Pizzolato revela na Itália dossiê que embaraça julgamento de Barbosa

Ex-diretor do Banco do Brasil tem provas de que o dinheiro que deu origem à AP 470 no STF origina-se em uma empresa privada e não de um ente público, como diz relatório de Barbosa.

1492 65

O ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato apresenta provas de que o dinheiro que deu origem à Ação Penal 470 no STF origina-se em uma empresa privada e não de um ente público, como afirma o relatório de Barbosa

Da Redação do Correio do Brasil, com colaboradores – de Roma, Rio de Janeiro e Brasília

O pior pesadelo do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, que tem dado repetidas mostras de interesse pela vida política, começa a se transformar em realidade nas próximas horas, em Roma. O ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato fará chegar às mãos de seus advogados italianos o relatório de perto de mil páginas, que o Correio do Brasil divulga, com exclusividade, no qual apresenta provas de que o dinheiro que deu origem à Ação Penal 470 no STF origina-se em uma empresa privada e não de um ente público, como afirma o relatório de Barbosa.

Para ocultar este fato, que coloca por terra o argumento que levou os réus na AP 470 ao Complexo Penitenciário da Papuda, segundo o dossiê apresentado por Pizzolato, que tem cidadania italiana, o então procurador-geral da República Antonio Fernando de Souza e o ministro Joaquim Barbosa criaram, em 2006, e mantiveram sob segredo de Justiça dois procedimentos judiciais paralelos à Ação Penal 470. Por esses dois outros procedimentos passaram parte das investigações do chamado caso do ‘mensalão’.

O inquérito sigiloso de número 2474 correu paralelamente ao processo do chamado ‘mensalão’, que levou à condenação, pelo STF, de 38 dos 40 denunciados por envolvimento no caso, no final do ano passado, e continua em aberto. E desde 2006 corre na 12ª Vara de Justiça Federal, em Brasília, um processo contra o ex-gerente executivo do Banco do Brasil, Cláudio de Castro Vasconcelos, pelo exato mesmo crime pelo qual foi condenado no Supremo Tribunal Federal (STF) o ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil, Henrique Pizzolato.

Esses dois inquéritos receberam provas colhidas posteriormente ao oferecimento da denúncia ao STF contra os réus do ‘mensalão’ pelo procurador Antônio Fernando, em 30 de março de 2006. Pelo menos uma delas, “o Laudo de número 2828, do Instituto de Criminalística da Polícia Federal, teria o poder de inocentar Pizzolato”, afirma o dossiê.

Dinheiro da Visanet

Ainda segundo o relatório que Pizzolato apresentará, em sua defesa, na corte italiana, um tribunal de exceção foi montado no Brasil com o único objetivo de desmoralizar o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em uma clara tentativa de apeá-lo do poder antes do tempo. Embora o estratagema tenha funcionado ao contrário, com mais um mandato popular surgido das urnas ao líder petista, que em seguida elegeu a sucessora, Dilma Rousseff, o STF seguiu adiante e conseguiu que o ex-ministro José Dirceu e o deputado José Genoino (PT-SP) fossem conduzidos à prisão.

Pizzolato relata, em detalhes, as operações realizadas na campanha política de 2002 e suas ações na diretoria de Marketing do Banco do Brasil. No dossiê, ele contesta os documentos acatados como verdadeiros na AP 470.

“Observem bem a data em que foi escrita a carta mentirosa do “tucano” (Antonio Luiz Rios, ex-presidente da Visanet que hoje trabalha como consultor para a Rede Globo de Televisão) e dirigida aos peritos da PF, foi em 02 de fevereiro de 2006, período em que os advogados não tinham acesso a nenhum documento. E esta carta mentirosa do “tucano” ditou, influenciou e/ou moldou todos os pareceres, perícias e fundamentalmente a própria “denúncia” da Procuradoria Geral da República e do Ministério Público Federal (PGR/MPF), bem como a argumentação do relator Joaquim Barbosa que por sua vez “convenceu” o plenário do STF. Ninguém, repito, absolutamente ninguém, nem o PGR/MPF e nem o relator, deram-se ao trabalho de observar a regra básica de uma relação de mercado, o respeito ao contrato. Pois existia um contrato que normatizava a relação da Visanet com seus sócios, os diversos bancos, sendo o maior acionista da VISANET, o Bradesco”.

