Jovens que se beijaram “poderiam ter dado voz de prisão” a Feliciano por abuso de autoridade

Afirmação é do diretor da Comissão de Direitos Humanos da OAB-SP, que considera a prisão delas "ilegal"

5261 84

Afirmação é do diretor da Comissão de Direitos Humanos da OAB-SP, que considera a prisão delas “ilegal”

Por Igor Carvalho

Segundo Sampaio, o beijo das jovens não configura uma infração do artigo 208 do Código Penal (Foto: Reprodução/Facebook)

Segundo o diretor da Comissão de Direitos Humanos da OAB-SP, Martim de Almeida Sampaio, as jovens Joana Palhares e Yunka Mihura, detidas por terem se beijado durante culto dirigido pelo pastor e deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP), “poderiam ter dado voz de prisão ao pastor por abuso de autoridade”, caso tivessem conhecimento sobre o Código Penal.

As duas foram detidas e conduzidas ao 1º DP de São Sebastião, e alegam terem sido vítimas de violência. “Nunca imaginei que seria agredida, violentada, algemada e presa por beijar uma mulher em público”, afirmou Joana em seu perfil no Facebook. As agressões teriam partido de agentes da Guarda Civil Metropolitana (GCM), segundo as jovens.

Passavam das 23h quando o pastor Feliciano ordenou que as jovens fossem presas, sendo prontamente atendido pelos agentes GCM. Apesar do espaço, localizado na Rua da Praia, ser público, a prefeitura alega que está amparada pela Lei 14524/11, porém, o texto da lei não resguarda o caráter privado do ambiente.

Joana e Yunk foram enquadradas no artigo 208 do Código Penal, que prevê pena de detenção de um mês a um ano ou multa ao cidadão que “zombar de alguém publicamente por motivo de crença ou função religiosa e impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso”.

Segundo Sampaio, a prisão foi “ilegal”, pois o ato de beijar alguém não  se configura como infração. “Primeiro, o espaço ali era público, pelo que li na imprensa. Segundo, o Código Penal brasileiro não criminaliza relações afetivas, seja ela entre homens ou mulheres. Elas tiveram apenas um gesto de afeto e amor que deve ser respeitado.” Para ele, o artigo só poderia ser utilizado nesta circunstância se as jovens “estivessem desnudas e mantivesse uma relação sexual.”

Joana afirma ter sido encurralada pelos agentes da GCM e que levou “três tapas” de um dos guardas, além de empurrões, após terem sido levadas para longe dos fiéis. A prefeitura  de São Sebastião informou que a guarda “agiu, conversando com as manifestantes e na tentativa de retirá-las do local com segurança, tendo em vista que o grupo corria o risco de um possível mal maior por parte de milhares de pessoas que insinuavam uma agressão.”

Feliciano

Um vídeo, publicado na internet, mostra que, enquanto as jovens eram conduzidas pelos agentes para longe dos fiéis, Feliciano comparou as garotas a “cachorrinhos”. “Ignorem, ignorem. Cachorrinho que está latindo é assim, você ignorou, ele para de latir”, afirmou o deputado.

Em sua conta no Twitter, o deputado mais uma vez falou sobre o assunto. “Indivíduos invadem o culto, desrespeitam crianças, idosos, agridem as autoridades, chutam os policiais, e por fim dizem ser vítimas?”. A prefeitura de São Sebastião informou não saber sobre qualquer ato de violência cometido pelas jovens contra os agentes da GCM.

Por fim, também pelo Twitter, o pastor afirmou que as meninas precisam de “tratamento mental urgente”.  Sampaio lamentou que Feliciano ocupe, ainda, a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados (CDHM). “Esse senhor nos mostra mais uma vez que ele é a pessoa inadequada para estar na da CDHM.”

Confira vídeo do momento da prisão das jovens que se beijaram em um culto de Marco Feliciano:



No artigo

84 comments

  1. Nelson Gonçalves Simplicio Responder

    Um Pais que tem: Um Presidente do Senado, que tem, da Câmara dos Deputados que tem, agora perdeu a confiança na “suprema corte” nós queríamos o que. É por isso que “nefastos” como esse “senhor” fazem o que fazem, abuso de autoridade é o mínimo que eles fazem.

  2. Nelson Gonçalves Simplicio Responder

    Desculpem-me, onde se ler nós queríamos o que, leia-se nós queríamos o que?

  3. John Responder

    “Data venia”, tenho de
    discordar da posição do advogado na medida em que o culto religioso pode ser
    realizado no local público e ainda assim contar com a tutela jurídica do Estado
    para a proteção que lhe é cabível. É certo, qualquer reunião (e o culto público
    é manifestação disso) religiosa ou não, tem essa guarida. Vejamos o que diz a
    CF:

    XVI – todos podem reunir-se pacificamente, sem armas, em locais abertos ao
    público, independentemente de autorização, desde que não frustrem outra reunião
    anteriormente convocada para o mesmo local, sendo apenas exigido prévio aviso à
    autoridade competente;

    Se pararmos para perguntar a razão pela qual a Constituição estabelece a) que
    uma reunião NÃO deve ser frustrada, bem como b) o fato dela exigir o prévio
    aviso à autoridade competente (o prévio aviso é para assegurar que não exista
    um confronto no tempo entre duas reuniões querendo se reunir no mesmo local), chegaremos
    à conclusão de que se trata de uma proteção ao direito de se reunir, que impede
    contrariedades.

