Artista gay russo responde socialite criando foto “invertida”

Alexander Kargaltsev , que mora em Nova Iorque, decidiu encenar sua própria resposta ao retrato " ultrajante e de mau gosto

706 8

Alexander Kargaltsev , que mora em Nova Iorque, decidiu encenar sua própria resposta ao retrato ” ultrajante e de mau gosto”

Por Redação

A “resposta” de Alexander Kargaltsev (Reprodução)

Alexander Kargaltsev , um fotógrafo e ativista gay da cidade de Nova Iorque, divulgou uma imagem com a sua “resposta” à socialite conterrânea Dasha Zukhova, colocando um homem negro sentado em cima de um branco.

Para o fotógrafo, a imagem de Zukhova, publicada na revista Garage no último dia 20, é “ultrajante e de mau gosto”. Kargaktsev afirmou que saiu da Rússia após ser perseguido por ser gay.

“Estou desapontado que a tradição de xenofobia seja tão forte no meu país que tal imagem de  Zhukova possa aparecer como se fosse normal e banal . O povo russo parece não perceber quando ofendem outras pessoas por princípio da cor, nacionalidade, orientação sexual e assim por diante”, afirmou Kargaltsev.

Segundo Zukhova, a intenção era propor uma “discussão sobre gênero e politicas raciais”. O fotógrafo não aceita a justificativa da socialite. “Me entristece profundamente ver que o racismo está sendo exaltado e, assim, fez-se não só aceitável, mas foi utilizado por nomes como o de Zhukova .”



No artigo

8 comments

  1. Osvaldo Aires Bade Responder

    Estamos juntos contra a descriminação!

  2. Maia Somel Responder

    O desrespeito dela não justifica outro desrespeito. No inconsciente coletivo da Humanidade, infelizmente esta imagem não é apenas uma metáfora: o ser humano feminino existe para servir e trazer conforto, decorar ambientes, apoiar, fazer parte da paisagem, coisificado. A Mulher tem sido de alguma ou de todas as maneiras as garçonetes do banquete da Vida….Mas ainda não é aceito como um outro ser humano. É necessário encontrar a plenitude dentro de cada um de nós.
    Essa é a nossa missão de uma vida, estar conscientes e entender quem realmente somos. Aprendermos a buscar o centro de nossa espiritualidade dentro do corpo, identificar e respirar, superando o tempo; estamos na verdade, tentando nos adaptar bem a viver num mundo de impermanências e falta de ar…

    1. Rosana Leal Responder

      Poxa que lindo discusso espiritualista… Pena que a discussão política querida!Racismo é política, o desrespeito da socialite precisava de uma resposta a altura.Acorda!!!

      1. marina Responder

        Evidente que é político, Rosana, to falando sobre ser ou não “à altura”.

    2. marina Responder

      Ok, mas nesse caso aí ele está sentado em outro homem. Acho que a questão mais em pauta aqui é a racial, embora sim, isso abarque outros preconceitos, como o machismo.
      Quanto à resposta do cara, não sei se estou realmente de acordo com o fato de estar sentado em outra “raça”. Não seria melhor colocar um negro e um branco sentados sobre algo que simbolizasse a opressão? Sei lá, alguém vestido com símbolos que historicamente representaram a opressão e o preconceito, como o nazismo, a klu kulx klan, dentre outros. Entendo a validez da inversão, mas se o discurso é contra o preconceito, não joagr o jogo do opressor é que seria um tapa de luva.

  3. Thales Rodrigues Responder

    Gente, sejamos francos: não tem como olhar a foto da socialite sem sentir ao menos uma estranheza, um mal-estar. Na dúvida, seja cauteloso. Pessoas poderiam se ofender e se ofenderam. Foi um gesto infeliz.

  4. Andréia Responder

    Lamentável tamanha descriminação!

  5. Samuel Honorato Rocha Responder

    Aproveitando a deixa para aparecer, também! Eu, como negro, não me ofendi com a primeira foto. Não vi preconceito! Sei lá…


x