Em nove capítulos, Pizzolato também revela que, em março de 2006, quando ainda presidia o STF o ministro Nelson Jobim, a CPMI dos Correios divulgou um relatório preliminar pedindo o indiciamento de 126 pessoas. Dez dias depois, em 30 de março de 2006, o procurador-geral da República já estava convencido da culpa de 40 deles. A base das duas acusações era desvio de dinheiro público (que era da bandeira Visa Internacional, mas foi considerado público, por uma licença jurídica não muito clara) do Fundo de Incentivo Visanet para o Partido dos Trabalhadores, que teria corrompido a sua base aliada com esse dinheiro. Era vital para essa tese, que transformava o dinheiro da Visa Internacional, aplicado em publicidade do BB e de mais 24 bancos entre 2001 e 2005, em dinheiro público, ter um petista no meio. Pizzolato era do PT e foi diretor de Marketing de 2003 a 2005.

Barbosa decretou segredo de Justiça para o processo da primeira instância, que ficou lá, desconhecido de todos, até 31 de outubro do ano passado. Faltavam poucos dias para a definição da pena dos condenados, entre eles Pizzolato, e seu advogado dependia de Barbosa para que o juiz da 12ª Vara desse acesso aos autos do processo, já que foi o ministro do STF que decretou o sigilo.

O relator da AP 470 interrompera o julgamento para ir à Alemanha, para tratamento de saúde. Na sua ausência, o requerimento do advogado teria que ser analisado pelo revisor da ação, Ricardo Lewandowski. Barbosa não deixou. Por telefone, deu ordens à sua assessoria que analisaria o pedido quando voltasse. Quando voltou, Barbosa não respondeu ao pedido. Continuou o julgamento. No dia 21 de novembro, Pizzolato recebeu a pena, sem que seu advogado conseguisse ter acesso ao processo que, pelo simples fato de existir, provava que o ex-diretor do BB não tomou decisões sozinho – e essa, afinal, foi a base da argumentação de todo o processo de mensalão (um petista dentro de um banco público desvia dinheiro para suprir um esquema de compra de votos no Congresso feito pelo seu partido).

No dia 17 de dezembro, quando o STF fazia as últimas reuniões do julgamento para decidir a pena dos condenados, Barbosa foi obrigado a dar ciência ao plenário de um agravo regimental do advogado de Pizzolato. No meio da sessão, anunciou “pequenos problemas a resolver” e mencionou um “agravo regimental do réu Henrique Pizzolato que já resolvemos”. No final da sessão, voltou ao assunto, informando que decidira sozinho indeferir o pedido, já que “ele (Pizzolato) pediu vistas a um processo que não tramita no Supremo”.

O único ministro que questionou o assunto, por não acreditar ser o assunto tão banal quanto falava Barbosa, foi Marco Aurélio Mello.

Mello: “O incidente (que motivou o agravo) diz respeito a que processo? Ao revelador da Ação Penal nº 470?”
Barbosa: “Não”.

Mello: “É um processo que ainda está em curso, é isso?”

Barbosa: “São desdobramentos desta Ação Penal. Há inúmeros procedimentos em curso.”

Mello: “Pois é, mas teríamos que apregoar esse outro processo que ainda está em curso, porque o julgamento da Ação Penal nº 470 está praticamente encerrado, não é?”

Barbosa: “É, eu acredito que isso deve ser tido como motivação…”

Mello: “Receio que a inserção dessa decisão no julgamento da Ação Penal nº 470 acabe motivando a interposição de embargos declaratórios.”

Barbosa: “Pois é. Mas enfim, eu estou indeferindo.”

