Coronel Telhada: Alckmin trata PMs como “filhos bastardos”

Vereador tucano fez um desabafo contra a iniciativa do governo paulista de acabar com a equiparação salarial entre as policias Civil e Militar

543 0

Vereador tucano fez um desabafo contra a iniciativa do governo paulista de acabar com a equiparação salarial entre as policias Civil e Militar

Da Redação

Telhada, ex-comandante da Rota e agora vereador pelo PSDB, não ficou satisfeito com o fim da equiparação salarial entre as polícias Civil e Militar (Foto: Reprodução / Facebook)

Nesta quinta-feira (26) o vereador Coronel Telhada (PSDB), ex-comandante da Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar), afirmou que o governo de Geraldo Alckmin foi desleal com a Polícia Militar e tratou os PMs como “filhos bastardos”. “Como ser leal com quem não é leal conosco? Como confiar num governo que nos trata como filhos bastardos?”, questionou o vereador tucano em texto publicado na sua página pessoal do Facebook.

O motivo da indignação de Telhada contra o governo estadual é o fato de Alckmin ter anunciado na última quarta-feira (25) o fim da equiparação salarial entre as polícias civil e militar. Os delegados terão seus salários reajustados em 10,5% este ano e mais 15% em 2014. Para outras carreiras da Polícia Civil, os reajustes devem chegar a até 27%. Já para a Polícia Militar, nenhum reajuste foi anunciado, somente a promessa do governo paulista de que vai estudar compensações.

No texto, Telhada afirma que o fato de greves serem consideradas crimes militares pode ser uma das razões para que os PMs sejam “desprezados e esquecidos”. “Quero deixar bem claro que não sou contra o policial civil ganhar bem, aliás, esse fato não deixa de ser uma conquista da co-irmã que tem o direito de fazer greves e reivindicar seus direitos e vantagens salariais, o que nós, policiais militares, não podemos, por ser crime militar e talvez por isso uma vez mais somos desprezados e esquecidos…”, escreveu Telhada.

Por fim, Telhada questiona quais seriam as consequências de uma greve da PM para o estado de São Paulo. “Fico pensando como seria um dia de greve da Polícia Militar no estado todo, um dia apenas, será que você cidadão iria ter condições de sair de casa e simplesmente ir ao seu trabalho? Será que só dessa maneira, golpeando o governo e fazendo a população sofrer é que se consegue o reconhecimento devido? Para os que vivem defendendo a desmilitarização da PM tenham certeza de que essas greves da Polícia fardada um dia acabarão acontecendo…”, publicou o vereador.

Em publicação anterior na mesma rede social, Telhada divulgou uma foto de um palhaço para ilustrar o seu sentimento quanto ao tratamento de Alckmin para com a PM. O vereador só não informou na sua rede social se, diante da crise deflagrada entre o governo paulista e a PM, pretende deixar o PSDB.

Com informações do jornal O Estado de S.Paulo. 



No artigo

x