    Essa ideia é tão intensa que o
    Estado queria reprimir a Marcha da Maconha e o STF deu guarida a esse direito
    de reunião, manifestação de pensamento.

    Fora do ambiente onde a reunião
    está acontecendo pode existir manifestações contrárias, mas dentro? Sejamos
    razoáveis.

    O que causa incômodo (há muitos, inclusive a ateus) é que o advogado, ao
    declinar sua OPINIÃO, parece dizer que, se o espaço é público, qualquer afronta
    é possível.

    Se não fosse suficiente a proteção ao direito de se reunir, há uma proteção aos
    princípios litúrgicos, a ideologia por trás da reunião.

    VI – é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o
    livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção
    aos locais de culto e a suas liturgias;

    Repare que há proteção ao livre exercício de culto (independentemente do local!
    Não vi diferença na CF?) e aos locais de culto.

    E digo mais, nessas horas ninguém segue os princípios de interpretação constitucional
    enunciados por Canotilho? Ou já não é razoável que as normas constitucionais
    devam ser interpretadas de forma que se buscar máxima efetividade?

    Ah sim, antes que digam que o mero beijo entre duas pessoas do mesmo sexo não é
    afronta, vamos conversar um pouco sobre o seguinte:

    Quem vai falar que a ideologia foi violada? Os que não professam? “Per
    favore”!

    Para que não levantem a bandeira do subjetivismo, proponho um parâmetro
    objetivo para sabermos quais são os princípios litúrgicos, a saber: a base do
    cristianismo (digo cristianismo porque a reunião era cristã), a Bíblia.

    Reitero: cada um pode se manifestar de forma contrária, mas isso tem limites. O
    espaço reservado para a manifestação, religiosa ou não, tem de ser preservado.

    Dentro do espaço reservado ao culto, 2 pessoas violam a ideologia cristã e se
    acham no direito de ali permanecer? Tenhamos um pouco de sensatez.

    1. Hyago Santana Ottoni Responder

      Repito o que eu perguntei ao senhor Rev. Dr. Alberto Thieme: você realmente acredita que no meio de milhares de pessoas, um ato tão pequeno e isolado de duas mulheres, deva causar tanto alarde?

      Sinceramente, eu sou católico praticante (sim, praticante, sabe? No sentido amplo da palavra, uma pessoa que participa ativamente da igreja), e estivéssemos em uma missa nesses mesmos moldes, eu não daria a mínima para as duas, continuaria professando a minha fé. E aqui você pode dizer que fácil falar como uma pessoa REAGIRIA em uma situação, que na hora que acontece o esquema é outro, sim realmente é fácil, mas acontece que eu já vivi essa situação e minha reação foi essa.

      É uma oração meio pronta, mas acredito que caiba nesse contexto, as coisas tem o grau de importância que as pessoas dão para ela. Se o deputado não tivesse falado nada no momento do beijo delas, o culto iria seguir como se nada estivesse acontecendo, e em um momento elas iam simplesmente ir embora.

      E como disse no comentário em resposta ao senhor Rev. Dr. Alberto Thieme, elas fizeram uma crítica à figura do deputado e não ao religioso ou fiéis ali presentes. Tanto que o cartaz delas dizia “Feliciano não me representa”, leia bem, Feliciano, a pessoa, não o Pastor Feliciano, entende?

      Eu sei que meus argumentos não tem embasamento jurídico, na verdade, eu sou estudante de Ciência da Computação e a única coisa de Direito que vi na universidade, foi uma matéria de 60 horas sobre Direito do Trabalhador e Direitos Autorais. Mas usando as suas próprias palavras: “Tenhamos um pouco de sensatez”.

  4. Thiago Fernando Dos Santos Responder

    O argumento da policia para tirar as meninas do local, em outras palavras foia a intolerância religiosa, dos fiéis que queriam agredi-las.

    1. Rev. Dr. Alberto Thieme Responder

      Que furada, Thiago. Quem incitou ao ódio aquela multidão, foram as duas lésbicas que se beijaram EROTICAMENTE para provar mesmo. Tá na cara e não tem desculpa. É crime e dificilmente vão escapar dessa. Nem com a OAB-SP pro gayzismo. A Lei de aviltamento de culto, local e coisas sagradas é clara e a nossa Constituição no Capitulo QUINTO também. Veja abaixo.

      1. José Faria Responder

        Te opoio

      2. Pam Responder

        Que furada do senhor, meu caro. Primeiramente, porque o culta foi realizado em local público. Da mesma forma que esses intolerantes, ignorantes, de alma pequena que são os evangélicos, não toleram duas mulheres se beijando em praça pública, eu tbm NÃO SOU OBRIGADA A AGUENTAR A GRITARIA E FANATISMO DESSA RAÇA. Se vcs querem execer a liberdade de culto, por gentileza, que seja em local privado e com menos barulho.

      3. igor Responder

        gente com seu pensamento não deveria existir em 2013…

      4. Edmilson_Junior Responder

        Então o senhor pretende proibir a todas as entidades religiosas ditas cristãs de falarem mal dos demônios e de Lucifer? Afinal são coisas sagradas aos satanistas, que merecem o mesmo respeito que os cristãos segundo a constituição.

