Moradores de rua são alvo de protesto em Florianópolis: “Não precisamos de mendigos: Fora!”

Habitantes da praia da Canasvieiras, preocupados com o turismo local, pedem saída de pessoas em situação de rua. “Não podemos deixar esta situação se agravar, porque junto vem a sujeira, as drogas, os desentendimentos e até os homicídios”

1908 8

Habitantes da praia da Canasvieiras, preocupados com o turismo local, pedem saída de pessoas em situação de rua. “Não podemos deixar esta situação se agravar, porque junto vem a sujeira, as drogas, os desentendimentos e até os homicídios”

Por Igor Carvalho

Moradores de rua são alvo de protesto em Florianópolis (Foto: Sebastian/Flickr)

Segurando cartazes como “Não precisamos de mendigos: Fora!”, moradores da região da praia da Canasvieiras, em Florianópolis, protestaram contra a presença de pessoas em situação de rua na cidade.

A praia é uma das preferidas de turistas argentinos, que costumam lotar os hotéis da região e o turismo é a principal preocupação dos “incomodados”. “Estamos tentando limpar a praia para a chegada do turista. Isso está queimando nossa imagem”, afirmou Luciana da Silva, uma das organizadoras do protesto, à Folha de S. Paulo.

No blogue SOS Canasvieiras, organizado por moradores da região, em um texto intitulado “Turismo Insustentável”, os insatisfeitos desfilam uma série de argumentos para que se expulse a população de rua da região. “Não podemos deixar esta situação se agravar, porque junto vem a sujeira, as drogas, os desentendimentos e até os homicídios, comprometendo a nossa qualidade de vida e a fama negativa perante o Brasil e o mundo”, afirma o autor.

Em outro trecho, a preocupação com a “vocação pelo turismo” do bairro é lembrada. “Mas não é este tipo de turistas [moradores de rua] que precisamos e queremos, nem na baixa temporada, nem na temporada de verão”. Para encerrar, o autor exalta a cobertura por parte da imprensa. “Até a grande mídia tem noticiado o “descarte” de seres humanos, ditos mendigos, aqui em Canasvieiras.”

“Importação”

Sites de notícias locais, como o Tudo Sobre Floripa, noticiam uma “suposta importação de  mendigos”. “Segundo o secretario Alessandro Balbi Abreu, a denúncia partiu de um morador do local. Ele contou que a prefeitura de Balneário Camboriú, no litoral Norte, teria despejado mendigos daquela cidade em Canasvieiras”, diz a reportagem.

A Folha de S. Paulo afirma ter flagrado, durante a manifestação, um cartaz que reclamava da “importação” de pessoas em situação de rua, motivado pelas: “Balneário Camboriú, para de jogar mendigos na nossa praia (que vergonha)”.

O caso da “suposta importação” deve ser alvo de uma “abordagem” do Ministério Público e da Polícia Militar para se descobrir a origem dessas pessoas em situação de rua. Em entrevista ao Tudo Sobre Floripa, o secretário municipal de Assistência Social de Florianópolis, Alessandro Balbi Abreu, demonstrou preocupação. “O problema é que eles não querem ser ajudados, porque essa época é muito rentável pra eles.”

Um novo protesto contra a a presença das pessoas em situação de rua na praia da Canasvieiras está marcado para a próxima quarta-feira (11).

 



No artigo

8 comments

  1. Fabio Fettuccia Responder

    Se fosse me falar que isso aconteceu em uma capital eu não pensaria outra a não ser Floripa. Muita gente daqui tem a sindrome “DONA FLORINDA”. Moram em cortiços e se acham da elite.

    1. Anderson Raasch Responder

      Florianópolis é a coisa mais inútil que já inventaram…

      Tem gente por lá que nasce com casa, mas sem o cérebro…

  2. MDR Responder

    A reportagem deveria ter mostrado uma foto do protesto que pelo que uma das pessoas postou, tinha umas 40 pessoas. 40 pensando assim em uma população de 400 mil não significa muito. Pra mim é o mesmo que em qualquer praia do mundo. Acho que o texto leva a comentários “contra” Floripa, que foi o que acabei de presenciar. Eu moro em uma cidade que é capital e não é praia e é lotada por moradores de rua, principalmente no meu bairro e concordo que eles são alvo do problema e não o problema em si.

  3. SILVANA FRANÇA DA CRUZ Responder

    SE ALGUEM DIZ; EU AMO A DEUS,E ABORRECE SEU IRMAO,E MENTIROSO,POIS QUEM NAO AMA SEU IRMAO,;AO QUAL VIU; COMO PODE AMAR A DEUS,A QUEM NAO VIU;;;;;IJOAO,CAP.4,VRC.20;;;;;

  4. Hudson Cardoso Responder

    Ao invés de dar sopa, alimentos, dinheiro ou qualquer coisa temporária, porque não dão EDUCAÇÂO pros mendigos, alem de uma oportunidade de emprego ? assim se socializam e serão cidadãos como todos, pois dar alimento, casa e roupas, nada mais é do que esmola….

  5. Vogner Moreira Responder

    http://mvida.org.br/nucleos/recuperacao/cr-cocalzinho/

    Por que então não investem num projeto que trabalhem com moradores de rua. Convidem quem já faz isso e conheçam os projetos já existentes, e se inspirem em fazerem um por lá. Ou quem sabe, convidem os já existentes pra montarem uma sucursal por lá. Não podem é sair incendiando pessoas como o fazem alguns badboys, filhos malditos de uma classe desumana que se acham os donos da vida dos outros. No fundo vamos descobrindo que são mais miseráveis que os miseráveis que não querem por perto.

  6. Italo Zen Responder

    “…perante o Brasil e o mundo”. e o MUNDO. HAHA Mas quem eles acham que são pra esse ego todo? Credo, que vergonha. Nunca antes eu quis tanto gritar essa palavra: COXINHA!

  7. Márcio Silva Responder

    …ASSIM COMO PAÍSES DESENVOLVIDOS (USA, UK,AUS…) NÃO PRECISAM DE VOCÊS DE FLORIANÓPOLIS! E, AO FINAL, TODOS NA HORIZONTAL, EM PUTREFAÇÃO E SERVINDO DE RODÍZIO PARA OS VERMES OU COMO CINZAS DE UMA CURTA E TRISTE HISTÓRIA!


x