Segue-se uma tentativa de Marco Aurélio de obter mais informações sobre o processo, e de prevenir o ministro Barbosa que ele abria brechas para embargos futuros, se o tema fosse relacionado. Barbosa reitera sempre com um “indeferi”, “neguei”. O agravo foi negado monocraticamente por Barbosa, sob o argumento de que quem deveria abrir o sigilo de justiça era o juiz da 12ª Vara. O advogado apenas consegui vistas ao processo no DF no dia 29 de abril, quando já não havia mais prazo recurssório.



No artigo

65 comments

  1. Francis Gusmão Responder

    Ainda tem moderação de comentário! Kkkkkk, que tristeza… Nesse caso, moderação = censura… Típico…

  2. Carlos J G Cunha Responder

    Todo mundo tem suas desculpas. Agora começa a aparecer o que já devia ter aparecido e, como quem detém o poder, detém também a tal “cara de pau”, quem leva no pescoço em francês, mais uma vez, seremos nós que pagamos a conta. A pizza está ficando cada vez maior. No fim, todos beberão às custas do erário. Certo mesmo é, se alguém precisar ser preso para fazer de conta de houve justiça – embora não tenha retornado “um pila” se quer do dinheiro roubado -, este será, como sempre, o miserável do MORDOMO.

    1. jorge fontes Responder

      Tudo tem a sua hora certa, talvez seria a carta na manga deles.

  3. Marcos Bassolli Responder

    Blá blá blá de fugitivo, foragido e que tenta, lá de longe, sob o manto da dupla cidadania, desqualificar o julgamento do mensalão e a maior corte de justiça do Brasil e o próprio Brasil. E essa revista eletrônica ainda publica essa “coisa”. Não somos idiotas. Por que não apresentou essas “provas” aqui?

    1. Luiz Eduardo Michelazzo Responder

      ACHO QUE O marcos bassolli NÃO LEU A MATÉRIA, E AS MANOBRAS DE JOAQUIM BARBOSA. MELHOR SERIA LER POIS ESTÁ EM PORTUGUES.

      1. Matv Responder

        Ele teve 10 anos (vou repetir, DEZ ANOS) para divulgar essas ditas provas, ir para a imprensa, para a TV, para a polícia, para os blogs, mostrar todas essas “injustiças” e agora, depois da condenação sair, foge do país e vem com essa e é pra gente acreditar? Numa boa, tem gente imbecil a esse ponto mesmo?

    2. Luiz Menezes Responder

      Tu tá doido Bassolini! Você não sabe que as coisas não funcionam dessa maneira por aqui? Se até Jesus tinha que se esconder de seus adversários para não ser preso “ilegalmente” até que chegasse o momento certo! É por aí, meu chapa! Mas… vamos continuar estudando a situação! Valeu!

  4. RAIMUNDO ELENO DOS SANTOS Responder

    LAMENTAVELMENTE O TRIBUNAL CONSTITUCIONAL (STF) DESATENDEU A SITUAÇÕES QUE RESULTARIA EM OUTRO DESFECHO. INFELIZMENTE O SEU PRESIDENTE, ANTES RELATOR DA AÇÃO 470, JOAQUIM BARBOSA CHEIO DE EMPÁFIA TUMULTUOU O JULGAMENTO. PIZZOLATO VAI BOTAR PRA QUEBRAR. O STF VAI FICAR NA BERLINDA INTERNACIONALMENTE. PRO PUDOR!

  5. Urias Rocha Responder

    O Barbosa impôs uma ditadura no seu prisma, agiu manipulando os demais ministros para alcançar seu objetivos fraudulentos!!

  6. Visitante Responder

    É tão “bacana” ainda ver gente defendendo o banditismo com contra-ataques infundados.

    Eles cometeram um crime, e isto é inegável. As circunstâncias as quais foram utilizadas para fazer-se a punição contra tais atos não tem a menor importância, pois elas levaram apenas a punição dos atos ilícitos outrora praticados pelos réus defendidos neste texto.

    Sites como este deveriam ter mais senso jornalístico pautado na imparcialidade e o mais importante: vergonha em publicar uma palhaçada como esta matéria.

    1. Besta é tu Responder

      Ladrões que nos assaltam desde 1500 ainda soltos. Parece que a corrupção no Brasil começou agora. Bando de hipócritas!

