Colômbia: Farc declaram fim de cessar-fogo unilateral

Trégua estava prevista para durar um mês; governo fez "investida homicida" no período, diz grupo

332 1

Trégua estava prevista para durar um mês; governo fez “investida homicida” no período, diz grupo

Por Opera Mundi

Nesta quarta-feira (15/01), as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) encerraram a trégua unilateral iniciada em 15 de dezembro. A organização garante ter cumprido o pacto, apesar das “agressões” das Forças Armadas colombianas.

Diálogo entre delegações das FARC e do governo colombiano já chegou a acordos em dois dos cinco pontos da agenda
Foto: EFE

De acordo com o grupo insurgente, o governo realizou na trégua uma verdadeira “investida homicida” e as operações militares “aumentaram em todos os departamentos do país”.

“Podemos assegurar que os poucos fatos de guerra nos quais se viram envolvidas unidades nossas durante um mês corresponderam a ações de legítima defesa produzidas diante da perseguição e assédio delirantes que tropas e unidades policiais praticaram sem descanso”, afirmou a delegação de paz da guerrilha em declaração lida em Havana, segundo a Efe.

Para o grupo insurgente, os colombianos estão cada vez mais conscientes dessa situação e indicou que seguirá “apostando nas vias de diálogo e reconciliação”.

Aberta em 15 de dezembro, esta é a segunda trégua que as FARC declararam desde que se iniciaram os diálogos de paz com o governo da Colômbia, em Havana. O primeiro cessar-fogo unilateral havia começado em 20 de novembro de 2012.

Negociações de paz

Na última segunda-feira (13/01), o governo colombiano e as FARC retomaram o processo de paz, em Havana. Foi o décimo nono ciclo de conversações para colocar um fim a meio século de conflito armado. Lá, entraram em acordo em dois de cinco pontos da agenda: o desenvolvimento agrário e a participação política.

Na terça (14/01), a guerrilha propôs uma regulação da produção e comercialização de cultivos ilícitos na Colômbia por meio de um programa que proteja econômica e legalmente os agricultores que cultivam coca, papoula e maconha. Ainda faltam discutir outros dois temas da agenda: o abandono das armas e a indenização das vítimas do conflito.



No artigo

1 comment

  1. Esquerdopatia Responder

    Paz? Esses esquerdinhas já mataram mais de 200000 pessoas, dominam a produção de drogas local, por sinal drogas que se espalham para todo mundo, a intenção deles é criar um partido politico e ganhar dinheiro com drogas legalizadas, no poder irão transformar a Colômbia em uma nova Venezuela ou algo pior, que a Colômbia resista o máximo possível.


x