, também embarcou na ideia. “Quando vi a candidatura de Hildur no Facebook, pensei ‘bom, também vou me inscrever, é uma maneira divertida de participar do protesto’. Às vezes você precisa usar o humor para chamar a atenção das pessoas”, disse a parlamentar.

A parlamentar Sigríður Ingadóttir (Foto: DV.is)

A brincadeira se espalhou, e mulheres e até homens de várias idades decidiram participar. “Estou fazendo isso para mostrar o quanto esse concurso é sem sentido”, diz a pastora Sigridur Gudmarsdottir, 48 anos, que espera que o protesto faça as pessoas pensarem sobre o arbitrário conceito de beleza. Para a crítica literária Brynhildur Omarsdottir, que também enviou sua candidatura, o diretor do evento deu a margem que as feministas queriam para criticar o concurso por promover a objetificação das mulheres e o estereótipo da “mulher ideal”. Hildur, o estopim do movimento, concorda: “Os concursos de beleza tradicionais promovem o exemplo perfeito do tipo de mulher criada pelo patriarcado. Esse sistema ensina (e/ou força) mulheres a serem belas e amáveis e doces e bem-comportadas e compostas e totalmente reprimidas, e é exatamente assim que as mulheres são mantidas fora das posições de poder, do mercado de trabalho e da potencial revolução capaz de destruir esse sistema idiota.”

A generosidade da direção do concurso, porém, vai mesmo ficar só nas inscrições. “As regras continuam as mesmas”, diz Íris Jónsdóttir, coordenadora do evento e  representante da Islândia no Miss Mundo 2012. “As competidoras devem ter entre 18 e 24 anos, e não podem ser casadas ou ter filhos. As regras são as mesmas do concurso para Miss Mundo, que é a próxima etapa. Todas as candidaturas serão avaliadas, mas a escolha para a competição seguirá as regras de sempre.”

Para a parlamentar Sigríður, o protesto deixou claro que houve uma mudança de valores e que as mulheres não admitem mais serem julgadas da maneira como fazem os concursos de beleza. “Hoje, em 2013, esse tipo de coisa não é mais aceitável.” Não deveria ser, mas concursos de Miss Qualquer Coisa seguem firmes e fortes no mundo todo. No Brasil houve até uma tentativa de renovação do concurso nacional nos últimos anos, inclusive com o respaldo de uma grande emissora de TV.  As inscrições para o Miss Brasil 2013 já foram encerradas, mas que tal um protesto/trollagem em 2014? Na contramão das islandesas, proponho a campanha “ninguém somos Miss Brasil”: porque concursos de beleza são demodê e cheiram a naftalina, e nenhuma pessoa deveria ser avaliada, julgada e medida de acordo com a régua dos outros.

* Miss por miss, eu fico com Olive e a dança subversiva da família Hoover no adorável “Pequena Miss Sunshine”:

 



No artigo

21 comments

  1. Gabriel Responder

    Da mesma forma que há os concursos de “miss”, todo homem tem a necessidade de seguir um estereótipo. Basta olhar os homens cercados de mulheres, geralmente começa pela ordem do mais rico/poderoso/bonito.

    A taxa de aceitação de homens às mulheres “feias” é muito maior do que, espantem, a taxa de aceitação de mulheres com homens “feios”, elas tem que estar muito no fim do poço para acabar com um “feio”/”pé rapado” por mais que esse seja uma pessoa digna. É mais fácil ver mulher com traficante, devido ao seu poder.

    Isso faz a competição dos homens ser mais acirrada pelo belo corpo, trabalho perfeito e carro do momento.

    Um homem rico, bonito, pode muito bem aceitar uma mulher bonita e pobre, desde que essa seja uma mulher digna e respeitada, aliás a procura são por ESSAS mulheres. Agora, vocês conseguem imaginar uma mulher rica, bonita, poderosa namorando com um pé rapado?

    Vemos muitas histórias como “Pretty Woman” mas nenhuma do tipo “Pretty Man”.

