PSC aposta em Feliciano como “novo Tiririca”

Para partido, notoriedade alcançada pelo deputado pode fazer dele um dos mais votados de 2014, garantindo a eleição de mais três parlamentares em São Paulo

556 1

Para partido, notoriedade alcançada pelo deputado pode fazer dele um dos mais votados de 2014, garantindo a eleição de mais três parlamentares em São Paulo

Por Redação

Releia também:

Quando Deus pauta a política

Dirigentes do Partido Social Cristão (PSC) em São Paulo acreditam que o deputado federal paulista Marco Feliciano, graças à notoriedade alcançada desde que se elegeu presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara, possa ser um grande puxador de votos da legenda em 2014, repetindo fenômeno de Tiririca (PR-SP) em 2010. Na ocasião, o humorista foi o parlamentar mais votado do país, com 1,35 milhão de votos, assegurando a própria vaga e outras três cadeiras para sua coligação.

Marco Feliciano, um “pop star”, segundo o presidente estadual do PSC (Foto Antônio Araujo/ Câmara dos Deputados)

De acordo com declaração dada ao jornal Folha de S.Paulo, o presidente do diretório regional da agremiação, Gilberto Nascimento, prevê que o partido possa passar dos atuais dois deputados eleitos por São Paulo para até cinco nas próximas eleições. “Feliciano virou um pop star”, afirmou o também pastor evangélico à reportagem do periódico. “É o deputado mais citado do país, acho que é o evangélico que mais tem CDs rodando por aí e já deve ser o mais procurado [por candidatos a deputado estadual] para fazer dobradinhas em 2014.”

Para que a bancada do PSC chegue ao número projetado por Nascimento, Feliciano teria que obter uma votação superior a 1,2 milhão de votos, segundo estimativas.

A possível concentração de votos evangélicos em Feliciano, contudo, preocupa líderes da Assembleia de Deus, que temem uma diminuição de sua bancada em Brasília. Isso poderia acontecer se os eleitores acostumados a votar de forma pulverizada nos candidatos da igreja resolverem votar maciçamente em Feliciano, o que ajudaria a eleger candidatos do PSC que não necessariamente evangélicos, prejudicando outros da Assembleia.

Com informações da Folha de S.Paulo



No artigo

1 comment

  1. cecliagomes Responder

    que máfia


x