    2. leonardo brasao Responder

      Imparciais como quem? Você?

  7. Osvaldo Aires Bade Responder

    DESDE 2004, O QUADRILHEIRO MENSALEIRO FUJÃO HENRIQUE PIZZOLATO
    JÁ SE SABIA QUE ERA CASO DE POLÍCIA

    http://cinenegocioseimoveis.blogspot.com.br/2013/11/desde-2004-o-quadrilheiro-mensaleiro.html

  8. João Coimbra Responder

    Esta revista tem estatisticamente um número muito elevado de matérias tendenciosamente desfavoráveis a condenação dos dirigentes e ex dirigentes do PT, curioso. Será um porta voz desses cidadãos?

  9. Vera Lopes de Toledo Responder

    No dia em que um condenado confessar seus crimes…valha-nos Deus…ele deverá ser solto .! Claro! até lá….ninguem confessa ! Cadeia !

  10. Flavia Chaves Responder

    Entao se isso e verdade .E mesmo um golpe contra o pt??? Entao o fato de Pizzolato ter escapado a tempo e estar mostrando o dosie a corte Italiana pode ser um tiro no pe dos tucanos??? e essa, afinal, foi a base da argumentação de todo o processo de
    mensalão (um petista dentro de um banco público desvia dinheiro para
    suprir um esquema de compra de votos no Congresso feito pelo seu
    partido).??Alguem sabe dizer q tipo de votos foram comprados???

  11. Nell Barros Responder

    Queridos, a questão é simples: para sabermos, DE FATO, sem manipulações midiáticas a defender quem quer que seja, se esses apontamentos são verídicos ou não, abasta que se abra a caixa de pandora, ou seja, abram esses outros processos. De outro modo dará sim, margem ao pensamento de que, o julgamento foi norteado por elementos ou interesses políticos. Simples assim.

  12. Toinho Do Pt Andrade Responder

    Caso este fato seja verdade, deveríamos pedir o impiteachment de Joaquim Barbosa. Já tinha escutado esta história antes, pois todo mundo sabe que a visa net era um consorcio formado por vários bancos, e que salve engano hoje chama-se CIELO.

  13. Vanessa Responder

    Olha nunca vi tanta banalidade, porque não questionarão isso antes, muito estranho o processo tem 10 anos, isso é uma piada barata, que o povo claro que vai engolir, Realmente Brasil um país de M……

    1. Besta é tu Responder

      Não consegue diferenciar passado (questionaram) de futuro (questionarão). Analfabeta funcional.

    2. leonardo brasao Responder

      É pra mostrar a eficiência da justiça no nossso Brasil. Taí.

  14. Alexandre Augusto Responder

    TEM GENTE QUE FAZ QUESTÃO DE NÃO ENTENDER. É CONVENIENTE! pois é o caso do Marcos Bassoli, O cara não quer entender, pois, para ele não interessa que tudo seja uma farsa. Ele acredita que o caso Alstom/Siemens (que prejudica os Tucanos) é uma farsa. Não é Bassoli?

  15. Matv Responder

    É de assustar que vocês petistas militantes, que tanto lutaram pela “justiça” no Brasil agora estejam dedicando tanta energia para criar boatos, distorcer os fatos e defender pessoas que COMPROVADAMENTE são criminosas, independente de tudo o que está dito acima. Se isso tudo serviu para algo, foi para fazer a máscara dos petistas cair e mostrar que no fundo, no fundo eles só querem saber de manter o poder e o status quo, compromisso com a justiça vocês não têm nenhum. Aliás, essa é a verdadeira definição de “reacionário”. Parabéns, vocês viraram aquilo que mais temiam.

    1. leonardo brasao Responder

      Você tá com medo de ter errado de lado?