    O maior problema do feminismo é olhar apenas para o próprio umbigo, achar que só as mulheres tem “sofrimentos”, sendo que o homem compartilha muitas vezes o mesmo problema, de uma forma pior.

    1. Guest Responder

      Hahahahahahahhahahahahahahhaha
      ta certo, fera. sqn

    2. viniciusazevedo Responder

      hm… não.

    3. Paula Eveline Responder

      CHOREI!

    4. Julia Responder

      O seu comentário todo grita “patriarcado”. Todas os aspectos negativos para os homens que você citou são consequência desse mesmo sistema. Que é muito pior para as mulheres, é claro. Você só não consegue enxergar isso porque só está preocupado com as suas desvantagens residuais nesse sisteminha.

      1. Fernando Responder

        Não isso se chama seleção natural, o critério da mulher é muito mais exigente, pq simplesmente elas tem um número de óvulos limitado durante a vida e tbm pq tem que achar alguem com habilidades de sobrevivencia (como riqueza, corpo saudavel ou destaque social) então escolhem com mais critérios.
        O homem por poder produzir espermatozoides pelo menos no minimo até os 60 e poucos ou mais, já tem um critério bem menos exigente.
        Tem nada haver com patriarcado em grupos matriarcais isto fica mais evidente ainda.

    5. Mayra Responder

      Vc está correto, o padrão de beleza masculino também é restritivo. Mas só pode estar cego em não perceber que a importância da beleza imposta às mulheres é milhares de vezes maior do que aos homens.
      A figura da mulher é altamente explorada e isso não é positivo. É violento.
      Por isso que você disse, o feminismo se faz necessário. Essa coisa de homem rico e bem sucedido, e mulher bonita e submissa, deve acabar. Ela é mais vantajosa aos homens, na maioria, à medida em que transforma mulheres em objetos e reforçam o TER masculino. Mas reprime aqueles homens que se veem obrigados a pagar as contas, a ter um carro para conseguir um relacionamento, etc. e não possuem condições para tal. A conta do motel deve ser dividida, assim como a mulher pode e deve ser valorizada além da aparência. O feminismo não é uma luta contra os homens, e sim contra o machismo (tem mulher machista também, viu? Que acha que o homem deve pagar a conta do motel sozinho e tudo mais). Nesse sentido, vc também pode ser feminista e ir contra tudo o que vc disse, mesmo sendo homem.

    6. Dom Rafael Costa Souza Responder

      Fantástico, cara: falou e disse!
      E como se se fossem nos obrigar a pegar mulher bizarra! não vá malhar e ficar gostosa não, fique aí com os seus gatos! maas… discutir com doentes mentais (feministas) é perda de tempo!
      Nunca vi mulher ficando com garçom, pedreiro, mas e o contrário? qual é o homem que rejeitaria uma mulher por ela ser pobre, não ter status? o caso é que sim, MULHER GOSTA E DINHEIRO, e são poucas que vencem esse INSTINTO NATURAL da mulher em prol das virtudes.
      E outra: e quem está OBRIGANDO essas VAGABUNDAS a posarem nuas, fazerem filmes pornográficos, a serem objetos, frutas et cetera?
      Eu respondo:

      ELAS FAZEM PORQUE QUEREM!

      Se vocês, feministas, feias e invejosas (é ruim achar uma de vocês sequer bonita, piorou que valha a pena: se é feminista, já nem vale a pena – não deve saber nem cozinhar; veja o exemplo daquela que saiu do femen), nunca conseguirão serem gostosas como essas, CHOREM! e continuem culpado o “patriarcado”! hahahahah!

      Patético!

