No sorteio da Copa, a mulata Globeleza não tem vez

Há anos a Globo contribui para a construção de uma imagem estereotipada dos negros. Normalmente aparecem em papéis subalternos. Na melhor das hipóteses, são associados à dança, ao samba, à sensualidade. Como no concurso que premiou Nayara Justino

1109 10

Há anos a Globo contribui para a construção de uma imagem estereotipada dos negros.  Normalmente aparecem em papéis subalternos. Na melhor das hipóteses, são associados à dança, ao samba, à sensualidade. Como no concurso que premiou Nayara Justino

Por Marcos Sacramento, no DCM

Fernanda Lima entre Cafu e Neymar (Foto: Fifa.com)

Nayara Justino, vencedora do concurso Globeleza, disse que o prêmio vai mudar sua vida. Até março, vai ser a face e o corpo do Carnaval Brasileiro. Ficará famosa e ganhará algum dinheiro. Estudante, 25 anos, vai passar longe do sorteio das chaves da Copa do Mundo de 2014. Lá, mulata não tem vez.

O evento seria apresentado por Camila Pitanga e Lázaro Ramos, mas a dupla teria sido vetada pela Fifa e substituída por Fernanda Lima e Rodrigo Hilbert. Casal loiro, de olhos claros. A Rede Globo, dona dos direitos de transmissão da Copa na TV aberta, acatou a decisão da Fifa.

Compreensível. Há anos a Globo contribui para a construção de uma imagem estereotipada dos negros.  Normalmente aparecem em papéis subalternos. Na melhor das hipóteses, são associados à dança, ao samba, à sensualidade. Como no concurso que premiou Nayara.

O posto de Globeleza é a realização de um sonho para ela. “Desde menina dançava na frente do espelho, sonhando com esse dia”, disse em uma entrevista. Com seu trabalho, vai alimentar as ilusões de outras meninas que estão conhecendo o mundo pelo prisma Global.

Essas menininhas assistiram à cerimônia do sorteio e viram que os apresentadores do evento têm uma cor bem diferente da delas. Perceberão, também, que as jornalistas do Jornal Nacional e a maioria das heroínas das novelas são brancas. Entre um programa e outro, assistirão a comerciais de xampu para mulheres com cabelos diferentes dos delas, fazendo-as acreditar que há algo de errado com o próprio cabelo.

Em meio a essa profusão de rostos brancos e cabelos lisos surge a Globeleza para encantar essas crianças. Como uma fada dizendo às pequenas negras que elas também podem brilhar.

Pela forma com que a mídia tem tratado o negro, com aumentos irrelevantes da presença na dramaturgia, no jornalismo e na publicidade, a Nayara vai herdar o papel das suas antecessoras e inspirar outras meninas a alimentar o clichê de que negra bonita só pode ser passista.



No artigo

10 comments

  1. Miguel Responder

    Estão procurando piolho em cabeça de prego.

  2. Wilton Rocha Responder

    Eu acho, infelizmente, que esse assutnotoda vez que surge, deixa sempre rastros de que o racismo nunca vai acabar. Essa coisa de toda vez que um negro (a) é preterido em detrimento da aparição do branco, sempre vai haver quem se incomode de e reascenda esse assunto de ‘racismo’ acho que não a Fifa ou a Globo, mas escolher Lázaro Ramos que é uma pessoa que está aquém dos padrões de beleza e dar lugar ao Hilbert tá mais que certo afinal um evento como uma copa tem que mostrar rostos bonitos. Agora prá que colocar o Lázaros ou qualquer outro negro (a) prá ser o apresentador. A Globo já provou várias vez, eu sei ue ela não é santa, em sua programação, tanto negros como protagonistas, não só na grade elencos mas como repórteres e âncoras de jornais, agora não se pode fazer disso um cavalo de batalhas e convenhamos que a mulata ou a negra está de fato associado com o samba, com a dança colocar um Globeleza loura foges dos padrões já pré-estabelecido da música, da arte, do folclore, da dança brasileira.

  3. jandira silveira Responder

    muito chata boca mole!!!!fernanda lima….

