Para senador tucano, rolezinho é coisa de ‘cavalão’

No Twitter, Aloysio Nunes Ferreira diz que 'os bacaninhas de sempre fazem agora apologia da nova modalidade de inclusão da periferia'

424 3

No Twitter, Aloysio Nunes Ferreira diz que ‘os bacaninhas de sempre fazem agora apologia da nova modalidade de inclusão da periferia’

Por Redação da Rede Brasil Atual

O senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) atacou hoje em sua conta no Twitter os rolezinhos em shoppings da cidade, feitos por jovens da periferia paulistana, que ele classificou como “cavalões”.

“Domingo, levei meus netos, de 5 e 4 anos, à exposição do ‘Gloob’ no Shopping Morumbi. Imagino como eu e demais avós reagiríamos caso um bando de cavalões cismassem de dar um rolê por lá…”, escreveu ele, em duas postagens seguidas.

Twitter do senador Aloysio Nunes (Reprodução RBA)

O “Gloob” a que o senador se refere é o canal infantil de TV paga que mantém uma programação de férias naquele shopping, com seus personagens.

Antes, o tucano já havia atacado as pessoas que defendem o direito de a juventude pobre ocupar espaços até então frequentados apenas por pessoas de classe média.

“Os bacaninhas de sempre fazem agora apologia da nova modalidade de inclusão da periferia, e dão pau na PM com vivas ao rolezinho”, afirmou.

No último fim de semana, a Polícia Militar de São Paulo reprimiu com balas de borracha e bombas de gás grupos de garotos que tentavam se aproximar do Shopping Itaquera para um rolezinho. A repressão ocorreu na rampa que liga o shopping ao metrô local e também no terminal de ônibus que fica na região.

Em outro shopping, no Campo Limpo, a polícia do governador Geraldo Alckmin (PSDB), também foi acionada para reprimir os jovens e proteger os interesses do centro comercial.



No artigo

3 comments

  1. Louise Pereira Responder

    Imagina, classe média sofre, mesmo…

  2. Emilio Carepa Responder

    Acho que posicionamentos desse tipo ajudam a desmascarar a pseudo democracia que estes políticos dizem defender. Quer dizer então que pobre não pode ir ao Shopping, nem que seja para fazer compras. E pior, nesse caso trata-se de pessoas que embora de baixa renda, adoram consumir as mesmas marcas e produtos que a elite consome. Às vezes economizam até o dinehiro do ônibus e do lanche para poder comprar um Nike, Mas a Nike já manifestou seu pensamento sobre isso: Disse um representante da marca: “temos vergonha de assossiar a nossa marca a pessoas desse tipo.”

  3. Bruno Lopes Responder

    Um Senador Cavalo! Um Incitatus da República tuitando…


x