  5. Adriano Beidacki Responder

    Um mero civil dando voz de prisão para um deputado? Ahh pára tchê!!! Em que Universo paralelo vocês vivem, por que com certeza não é aqui. embora a lei diga que elas poderiam fazer algo do tipo, JAMAIS elas conseguiriam fazer uso disso na prática, acho que nem um advogado conseguiria. Aliás tem precendente na história do Brasil disso?

    1. Anderson Ruggy Responder

      e dai que ele é deputado , por muitos pensarem assim que aqueka robalhera do mensalão ta sendo julgado e a maioria ta sendo inocentado e o povo num fala nada a midia num diz nada ele é deputado mas é igual a todo mundo e foda se eu quiser beijar minha namorada na igreja intaum vou ser preso isso é ridiculo

  6. Marta Souza Responder

    O problema é se os policiais, acusados de tê-las agredido, tambem conhecem o código penal para acatar a ordem. Tsc ‘

  7. jksoares Responder

    Pois é, será assim mesmo…essa é a forma pela qual satanás perseguirá os escolhidos e prenderá dando ordens de execução sobre os mesmos.Se um pai, beijar carinhosamente, afetivamente o seu filho ou filha, isso é considerado pedofilia e os mesmos são presos, agora esse ato praticado por essas meninas é normal….interessante.Esse tipo de protesto teem que sser realizados é de frente ao parlamento, pois ali é que é o lugar re reendivicações e não em um culto religioso. Tenho vergonha dos “senhores” que criam e criaram as nossas leis.

    1. Carlos Responder

      Mas eu acho que lugar de culto religioso é dentro de uma sala!!! Entre 4 paredes vocês podem conversar com qualquer ser imaginário!! Mas em um espaço público (eu sei que é difícil para a raça) vocês tem que respeitar as diferenças de crenças, raça, cor e sexualidade….

  8. Gláucio Gonzales Responder

    Discordo, plenamente do que esta sendo comentado pelo diretor de Direitos Humanos! Isso tudo é porque estão agora estão mudando o foco da questão para cegar o movimento LGBT e toda a sociedade civil para o que realmente aconteceu ali! É a nossa lei que ainda faz com que o Feliciano possa abusar de sua autoridade livremente… Se houver jurisprudência contrária tudo bem, mas a verdade é que todo advogado e professor de direito não é trouxa de ficar contra as meninas nesse momento. Note que elas foram conduzidas e presas e um delegado abriu um inquérito! Ou seja, tudo dentro dos conformes… Curioso que ficam contra o Feliciano e tentam defender o Código Penal como coerente, mas não falam nunca que o CP é que esta errado e é conservador! Tem de mudar ou extinguir essa lei que afirma que atrapalhar um ato religioso é crime e não achar que esta tudo bem e que não vivemos em um fascismo mascarado! Só quando o movimento LGBT tiver consciência do que realmente é o estado vai conseguir entender plenamente quem esta do seu lado e quem não…

    1. Derek Responder

      Discordo . Desrespeitar uma pessoa é crime? Atrapalhar de propósito, ser incômodo, esnobar da crença dos outros é desrespeito e crime sim. A questão é que ao menos até agora os princípios básicos do direito romano, no qual se baseia as nossas leis, estão sendo cumpridos. Só o que faltava se defender o desrespeito…

    2. Rev. Dr. Alberto Thieme Responder

      O Deputado Feliciano não abusou da lei, ele fez cumprir seus direitos como parlamentar e mandou prender as duas lésbicas que estavam “provocando não só o Feliciano mas toda aquela multidão. Não em desculpa. A OAB-SP está de rabo amarrado com o Gayzismo, está na cara.

  9. Lucas. Responder

    Isso é um ultraje, como podemos viver num pais com pessoas tão( desculpe a palavra) mais idiotas, bandido ta na rua e duas jovens lindas, e apenas protestando estão presas, é brincadeira…. ta serto Brasil..

  10. Michel Paschalis Responder

    E ilógico a religião estar dentro da política de nosso país e as pessoas aceitarem isso.
    Isso é um Câncer dentro do sistema de governo, dever-se-ia ser extinguido imediatamente!!!

  11. Júlia De Paula Responder

    Mano . Sem comentários ! É algo complicado …

    1. Sys Souza Responder

      Algo complicado e que tem que ser visto,revisto e entendido como se é.Afetividade entre seres humanos não pode ser crime gente! tem tanto bandido solto por aí estuprando,roubando, matando.Ah,por favor!…

  12. Jéssica Marques Responder

    Quando vai ser a próxima manifestação contra este ser?

  13. francisco lima Responder

    a melhor forma de sair impune de seus crimes é usar deus como boneco propaganda a seu serviço…transforma igreja em curral eleitoral e profanar o altar em palanque a serviço da política e de causa própria e não de deus. feliciano político maldito..

  14. mary moreira Responder

    Tem que teeh mais respeito pois ali tinha crianças e idosos pessoas envangelicas essas meninas não tem escrupulos nem limites se quizese fazer manifestação porque não foi ao blanauto… Tem que te respeito ninguem é obrigado agosta dos atos dela ninguem é obrigado a veer tais atos

    1. Sys Souza Responder

      Não quer ver? se retire!
      Pessoa, o local era público,então você está mesmo dizendo que é favor da privação de liberdade a dois seres humanos que se sentiram no direito de demonstrar carinho um ao outro?!
      Tente se por no lugar delas,esqueça um puco o padrão heteronormativo e a sua criação conservadora e pense nelas como seres humanos!