      6.000 de humanidade, e a mulher AINDA não aprendeu a viver! cara!…

      Salam

      1. Julia Responder

        Nossa, não sabia que todos os pedreiros e garçons são solteiros.. gente, que revelação.
        O Dom Rafael com certeza tomo muito toco nessa vida mas pensa que é porque não tem dinheiro. Mal sabe que ele só toma toco, na verdade, porque é um completo imbecil…

      2. Roberta Barros Responder

        que dó de você, moço. =(

  2. Fernando Responder

    o mundo é um lugar dificil de sobreviver diversas civilizações ruiram apenas as que sobreviveram foram as patriarcais, então é a prova de que funciona… e depois odeio esse papo de dizer que sofre opressão, cada um tem o seu papel cumpre ou some a história ta ai pra provar, o do homem é um o da mulher é outro, a mulher com certeza odiaria cumprir o dos homens e os homens o da mulher..

    1. Joane Farias Nogueira Responder

      As pessoas não se resumem a papéis, e houve épocas em que não havia esse patriarcado e as coisas ficaram de pé assim mesmo. Opressão é quando vc encaixa as pessoas num quadro onde nenhuma delas pode sair daquilo. Pela sua frase, vc é opressor,sim.

    2. Julia Responder

      Pra quem funciona, meu filho? Só se for pro homem hétero, porque as outras pessoas estão só se ferrando. Olha, ninguém gosta do papel de oprimido. Se vc acha que ninguém é oprimido gostaria de trocar de lugar com uma mulher? Pessoas são diferentes, não temos que cumprir papeis pre-estabelecidos por causa do nosso gênero. Cada pessoa é única e deveríamos ter a liberdade de fazer o que quisermos sem sermos podados por fazermos parte de determinado gênero.

      1. Marlon Responder

        kkkkkk hilário, daqui a pouco “homens feministas” vão querer ter o direito de engravidar, vão começar até fazer “implante” de úteros em homenskkkkkk, e as mulheres vão querer ser as “sementeiras” chega dessa história de óvulos… “Desejam a liberdade?kkkkkkk, isso é extremidade, e bem como já disse um grande filosofo: a virtude está no meio, ser livre é ser você, não ser aquilo que você acha que você é.

        Fico pensando… todos os seres humanos são oprimidos por esse sistema opressor que oprimem a todos …. aihhh quanta baboseira , tudo virou opressão hoje em dia…..

        Que Nossa Senhora de Fátima nos proteja.

        Omni sancte angeli Dei, orate pro nobis.

    3. Roberta Barros Responder

      moço…darwinismo social em 2013??? hellooo!!!!

  3. Alexandre Ctbazoa Responder

    Gabriel colocou-se bem. Abaixo vemos o quanto os feministas se vitimizam, mesmo tendo deixado de ser minoria há muito tempo. Afinal, este é o enredo feminazi, “Se fazer de vitima” pois é mais fácil conseguir as coisas assim do que trabalhando com igualdade de gênero.

    Opressão todos sentem. Machistas, direitistas, feministas e outros djanhos por ai tbm. Só que o único que prefere reclamar ao invés de lutar de verdade (não to falando de manifesto) são as vadias.

    Só que a mulher tem prazo de validade, então bora bora adiantar os esquemas ai, feminazis. kkkk
    Mulher quando passa dos 40 não serve mais pra nada, nem pra travesseiro na hora de dormir.

    1. Joane Farias Nogueira Responder

      Já vcs nunca prestaram na vida toda. Mas o machistas oprimem mais, vc é um deles. Deveria saber.

    2. Julia Responder

      Esse já levou um passa fora de uma quarentona, certeza.

    3. Julia Guerra Responder

      Então, posso entender com a sua última frase, que a tua mãe já não serve mais pra nada. Nem para travesseiro na hora de dormir.

      Ah, pelo amor de deus. Vá aprender a viver e ser gente.

    4. Roberta Barros Responder

      moço, você tá se contradizendo. ACHO que você devia ler mais, ou pensar antes de escrever. e outra: tô com vergonha alheia da sua mãe. =(

  4. Ana Cranes Responder

    “* Miss por miss, eu fico com Olive e a dança subversiva da família Hoover no adorável “Pequena Miss Sunshine”:” Amei!

    Uma vez tentei de todas as maneiras convencer um cara a não fazer um miss gótica, mas não teve jeito… :/


x