Presidente do CRM-MG diz que negará registro aos médicos estrangeiros

João Batista Soares já havia afirmado que vai orientar seus médicos "a não socorrerem erros dos colegas cubanos”

394 1

João Batista Soares já havia afirmado que vai orientar seus médicos “a não socorrerem erros dos colegas cubanos”

Da Redação

João Batista Soares, presidente do CRM-MG (Foto: Viomundo)

O Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais (CRM-MG) continua se mostrando intolerante com os médicos estrangeiros que chegam ao Brasil para atuar no programa federal “Mais Médicos”. O presidente da entidade, João Batista Gomes Soares, afirmou nesta terça-feira (17), que não irá assinar o registo provisório dos profissionais que vieram de outros países.

“Não é medida de exceção e nem de emergência. Não há justificativa para essa contratação sem revalidação do diploma. Não tem emergência. O caos já estamos denunciando há mais de 10 anos. Nenhuma atitude foi tomada. É uma aposta política do governo”, afirmou Soares.

O CRM-MG já havia tentado impedir o fornecimento dos registros provisórios na Justiça. Porém, no último dia 27 de agosto saiu a decisão desfavorável à entidade. O juiz titular da 5ª Vara Federal da Seção Judiciária de Minas Gerais, João Batista Ribeiro, indeferiu o pedido do conselho, e considerou que o programa Mais Médicos é uma “política pública de saúde da maior relevância social de sorte que o bem da vida, que está sob perigo real e concreto, deve ter primazia sobre todos os demais interesses juridicamente tutelados”.

Soares já havia se mostrado intransigente com os médicos estrangeiros, quando, no último dia 23 de agosto, afirmou: “Nossa preocupação é com a qualidade desses médicos, que são bons apenas em medicina preventiva, não sabem tirar tomografia. Vou orientar meus médicos a não socorrerem erros dos colegas cubanos.”

À época, Soares chegou a dizer que classificava o “Mais Médicos” como “coisa da época da ditadura”.

Leia também:
Com “Mais Médicos”, Grande Maceió dobra atendimentos na rede pública
73,9% dos brasileiros aprovam o Programa Mais Médicos
Entenda por que médicos cubanos não são escravos
Padilha: “Mais Médicos não é contra os médicos”


No artigo

1 comment

  1. Patrícia Brum Responder

    Que absurdo! Deixa o povo morrer, ne? Patrimonialismo danado. Se ele tem tanto medico do CRM pra defender pq nenhum deles aceitou o trabalho no interior? É melhor um medico cubano bem intencionado do que um arrogante ou nenhum…


x