    2. Hyago Santana Ottoni Responder

      E ninguém é obrigado a ler tantos erros de português. Por favor, Mary, não é porque estamos “na internet” que devemos perder o cuidado de escrever direito.

      E qual é o grande problema de um idoso ver duas mulheres se beijando, eles vão ter um ataque cardíaco por causa disso? Garanto que minhas avós não teriam. A questão das crianças eu até entendo, apesar de não concordar, tive contato com casais homo-afetivos em minha infância e não me tornei homossexual, na verdade, uma das poucas coisas que tenho absoluta certeza na vida, é que sou hétero. Então qual é o grande problema?

      O fato de uma pessoa sentir atração sexual por outra, é algo químico, você sente ou não sente, vão não é programado pelos atos dos outros para isso. Ver casais gays se beijando quando eu era criança, não me fez deixar de ter atração por mulheres para ter por homens.

      Então, se você não tiver um argumento embasado e não for escrevê-lo com um português minimamente descente, por favor, senta lá no cantinho e não fala mais nada.

  15. Ally Responder

    Saiu notícia que a OAB vai caçar ele e Bolsonáro .

  16. Luiz Bonaccorsi Responder

    É inacreditável que esse sujeito INFELICIANO continue como presidente da Associação de Direitos Humanos e Minorias. Em toda a minha vida, eu nunca vi algo tão absurdo na história da política. Colocar um homofóbico fanático religioso para assumir um cargo que justamente deveria defender as minorias que sofrem preconceito me parece uma brincadeira de extremo mal gosto. Esse é o mais fiel retrato de um governo destruído pela corrupção, na busca desenfreada pelo poder, e que claramente está se lixando com o povo que deveria representar.

  17. Hudson Campos Machado Responder

    Já ouviu falar em liberdade de expressão? Você não leu que era um lugar público? Se qualquer religião tem o direito de expressar suas crenças em publico ou em lugar publico o que me tira o direito, como cidadão civil, brasileiro e livre de expressar amor onde eu bem entender? Vcs tem que começar a não tratar um beijo ou afeto alheio como problema da sociedade. Se vocês começarem a olha pra própria vida ao invés de olhar torto a dos outros, com certeza seriam mais felizes.

    1. Sys Souza Responder

      Exatamente, sem tirar nem por amigo…Seu pensamento representa o respeito e distitui o falso-moralismo!

    2. Eduardo Responder

      “Já ouviu falar em liberdade de expressão?”. Voce está enganado. Já ouviu aquela máxima, “O meu direito termina quando começa o do próximo”? Pois bem. Façamos diferente: Imagine que, em uma passeata gay, dois evangelicos exibam cartazes anti-gay. Ainda sim seria “liberdade de expressao”? Me desculpe, mas antes da liberdade de expressao, vem o RESPEITO. Nao importa se eu acho os evangelicos um bando de preconceituosos, e eu realmente acho.. A questão é que eles estavam se manifestando no culto deles, e eu tenho respeitar isso, e não ir lá e provocá-los, ofendê-los. “Mas foi só um beijo”. Pra mim e pra ti, sim. Pra eles, não. E elas já sabiam disso, e mesmo assim invadiram o culto e o fizeram.
      Se queremos respeito, devemos respeitar. Só assim teremos uma sociedade sem preconceitos.

  18. Ruebster Tarcisio Carvalho Responder

    Ahhh quer dizer então que agora existe a essa lei na constituição .Que moral tem um protestante pra falar ou citar essa lei ou ao menos um cristão.Nós povo do camdobmblé estamos ai ate hoje citando a mesma lei cuja eles Cristãos não respeitam e que os protestantes não fazem a seculos que é dizer que o não existe um Deus negro , me poupe com esse comentario Ridiculo , pois quando galileu disse que a terra girava em torno do sol consideraram ele como herege e mandam matar isso não é biblico é historico e tem mais o povo “cristão” invade terreiros de asé pra falar merda a pessoas que tem religião definida. Moça a senhora anda muito mal informada favor estudar historia um poukinho mais ou ler mais ou jornais. Obrigado.

    1. Sys Souza Responder

      Os cristãos são facilmente identificados pela sua falta de informação,falta de conhecimento,falta de questionamento sobre sua própria crença…

      1. Eduardo Responder

        Será mesmo? Tá cheio de cristão PhD em física, química e matemática. Cuidado com preconceitos, senhora defensora das liberdades.

        1. Sys Souza Responder

          falta de conhecimento,falta de questionamento SOBRE SUA PRÓPRIA CRENÇA…Senhor que gosta de por palavars na boca das pessoas(nesse caso,no cérebro regido pelos dedos mesmo u.u)

        2. Sys Souza Responder

          Do que adianta saber de tudo isso e não procurar questionar a própria bíblia?estou falando desse aspecto.

