Sindjorn lamenta as declarações de Micheline Borges sobre médicas cubanas

Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Norte aponta "falta de zelo e respeito" da jornalista

488 1

Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Norte aponta “falta de zelo e respeito” da jornalista

Por Felipe Rousselet 

Reprodução

Nesta quarta-feira, 28, o Sindjorn (Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Norte) divulgou nota em que lamenta as declarações da jornalista Micheline Borges sobre as médicas cubanas contratadas pelo programa Mais Médicos. No texto, a entidade afirma que faltou “zelo e respeito” a jornalista potiguar.

“O Sindjorn lamenta a postura equivocada, a falta de zelo e respeito da jornalista Micheline Borges no caso envolvendo as médicas cubanas. Também prestamos nossa solidariedade a estas profissionais, bem como às empregadas domésticas. Todo trabalhador merece respeito, independente da classe”.

Na nota, a entidade afirma que prioriza a sua atuação na “vigilância constante a toda e qualquer tentativa de cercear o direito de imprensa e de opinião”, mas que não admite nenhum tipo de preconceito, principalmente por parte de jornalistas.

Na manhã desta terça-feira (27) a jornalista Micheline Borges causou grande revolta nas redes sociais ao afirmar por meio do seu perfil no Facebook que as médicas cubanas, contratadas pelo programa Mais Médicos, “têm uma cara de empregada doméstica”.

“Me perdoem se for preconceito, mas essas médicas cubanas tem uma Cara de empregada doméstica. Será que São medicas Mesmo??? Afe que terrível. Medico, geralmente, tem postura, tem cada de medico, se impõe a partir da aparência….. Coitada da nossa população. Será que eles enetendem de dengue? E febre amarela? Deus proteja O nosso Povo!”, diz o texto publicado pela jornalista.

Após a repercussão negativa do seu comentário, Micheline deletou seus perfis em redes sociais e se retratou dizendo que seu comentário foi uma brincadeira e que o mesmo foi mal interpretado. “Eu peço desculpas, foi um comentário infeliz, foi mal interpretado, era para ser uma brincadeira, por isso peço desculpa para as empregadas domésticas”, disse a jornalista.

Leia a íntegra da nota divulgada pelo Sindjorn:

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Norte defende irrestritamente o jornalismo responsável e o exercício livre da profissão. Priorizamos nossa atuação na vigilância constante a toda e qualquer tentativa de cercear o direito de imprensa e de opinião. Todavia, não podemos admitir nenhum tipo de preconceito, muito menos partindo de colegas.

O Sindjorn lamenta a postura equivocada, a falta de zelo e respeito da jornalista Micheline Borges no caso envolvendo as médicas cubanas. Também prestamos nossa solidariedade a estas profissionais, bem como às empregadas domésticas. Todo trabalhador merece respeito, independente da classe.

A diretoria do Sindicato dos Jornalistas Profissionais.

(Foto de capa: Elza Fiuza/ABr)



No artigo

1 comment

  1. christian Responder

    Sou estudante de jornalismo e me decepciono com a posição dessa que diz ser formadora de opinião. Elas são médicas, sim! Antes de colocar placas nas outras pessoas, Senhora Micheline, ponha uma em você, dizendo: Eu sou burra, pois nem o português sei escrever.
    Uma mulher dessa que escreve uma declaração com vários erros de português, deveria se envergonhar de si.


x