No Chile, 79 agentes da ditadura podem parar no banco dos réus

Um dos indiciados, Manuel Contreras, já foi condenado a prisão perpétua por outros crimes

291 0

Um dos indiciados, Manuel Contreras, já foi condenado a prisão perpétua por outros crimes

Por Redação

79 ex-agentes de Pinochet foram indiciados (Foto fpealvarez / Flickr)

Por conta do desaparecimento de oito chilenos, opositores do regime ditatorial de Augusto Pinochet, entre os anos de 1976 e 1977, 79 ex-agentes da Direção de Inteligência Nacional (Dina) podem parar no banco dos réus.

O juiz Miguel Vasquez acusa os ex-agentes pelo sumiço dos comunistas. Entre os indiciados está o ex-diretor da Dina, Manuel Contreras, que já cumpre pena por conta de crimes contra a humanidade, entre eles, os assassinatos do ex-chefe do Exército Carlos Prats e de sua esposa, Sofía, em 1974, em Buenos Aires, que lhe valeu a condenação a prisão perpétua.

A operação que possibilitou identificar os 79 ex-agentes ficou conhecida como “Calle Conferencia”, e investigou a ação da Dina para prender os oito militantes.



No artigo

x