  19. JU Responder

    SEM
    QUERER DEFENDER RELIGIÃO ,NEM COISA DO TIPO MAS ISSO É DESRESPEITO EM
    QUALQUER CRENÇA RELIGIOSA ..NUMA MISSA ,OU CULTO EVANGELICO ISSO NÃO É
    RESPEITAVÉL ,QUALQUER CULTO OU CERIMÔNIA RELIGIOSA DEVE SER RESPEITADO
    UMA COISA ´´E VC TER UMA OPÇÃO SEXUAL OUTRA É VC QUERER APARECER …QUE ISSO SIRVA PRA QUALQUER TIPO DE CASAIS SEJAM LESBICAS ,HETERO OU HOMOSSEXUAL PORQUE NÃO SE TRATA DE OPÇÃO SEXUAL E SIM O ATO NO AMBIENTE ERRADO ,,,ACREDITO QUE TINHA OUTROS LUGARES PRA ISSO MAS QUERER CHAMAR ATENÇÃO É OUTRA COISA ..INFELIZMENTE FOI TER QUE CONCORDAR COM O POLÊMICO DEPUTADO FELICIANO

    1. Sys Souza Responder

      Nossa, concordar ao ponto de chamar a polícia para bater nas jovens?! Concordar com o ato de não poder manifestar seu afeto num local público, no seu país?! então você está mesmo afirmando que concorda com a privação da liberdade a um ser humano que não matou, roubou e apenas tratou um outro com o carinho que achou necessário?!

  20. Marcos Robertto Responder

    Isso porque elas impediram o culto de acontecer né… Aff.. Esse lance de misturar religião com Política e legislação não dá certo mesmo. Estado é uma coisa e Igreja é outra. Foi com essa visão de mistura de interesses que a Igreja Católica por tantos anos fez o que fez com o Povo no passado. Agora tudo está se repetindo novamente em um contexto diferente.

    1. Sys Souza Responder

      Exatamente…Os cristãos pregam tanto a não violência, a falta de respeito, mas quando se vêem em situações que tem que agir em prol de seus costumes não o fazem , querem reprimir…Que façam isso entre sí,ninguém é obrigado a compartilhar do conservadorismo do próximo,desde que não esteja fugindo dos limites, e as meninas apenas manifestaram um ato de carinho.Sem mais

  21. Rev. Dr. Alberto Thieme Responder

    Quem desrespeitou foi o grupo minoritário. Veja o que diz a nossa Constituição: Art. 5o. – VI – É inviolável, a liberdade de consciência e crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e suas liturgias.
    Art.5o.
    – XVI – Todos podem reunir-se, pacíficamente,sem armas, em
    locaisabertos ao público, independentemente de autorização, desde que
    não frustrem reunião anteriormente marcada para o mesmo local, sendo
    apenas exigido prévio AVISO á autoridade competente. A OAB está blefando ou não deu tempo de conhecer o Art 5o. acima?

    As lésbicas aviltaram um local de culto, mesmo sendo ao ar-livre. Podem pegar até 1 ano de cadeia.

    1. Hyago Santana Ottoni Responder

      Caríssimo, o senhor realmente pensa que no meio de milhares de pessoas, o fato de duas mulheres se beijarem possa causar tanto alvoroço. Pense bem, você acredita veemente que uma atitude isolada e tão ínfima deveria ser capaz disso?
      Outro ponto, elas não estavam ali com o objetivo de atacar pessoa alguma ou sua religião, o que elas estavam fazendo ali, foi um protesto contra a figura pública do deputado e presidente da CDH, pouco importa se ele é um pastor evangélico, um monge budista, católico, judeu (…) ou não.
      O “protesto” delas só tomou a proporção que tomou, por conta da reação exagerada, impensada e desnecessária, tomada pelo senhor deputado, se ele tivesse ignorado “os cachorrinhos” as pessoas nem se tocariam do que estava acontecendo e o culto continuaria transcorrendo normalmente.
      Mais uma coisa, o senhor não deve saber de um outro fato: elas não são lésbicas, nem uma das duas é, elas se beijaram pura e simplesmente, em protesto ao deputado, repito ao deputado e não ao religioso que ali estava. Se ele se sentiu atingido enquanto religioso porque ele estava ali exercendo esse papel, ótimo, ele tem esse direito, mas ele não tinha o direito de usar de sua posição de deputado para solicitar aos GCM que prendessem as moças, já que quem estava ali, era um simples religioso, que poderia muito bem registrar um boletim de ocorrência contra elas.

      E antes que o senhor ou qualquer outra pessoa diga alguma coisa, eu não sou e não tenho qualquer pretensão de um dia ser, homossexual, apesar de não ter nada contra que é e, inclusive, ter vários amigos e amigas com essa orientação sexual.

      Sem mais!

      1. David Melo Responder

        Concordo, Hyago, a intolerância do deputado é que conferiu grande magnitude a um ato de protesto diminuto, corajoso e (admitamos) ingênuo. Triste é ver o senhor Rev. usar a palavra “lésbicas” para se referir ás moças, como se o fato de o serem (ou não) as tornassem algo distinto da espécie humana. Há, no texto do senhor Ref. clara sugestão de discriminação. E não seria a discriminação punível na forma da lei?

    2. Feeh Carlos Responder

      Amiguinho retardado intolerante onde nesse artigo é mencionado a constituição de um crime no ato de um beijo em praça público ? Se fosse um casal hétero isso teria acontecido ? o único crime é está cara estar com um cargo desses,isso é um tapa não só na cara da população brasileira, como também na cara de toda humanidade -.- . Só isso que esse Feliciano representa: ATRASO

    3. ANA Responder

      espaço público não é o local de culto a que a Constituição se refere, portanto, vão se organizar em um local adequado.

      1. Diogo Stein Responder

        CONCORDO ANA!

  22. Anderson Ruggy Responder

    o povo merece os politicos que tem

  23. Rev. Dr. Alberto Thieme Responder

    Mas quem desrespeitou a lei aqui foi a dupla de lésbicas, amigo. A OAB está blefando. Elas cometeram o crime de aviltamento de local de culto. E pisaram em cima da nossa Constituição, no artigo QUINTO. veja abaixo.

