Brasileiro pede ação do país após ser retido por suspeita de terrorismo em Londres

David Miranda, namorado do jornalista responsável por revelar espionagem dos EUA, passou nove horas em Heathrow

305 0

David Miranda, namorado do jornalista responsável por revelar espionagem dos EUA, passou nove horas em Heathrow

Do Opera Mundi 

David Miranda (esquerda) ficou detido por nove horas e teve equipamentos eletrônicos confiscados (Foto: Glenn Greenwald)

Cercado por dezenas de jornalistas, David Miranda, 28 anos, enfim, desembarcou no Brasil na manhã desta segunda-feira (19/08). O brasileiro foi retido pela Scotland Yard ontem (18) por nove horas no aeroporto de Heathrow, em Londres, sob suspeita de ser terrorista. Miranda, que é namorado do jornalista britânico que denunciou o escândalo de espionagem dos EUA, pede que as autoridades brasileiras tomem uma atitude sobre o caso.

“Espero que o governo brasileiro faça alguma coisa porque a gente não sabe o que está acontecendo de verdade”, afirmou à imprensa ao desembarcar no aeroporto internacional Tom Jobim (Galeão), no Rio de Janeiro.

David Miranda foi recebido no saguão do aeroporto pelo companheiro, o jornalista do The Guardian, Glenn Greenwald, e afirmou que se “sentia cansado pelo tratamento no Reino Unido e pela viagem”. De forma breve, ele descreveu o momento em que foi retido pelas autoridades britânicas com base na lei antiterrorista do país, que permite deter suspeitos sem mandado judicial e sem a permissão de consultar um advogado. “Eles alegaram uma lei sobre terrorismo. Só me deram um documento que eu passei direto para o meu advogado”, contou aos jornalistas.

De acordo com o jornal The Guardian, Miranda teve todos os equipamentos eletrônicos confiscados. “Esse é um profundo ataque contra a liberdade de imprensa e o processo de coleta de notícias”, afirmou Greenwald ao Guardian, jornal para o qual trabalha.

“Reter meu parceiro por nove horas, lhe negando um advogado, e então apreender boa parte de suas coisas, claramente pretende mandar uma mensagem de intimidação para aqueles que, como nós, estamos reportando sobre” espionagem, disse. “As ações do Reino Unido representam uma grande ameaça a jornalistas em qualquer parte” do mundo”, criticou.

“Fiquei  em uma sala, onde seis agentes entravam e saíam, se revezando para falar comigo. Perguntaram sobre a minha vida inteira, sobre tudo. Seguraram o meu computador, videogame, celular, pen drives, máquina fotográfica”, confirmou Miranda, já no aeroporto do Galeão.

A ONG (Organização não governamental) Anistia Internacional condenou o episódio. Em nota, a entidade diz que o brasileiro foi vítima de vingança do governo britânico. “A detenção de David é ilegal e indesculpável. Ele foi detido sob uma lei que viola qualquer princípio de equidade e sua prisão mostra como a lei pode ser abusiva por razões mesquinhas e vingativas”, diz o texto da ONG.

O Ministério das Relações Exteriores, Itamaraty, por sua vez, classificou como “medida injustificável” a retenção de um brasileiro no aeroporto de Heathrow, em Londres, por nove horas, período em que ficou incomunicável. “O governo brasileiro espera que incidentes como o registrado hoje com o cidadão brasileiro não se repitam”, diz a nota



No artigo

x