  16. Angela Responder

    Eu não estava acreditando muito nessa história aí de cima então fui lá no site do STF conferir o tal Inq 2474. Estou horrorizada! Realmente o Joaquim Barbosa segurou o processo até setembro desse ano quando foi obrigado a redistribuir. Detalhe, só redistribuiu o último volume , de nº 78, que foi redistribuído para o Barroso, agosto/2013, e depois para o Levandovski, em setembro, de acordo com o Regimento Interno do STF. Estou realmente chocada. Vejam e tirem suas conclusões: http://www.stf.jus.br/portal/processo/verProcessoAndamento.asp?incidente=2496553

  17. Matv Responder

    Eu queria perguntar uma coisa pros petistas militantes aqui: Vocês não admitem ler a Veja porque é revista vendida, mas aceitam ler esse tipo de matéria completamente partidária sem nenhuma dorzinha na consciência? Como funciona isso na cabecinha de vocês?

    1. leonardo brasao Responder

      Aguarde e confie. Terás tua resposta. Mas tira o quadro do Joaquim da parede antes que (veja)m.

  18. Marcilio Leao Responder

    o mensalão foi denunciado pelos aliados do PT. acatado pelo procurador do PT, e foi julgado pelos ministros do PT, que condenaram a quadrilha do PT (desculpe a redundância). O dinheiro usado para comprar parlamentares foi dinheiro do erário, esse pessoal não tira do bolso nunca!. Ainda que uma empresa privada tivesse financiado a compra de parlamentares, o crime perdura, a transação ainda seria um grave crime contra a democracia. Empresas privadas não fazem negociatas de graça – o dinheiro público é que esta por trás da fachada privada.

    1. leonardo brasao Responder

      Agora vamos prender um possível ladrão?

  19. leonardo brasao Responder

    Você precisa ler pausadamente e entender. O Joaquim Barbosa é um ditador nato. Abre o olho rapaz, tu foi enganado.

  20. leonardo brasao Responder

    Eu, se fosse ele, faria o mesmo. É um no olho sem dar chance er mostrar a safadeza pro mundo inteiro.

  21. leonardo brasao Responder

    Leia o dialogo entre Aurélio e Joaquim e tente entender.

    1. Galvão Responder

      Você está querendo demais do Alexandre! Os dois neurônios dele vão entrar em parafuso.

  22. leonardo brasao Responder

    Não é hora pra rir? O caso é serio.

  23. leonardo brasao Responder

    Leia o site acima.

  24. leonardo brasao Responder

    De novo?

  25. leonardo brasao Responder

    Eu já cansei de responder essa pergunta.

  26. Osvaldo Aires Bade Responder

    Muito obrigado seu Outro!

    CENAS DE UM MENSALÃO BRASIL BANDIDO, SEUS
    ADORADORES E AMANTES QUE INFESTAM ATÉ A IMPRENSA!

    http://cinenegocioseimoveis.blogspot.com.br/2013/11/cenas-de-um-mensalao-brasil-bandido.html

  27. leonardo brasao Responder

    Deixa ele lá. Aqui só vai dar despeza.

  28. leonardo brasao Responder

    Que DEUS nos livre. Sério gente.

  29. leonardo brasao Responder

    Brasileiro confuso. Vaca de presépio.

  30. leonardo brasao Responder

    Acalme-se!! Tudo será ESCLARECIDO.

  31. leonardo brasao Responder

    Não existe mundo perfeito. Prepare-se para lutar sempre

  32. leonardo brasao Responder

    Pra poder pegar mais ratos. Se apresentasse aqui, uns ficariam nas sombras. Como fazem os covardes.

  33. Luciana Responder

    Descobri.. Papai Noel existe e o coelhinho da Páscoa tbém….

  34. Osvaldo Aires Bade Responder

    Outro Pereio=Block Bloc

  35. Osvaldo Aires Bade Responder

    Gente séria não consegue defender bandido só você e patota.

    PT SE ASSUMIU COMO UMA GANGUE, AFIRMA DEPUTADO GAÚCHO

    http://cinenegocioseimoveis.blogspot.com.br/2013/11/pt-se-assumiu-como-uma-gangue-afirma.html

  36. jose cicero Responder

    eu vi acontecer isso com Ibsen Pinheiro que levantou uma bandeira contra collor querendo ser o melhor parlamentar e todos sabem como foi o fim Collor condenado e ele tambem

  37. Vitor Responder

    Osvaldo, e vc precisa batalhar MUITO mais pra valorizar a grana recebida pela quadrilha dos tucanos. Seus argumentos são irrefutáveis não?
    Seu merda!