    1. Bruno Banzato Responder

      Não, cara. O culto foi em local público. Só seria alguma violação se fosse um culto em local privado, próprio para o mesmo. Uma igreja. Não foi em uma. Feliciano errou. Na verdade, o culto religioso em praça pública em si é uma violação da constituição.

    2. MaBri Responder

      Nossa, fala sério, senhor reverendo. Não estamos neste ponto aqui falando de sua religião. Muito menos de seus templos (estes sim o seu local privilegiado e particular de livre expressão de sua religião), Estamos falando do uso de espaços públicos. Como vocês utilizavam este local pra exprimirem sua crença, a duas jovens estavam exprimindo seus afetos. É uma praça, não sua igreja. Vocês estavam utilizando um espaço público. Elas estavam usando um espaço público. Não vejo diferença dos direitos no que tange a livre expressão. O sentimento de desrespeito a que o senhor se refere se trata do preconceito a homossexuais. Que eu saiba isso é crime quando deixa de ser um simples sentimento e se torna atitudes discriminatórias (como querer impedir duas cidadãs brasileiras de usar o espaço público que e a praça ou, pior ainda, ameaçá-las de violência por expressarem seu amor). Se vocês pretendem ter o espaço do culto livre de pessoas que vocês desprezam, sinceramente, se atenham a utilizar espaços privados. Porque a praça é do povo. Como ponto de ônibus e os próprios ônibus (digo isso porque constantemente sou obrigada a ouvir cultos nestes espaços, os quais, aí sim, sou obrigada a utilizar caso queira me movimentar pela cidade, sendo que minha religião é outra). Nada o impede de continuar utilizando de sua retórica bem insuficiente na minha opinião, mas me sinto aviltada na minha inteligência quando o senhor supõe que seus argumentos podem convencer alguém. Sugiro que o senhor deixe de usar termos como “gayzismo” porque ele é facilmente interpretável como atitude preconceituosa. E todos sabemos que isso é crime…

  24. Rev. Dr. Alberto Thieme Responder

    Disse tudo, quem fugir disto está tentando puxar a sardinha para os privilégios que querem os gays. Elas poderiam se beijar eroticamente em suas casas, não num local de culto. Nem um heterossexual faria isto. É crime mesmo.

    1. Bruno Banzato Responder

      Segundo relato das moças, os casais heterossexuais do local estavm fazendo o mesmo… porque eles não receberam voz de prisão?

    2. Hyago Santana Ottoni Responder

      Um casal hétero não faria isso?! Acho que você nunca foi à um culto em local aberto, então, digo isso porque já fui e vi. Há vários relatos de que nesse mesmo culto, haviam casais héteros se beijando.
      Nunca diga o que as pessoas jamais fariam, você não conhece todas elas, você não pode monitorar todas, você não pode simplesmente falar em nome de pessoas que você simplesmente não conhece.

      Não consigo entender como uma pessoa com um doutorado possa ter uma mentalidade tão limitada.

    3. Brenda Responder

      O dia em que demonstrar afeto por outra pessoa for crime, este mundo estará completamente perdido… Vocês evangélicos costumam entrar muito em contradição. Afinal de contas, o que Jesus pregava mesmo? Amor, respeito, paz, igualdade… Ele deve estar muito decepcionado com todos vocês.

    4. Milla Responder

      Haaaaaaaa, tááááá. Olha só, Me diga quando foi que um casal heterossexual foi agredido na rua por se beijarem ”eroticamente” como vc disse ? Privilégios todos nós queremos e, enquanto não o obtermos, iremos sim, nos manifestar, correr atrás independente de como for !!!!!!

      Assim como você e a garota RIDÍCULA que publicou essa opinião alienada, deviam passar pelo mesmo que nós homossexuais passamos para que essa sociedade ridícula nos aceite.

      Vc não deve guardar a sua opinião, ela ta aí pra ser mostrada. Mas se é para opinar, estude pelo que está se manifestando, do contrário, de nada valerá seu argumento !

  25. Sys Souza Responder

    Nossa, escutei um cara dizendo: Vai carniça! GENTE! que Brasil, que mundo é esse onde a manifestação de carinho entre seres humanos é condenada dessa forma?! como esses princípios falsos-morais se implantaram em nós?! revejamos nossos conceitos,por favor;os verdadeiros imorais estão estuprando,roubando,matando e chingando por aí! -em momento algum elas desrespeitaram o que quer que seja.Não consigo entender o fato das pessoas se importarem
    tanto com a vida do próximo!.Isso é privação de liberdade,privação de direitos básicos ao indivíduo,está nítido!

  26. José Faria Responder

    Porque elas não foram se beijar dentro de uma mesquita islâmica? iam
    sair de lá cortada em pedaços e sem nenhum advogado pra defendê-las. Só
    fizeram isso porque sabem que os evangelicos pregam e vivem a paz. E
    prova que elas foram ali pra causar tumulto é que no video elas estavam
    no alto pra se beijar querendo que todos a vissem e chamasse atenção.
    Com certeza essa é mais uma materia que defende os proncipios dos
    homossexuais… pois do contrário não apoiaria alguem invadir um espaço
    destinado a um culto para causar tumulto e confusão.

