Contra Campos e Aécio, Dilma seria reeleita no 1º turno, informa Datafolha

Todas as simulações de segundo turno testadas pelo instituto mostram vitória da presidenta

247 0

Todas as simulações de segundo turno testadas pelo instituto mostram vitória da presidenta

Por Redação

Dilma Roussef venceria no primeiro turno, se a eleição fosse contra Aécio Neves e Eduardo Campos, segundo Datafolha (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr)

Pesquisa Datafolha, divulgada na noite da última sexta-feira (11), mostra que a presidenta Dilma Roussef (PT) venceria no 1º turno da  eleição presidencial de 2014, se os adversários fossem Eduardo Campos (PSB) e Aécio Neves (PSDB).

Segundo a pesquisa, Dilma teria 42%, contra 21% de Aécio e 15% de Campos. Brancos, nulos ou nenhum somam 16%. Para vencer no 1º turno, o candidato precisa somar mais de 50% dos votos válidos, excluindo brancos e nulos. O Datafolha entrevistou 2.517 pessoas  em 154 municípios.

As três candidaturas são prováveis, embora ainda não estejam confirmadas pelos partidos. A pesquisa é a primeira após a união entre Marina Silva e Eduardo Campos, que podem formar a chapa do PSB no pleito eleitoral.

Outras possibilidades

Outros cenários foram testados pelo Datafolha, em nenhum deles haveria vitória no primeiro turno, mas Dilma venceria todos. Marina é adversária que pode oferecer maior risco para a reeleição da petista.

Na primeira simulação, Dilma (39%) venceria Marina Silva (29%) e Aécio Neves (17%). Em outra possibilidade, Dilma (40%) bateria José Serra (25%) e Campos (15%). No último cenário, Dilma (37%) bateria Marina (28%) e Serra (20%).

Segundo turno

Todas as possibilidade de segundo turno seriam vencidas por Dilma Roussef. Eduardo Campos mostra, na pesquisa, o pior desempenho, com apenas 28% contra 54% de Dilma.

Contra os tucanos a vantagem também é confortável. José Serra teria apenas 33%, contra 51% de Dilma. A presidenta aparece com 54% das intenções de votos no pleito simulado com Aécio Neves, que ficaria com 31%. Contra Marina Silva, o segundo turno seria mais acirrado, 47% a 41% para a petista.



No artigo

x