  38. Marcelo Bancalero Responder

    Quando Pizzolato provar sua inocência, as pessoas conhecerão como o grande ser humano que é…Ele foi igonorado por muito tempo, agora se fez notícia http://xeque-mate-noticias.blogspot.com/2013/11/henrique-pizzolato-ignorado-por.html

  39. Fernando Afonso Responder

    Você já andou ao lado de alguém que teve problemas com a justiça? Não?

    1. Osvaldo Aires Bade Responder

      Fernando Afonso, você ainda é o maior e único especialista, da coluna, no assunto miliciAnta.

  40. Fernando Afonso Responder

    Quadrilha vive sua mãe e seu pai, Aires Bade

    1. Osvaldo Aires Bade Responder

      Fernando Afonso foragido, você não precisava se denunciar assim tão descaradamente.

      Eu ainda não tinha dirigido a palavra para você militonto, como você veio falar em quadrilha seu otário?
      Mas você pode ficar a vontade para sua explanação sobre como ser um fora da lei..

  41. Urias Trindade Responder

    e a coisa continuar assim com deputados, juízes, filhos de condenados contra o ministro chefe do STF teremos os bandidos soltos, condecorados e indenizados.

    A questão é muito simples:

    1 – Qual o interesse do Marcos Valério e dos do Banco Rural passarem milhões para o PT? É porque eles são muito bonzinhos?

    2 – Quem controlava o PT na época era Lula, Zé Dirceu e Genuíno. Eles ignoravam os “empréstimos”? O Delúbio agiu sozinho, mesmo o Genuíno tendo assinado os contratos?

    3 – Se o Delúbio traiu o Genuíno porque ele não foi testemunha de acusação contra os outros do PT que fizeram a maracutaia?

    4 – O dinheiro evaporou? Mesmo se é caixa 2 como afirmaram, deveriam ter um controle mínimo (entrada/saída/saldo) que fosse apresentado no julgamento. A pena e a repercussão seria menor.

    5 – Calem a boca os representantes da OAB, CNJ, advogados professores eoutros babacas.

  42. Osvaldo Aires Bade Responder

    Fransergio Silva militonto, o sul da Europa como a Espanha já está se livrando de esquerdista assim como também Portugal, Itália, Grécia e muitos outros, até pelo norte da Europa já estão botando para correr seus comunistas então, por que Espanha?

    Você que entende de quadrilha pode explicar pra gente?

  43. Osvaldo Aires Bade Responder

    Vilson Divino militonto, sem condição de conversarmos animal.
    Você sabia que o país está na mão de um bando de mal feitores a 12 anos e que vai ficar para “sempre”?
    Caso você não saiba, seu bovino otário, vou desenhar pra ti.

  44. Osvaldo Aires Bade Responder

    Neuton Pires animal, eu não tenho dono, nem patota, e sou contra qualquer governo que seja seu otário.

  45. Osvaldo Aires Bade Responder

    Ótimo!

  46. stanislaw pietrovisck Responder

    vamos resumir, só resumindo aos extremos é que saberemos se a lei foi ou não aplicada, houve desvio, houve desonestidade, houve atos indevidos, houve imparcialidade, publico ou privado houve desvio de recursos, ninguém pode deixar de ser condenado se não levou vantagem prove, abra todo sigilo bancario e telefonico. pronto.

  47. Osvaldo Aires Bade Responder

    Silas Correa Leite miliciAnata, sua “intilengencia” e fantástica.

  48. Osvaldo Aires Bade Responder

    Silas Correa Leite animal, a unica quadrilha que manda no país é a tua petista.

  49. Osvaldo Aires Bade Responder

    Silas Correa Leite, teu circo , também, pode pegar fogo animal.

  50. Osvaldo Aires Bade Responder

    Marcos Bassolli, todo bandido foge da cana e ponto final.

  51. Osvaldo Aires Bade Responder

    Como é não aguentar mais morrer miliAnta?

    .


x