  27. Pam Responder

    Que coisa, não. Primeiramente, o culto foi
    realizado em local público. Da mesma forma que esses intolerantes,
    ignorantes, de alma pequena que são os evangélicos, não toleram duas
    mulheres se beijando em praça pública, eu tbm NÃO SOU OBRIGADA A
    AGUENTAR A GRITARIA E FANATISMO DESSA RAÇA em praça pública. Eu trabalho, pago impostos, cumpro com meus deveres, tbm. Se vcs querem execer a
    liberdade de culto, por gentileza, que seja em local privado e com menos
    barulho.

  28. Gabriel Bertochi Responder

    Crime de Ultraje a culto não existe mais?

  29. Murilo Serafim Responder

    o lugar estava reservado para o culto e sob responsabilidade dos organizadores, por exemplo, se desse alguma acidente lá, que responderia seriam eles, nesse caso não vale esse argumento.

  30. Murilo Serafim Responder

    Quem viu o vídeo não fica em dúvidas. O que eles fizeram seria errado ali, ou em qualquer lugar público, a não ser uma festa de balada ou coisa assim. Subiram num local mais alto, estavam sem blusas e se agarraram fortemente e se beijaram, quase uma pré-sexo. Então vocês todos que estão defendendo, vocês estão errados e ponto.

  31. Murilo Serafim Responder

    Peço também coloquem a foto da hora do beijo de verdade, infelizente a foto utilizada na matéria não é do dia e parece uma coisa totalmente diferente do que aconteceu, olhem a foto do dia:

  32. Murilo Serafim Responder

    peguem a imagem daqui , deste vídeo por favor, e assim estão não sendo parciais: https://www.youtube.com/watch?v=vuRnpt2X9GE

  33. Hyago Santana Ottoni Responder

    O vídeo mostra que elas estavam no alto?! Onde isso, me diga o tempo do vídeo, porque eu voltei o vídeo todo agora e nem sequer no início dele elas estavam no alto. Pelo contrário, o vídeo começa com elas já no chão (em pé) com vários policiais ao redor, um momento já muito depois do beijo, aparentemente. O único ponto desse vídeo em que elas estão no alto, é quando são carregadas e jogadas por cima da grade de proteção.

  34. Lucas Luciano Responder

    Uma grande falta de moralismo por parte das lesbicas. Porém se vê um conflito aparente as partes ao recorrer ao mesmo art, o 5 da CF. Entretando as garotas ainda estão em vantagem por ser o lado mais fragilisado da história. Feliciano poderia ter agido de forma branda e só pedir a retirada delas do local, mas ele foi mais além pedindo já o eventual uso de algemas sem ao menos saber se a mesmas reagiriam ou causariam perigo para si ou terceiros. Se ao menos ele tivesse feito isso a história seria diferente e ele sairia por cima. Deveriam lecionar nas escolas, que é obrigado a respeitar os direitos dos outros e tb um pouco mais de ética poís os dois lados ao meu ver recoreram a meios imorais na história.

    1. Eduardo Responder

      Concordo plenamente. As meninas erraram ao se enfiar em um culto evangelico para se beijar, clara ofensa aos ali presentes. E a resposta policial também foi descabida.
      Ambos os lados errados. Respeito que é bom, nada. De nenhuma das partes.

  35. Pam Responder

    Que coisa, não. Primeiramente, o culto foi realizado em local
    público. Da mesma forma que esses intolerantes, ignorantes, de alma
    pequena que são os evangélicos, não toleram duas mulheres se beijando em
    praça pública, eu tbm NÃO SOU OBRIGADA A AGUENTAR A GRITARIA E
    FANATISMO DESSA RAÇA EM LOCAIS PÚBLICOS. Se vcs querem exercer a liberdade de culto, por
    gentileza, que seja em local privado e sem gritaria, pois Deus não é
    surdo.

    1. Eduardo Responder

      A parada-gay é em local público. E aí? Aí pode, né?
      Pseudo-defensora dos direitos humanos.

  36. Gerson Santini Responder

    Desculpe AOB, mas nem na maior casa do Direito no Brasil o STF, consegue-se fazer justiça, inventam, tentar interpretar até oque não está escrito ou revogado, agora vem dizer que duas pessoas comuns poderiam ter dado voz de prisão ao Feliciano… Há conta outra! Minha opinião escaparam de levar um tiro do Feliciano, pois neste pais politico pode tudo e faz com que a lei o autorize.
    Mais um detalhe Sr. Feliciano, gostar ou não gostar de homossexuais é um direito de cada um, mas RESPEITA-LOS É UM DEVER DE TODOS. Por favor, tenha um segundo de sensatez e deixe o cargo que ocupa.

  37. Milla Responder

    Nem autorização ele obteve para tal evento.

    Pq elas teriam de se beijar em local diferente ?
    Se elas, por mostrarem afeto em público, ultrapassou alguma lei, esse desgraçado tbm ultrapassou. Deixem de ver apenas o que querem ver e aprendam a olhar a vida de vcs msms. não queremos um bando de idiotas se manifestando contra algo que nem o mínimo de estudo teve para opinar.

    1. Eduardo Responder

      Respeito ao próximo. Sempre. Vocês homossexuais exigem respeito, mas vão lá e desrespeitam e ofendem os evangelicos em sua manifestação. “Mas foi só um beijo”. Pra mim e pra ti, sim. Mas pra eles, não.
      Se lutamos por respeito, devemos respeitar. Acho principio básico… Deixa os preconceituosos e seus cultos em paz. Eles nos deixam em paz na parada gay. Pensem nisso. Liberdade de expressao tem limite.