  4. Demian Carvalho Responder

    Gostaria de ver uma entrevista com o Lazaro ou a Camila dizendo que foram convidados a apresentar o evento e depois preteridos. Acho que isso não passa de um boato de mal gosto.

  5. Kalynka Cruz Responder

    Você esqueceu de dizer que ela vai alimentar ainda mais a “objetização/erotização” da mulher negra. Valorizando a mulher negra apenas como objeto sexual…que é bem isso que a Globeleza representa, dançando semi-nua na TV….”a carne mais barata do mercado…é a carne negra!”.

  6. Jorge mendes Responder

    Fernanda Lima “só porque eu sou branquinha” resgata os filhos e deixa a babá negra no temporal

    http://mariafro.com/2013/12/13/41703/

  7. Walmir Santos de Almeida Responder

    Você está sendo sim racista. Branco querendo ter orgulho por ser branco, isto é simplesmente uma face do Nazismo, estude a história e perceba que seu discurso completamente racista faz parte de uma cultura de inferiorização de não brancos. Lamentável o que você falou é motivo claro de repúdio. Orgulho de ser branco??? Vá ser racista assim no raio que o parta.

  8. Walmir Santos de Almeida Responder

    Além da Fernanda Lima ser uma bela porcaria de apresentadora, com uma porcaria de programa que eu faço questão de não ver, o fato é que NUNCA escolhem o negro para nada que vá aparecer na Globo, muito menos como apresentador, não é o fato de não estar “escrito”, o fato é que o preconceito é SEMPRE evidente, no dia em que as oportunidades forem iguais, não haverá motivo para este tipo de coisa. O sorteio foi na Bahia e mesmo assim arrumaram um casal de brancos para fazer a apresentação. Quando colocaram um casal de negros? Quando isto? Pelo visto se não for algo ligado ao Carnaval, isto nunca vai acontecer. A propósito, negro no Brasil, não usa pasta de dentes, não usa fralda descartável, não compra carro, aliás, não existe negro no Brasil, pois a TV não mostra, mesmo que negros e pardos sejam a maioria no país. O Brasil é o país mais racista do planeta, as estatísticas provam isto e racistas como a maioria dos que comentaram aqui, nunca vão perceber isto, pois o racismo já está tão arraigado no Brasil que quando é demonstrado é negado.

  9. Walmir Santos de Almeida Responder

    No dia em que você ler um pouco de história e perceber que a miscigenação no Brasil ocorreu por conta dos donos de escravos que cruzaram com negras para criar mão de obra escrava barata, e também no dia em que perceber que existe uma diferenciação e uma separação entre negros e brancos bem evidente em termos econômicos e sociais que têm origem no racismo, vai continuar na ilusão de que o Brasil é um povo miscigenado e que não existem diferenças.

    Ser negro no Brasil desde o início do país é que foi motivo para atrocidades e racismo que acontece desde sempre, o problema é que brancos não querem dar o braço a torcer por conta da culpar ou por querer manter os status quo, é evidente que o Brasil é racista, e se estudar um pouco, vai verificar que é o pior racismo do mundo, só falta a você e outros abrirem os olhos para estes problemas, caso contrário podem estar sujeitos a serem atropelados pela história. preste muita atenção no seu racismo.

  10. Walmir Santos de Almeida Responder

    Não sei de onde tirou a ideia de que a maioria no Brasil é branca, o IBGE nega isto. Não é sensacionalismo, o fato é que nunca nenhum negro está a frente de nada, a não ser que seja quase não humano. Pelé é ET,

    Seu discurso dizendo que é branca está dando uma de coitada, os índices demonstram claramente que não existe somente o preconceito social, o preconceito racial é enorme.

    Me fale aí meia duzia de negros famosos que eu lhe falo uns 500 brancos para cada meia duzia que você encontrar.

    Você precisa se atualizar, se um negro te chamar de branquela, principalmente sendo seu chefe e ter perseguindo, isto é racismo, a lei é geral, o problema é que no Brasil o racismo é praticado de brancos contra negros e não de negros contra brancos, por isto parece estranho que a lei fale de todos.

    Brasil é um país racista, o mais racista do mundo.


x