Rede e PSB divergem sobre apoio a Alckmin em SP

Seção paulista do partido já recebeu sinal verde para fechar com o governador. Grupo de Marina quer Erundina como candidata

594 0

Seção paulista do partido já recebeu sinal verde para fechar com o governador. Grupo de Marina quer Erundina como candidata

Por Redação

Eduardo Campos e Márcio França: dividindo palanque com Alckmin em SP (Foto Divulgação/site do deputado)

Na montagem dos palanques estaduais para a sustentação da candidatura de Eduardo Campos (PSB) à presidência, o principal ponto de discórdia entre a Rede e o partido que hoje abriga a maior parte de seus militantes reside em São Paulo. Enquanto a seção paulista, comandada pelo deputado federal Márcio França – que pretende ser vice na chapa de Alckmin – já recebeu sinal verde da direção nacional para fechar a aliança com o tucano, os apoiadores de Marina Silva batalham por uma candidatura própria.

De acordo com matéria de hoje (10) do jornal O Estado de S.Paulo, a Rede defende o lançamento de uma chapa que tenha Luiza Erundina como candidata ao governo do estado, com o ex-tucano Walter Feldman como vice. “Acredito que até os jovens do Movimento Passe Livre votariam nessa chapa”, declarou ao jornal o coordenador estadual da Rede em São Paulo, Célio Turino.

Caso prevaleça a posição de França, ex-secretário de Turismo do atual governador, o grupo de Marina deve fazer uma campanha independente, pedindo votos apenas para seus candidatos a deputado no estado. “A Rede não vai apoiar Alckmin”, disse Pedro Ivo, organizador da Comissão Nacional Provisória da Rede ao Portal IG. De acordo com ele, a decisão de não subir no palanque do tucano já foi comunicada formalmente ao PSB desde o início das negociações de uma possível aliança. “Não é motivo para discórdia, não”, acredita.

No dia 5 de novembro, o Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) deferiu liminar da Procuradoria Regional Eleitoral no Estado de São Paulo (PRE-SP) suspendendo inserções do PSB por veicular promoção pessoal a favor de Geraldo Alckmin. Os vídeos vetados pela Justiça Eleitoral exibem entrevistas com pessoas nas ruas de São Paulo que enaltecem a “seriedade” do atual governador, servindo como gancho para que o deputado Márcio França, no final, declare: “O PSB só faz parte de governo sério. É por isso que, em São Paulo, nós estamos no governo Geraldo Alckmin”.



No artigo

x