  38. Milla Responder

    Sacam essa mina do lado direito da minha foto ?

    MINHA NAMORADA !

    #Esperando policiais me agredirem por eu dizer que ela é minha namorada e gente homofóbica e alienada mostrando opiniões alienadas com argumentos alienados neste post em segundos …..

    QUEREM SABER O QUE EU ACHO DESSA SOCIEDADE ?????? MERDA, MERDA, MERDA, MERDA E MAIS MERDA.

    Experimentem um pouquinho do nosso amor, tanto uma para/com a outra quanto próprio !

    É disso que vcs homofóbicos precisam !

    1. Eduardo Responder

      Essa sociedade só é uma merda pois as pessoas não respeitam umas as outras. Como tu. Tu exige respeito, mas não respeita. Acho linda essa sua foto, você nao faltou com respeito com ninguem. Contudo, se você se enfiar no meio de um culto evangelico e o fizer, é uma ofensa clara aos ali presentes, provocação pura.
      Assim como existem pessoas que não respeitam os homossexuais, e os agridem em publico, existem homossexuais que invadem cultos e ofendem os ali presentes. Os dois estão errados.
      Mais respeito, de ambos os lados, por favor.
      Aposto que se dois evangelicos invadissem uma parada-gay e se manifestassem, seriam linxados. Queria ver onde vocês iam enfiar a tal liberdade de expressão.

  39. Ueibe Lucas Responder

    É só assistir ao vídeo. A partir de 0:31 até 1:35 é falado que A LEI MANDA PRENDER. Qualquer um ali poderia dá voz de prisão a elas (ARTIGO 301 do Código Penal: “Qualquer do povo poderá e as autoridades policiais e seus agentes deverão prender quem quer que seja encontrado em flagrante delito”). Foi deixado de lado a razão para dá lugar à emoção e atacar quem estava certo. A lei está aí, somente mentes vazias ainda para argumentar a favor das duas moças.

  40. Mario Sergio Jesus Responder

    Pura falta de respeito com as pessoas que ali estavam, quisesse fazer seu show que fosse lá fora. Teriam que ser presas por atentado ao pudor.

  41. Felipe Dos Santos Responder

    O Lugar era público sim, mas o artigo 208 do Código Penal não cita se é lugar Público ou Privado, e basta olhar a imagem e o vídeo para ver que esse ato delas se beijarem foi evidentemente para atacar o PASTOR Marco Feliciano, por isso esse ato se caracterizou um crime.
    Procure ler mais e analisar os fatos antes de falar qualquer coisa.

  42. Claudio Jose Responder

    Como pode um “adevogado” da OAB não saber nada de lei! Desde quando Parlamentar é autoridade? Somente na Câmara! Doto sampaio o senhor é um fanfarrão! Alguma vez já ouviu falar em Imunidade parlamentar? Ele só responde em esfera Federal, doto! Pra crime comum, somente em flagrante delito e pela Policia Federal, doto sampaio! e se elas registraram contra os GM, os videos mostram o contrário. Isso é falsa comunicação de Crime, doto sampaio. Doto sampaio elas mesmas admitiram que estavam fazendo uma manifestação contra um Deputado, mas não havia ali Deputado, mas o pastor, doto! o Doto disse que era um ato de amor e de afeto! que lindo, PENA QUE ELAS MESMO SE ENTREGARAM DIZENDO QUE NÃO MANTEM RELAÇÃO NENHUMA, QUE ERA SÓ PROTESTO MESMO! e agora Doto Sampaio? Fique de bico calado, que o senhor é qualquer coisa menos advogado!

  43. Evandro Responder

    eGente não ta : se é lugar publico ou não o que ta em questão é o culto ao Senhor Deus e não o culto do pastor Feliciano como todos falam ,preste atenção no que falam todos vcs ….

  44. Dirceu Zanchi Júnior Responder

    Se… e somente se… houvesse tal crime, haveriam de ser punidos aqueles que o fizeram!!
    Não se pode usar falácia de argumento escorregadio!
    PUNE-SE a CONDUTA… não sua possível pretensão!

  45. Hudson Carneiro Responder

    Vão estudar Direito Gente. havia uma permissão de uso. E era um Culto religioso que mnerece respeito. Como advogado dou meu apoio ao Feliciano

  46. Essias Responder

    Diziam que eram coitados, amordaçados pela censura. Agora, desfilam nas bancas e imprimem a própria ditadura?

  47. Sys Souza Responder

    Então,sou totalmente contra a segregação que os evangélicos fazem na sociedade,e principalmente ás imoralidades ,de fato, que prega o velho testamento,deixarei aqui alguns dos muitos capítulos e versículos que pregam a desrespeito humano,se tiver uma bíblia em casa,verifique,se tiver coragem,senhor “justo”: Deuteronômio 22:23-29
    exodo 20 e 21
    19-7-8
    Deuteronômio 20-10-20
    Números 31,14-19
    Gênesis 19,31-38
    Êxodo 21, 1-7
    …Pode um homem possuir outro,matar outro,tratar a mulher como objeto a ponto de oferecer suas filhas como recompensa, e ser contra um simples beijo entre duas mulheres?

  48. Plinio Lopes Responder

    Não. É a tentativa da libertação dos exus e pombas-gira das almas desses fracos..


x