A família é constituída por um homem e uma mulher, diz autor do Estatuto da Família

Projeto, que exclui as núcleos familiares homoparentais, enumera uma série de ações que o Estado terá que tomar pra “preservar” a família

2478 4

Projeto, que exclui as núcleos familiares homoparentais, enumera uma série de ações que o Estado terá que tomar pra “preservar” a família

Por Redação

Deputado Anderson Fereira acredita que a família está “sob ameaça”

O deputado federal e presidente da Câmara dos Deputados Henrique Alves (PMDB-RJ) criou uma comissão especial para estudar a proposta do Estatuto da Família (Projeto de Lei 6583/13), de autoria do deputado Anderson Ferreira (PR-PE), que, entre outras coisas, afirma que a família é constituída por “um homem e por uma mulher”. Com a comissão criada, os líderes dos partidos devem indicar integrantes para compor o espaço criado.

No texto do PL, o deputado Anderson Ferreira argumenta que o “Poder Público precisa garantir condições mínimas para a sobrevivência da família”. Além disso, o núcleo da família, segundo o seu Estatuto, é constituído a partir da união entre homem e mulher e por meio do casamento, união estável ou comunidade formada pelos pais e seus descendentes.

Segundo o parlamentar a “família vem sofrendo com as rápidas mudanças ocorridas em sociedade, o fato é que não há políticas públicas efetivas voltadas para a valorização da família e ao enfrentamento de questões complexas no mundo contemporâneo”.

O texto, que exclui as famílias homoparentais, enumera uma série de ações que o Estado terá que tomar pra “preservar” a família, entre elas, a criação da disciplina escolar “Educação para família” e a celebração do Dia Nacional de Valorização da Família, a ser comemorada no dia 21 de outubro.

Além do ensino da “preservação da família” nas escolas, o Estatuto ainda propõe a criação do Conselho da Família em âmbito nacional, estadual e municipal. Por fim, o texto estabelece que “os processos judiciais que constatem risco à preservação e sobrevivência da entidade familiar terão prioridade”.

 



No artigo

4 comments

  1. Nádia Responder

    Concordo com a PL6583/13

    1. Rafael Responder

      Vaga você. Eu, que sou gay, tenho que pagar, como no ano passado, cerca de R$12.000,00 pelo ano todo, de Imposto de Renda, mas não posso ter os mesmos direitos que você. Achas isso justo? A bancada evangélica fanática, vai afundar o Brasil mais do que outros já têm afundado.

      1. WW Responder

        PAREM DE COLOCAR A CULPA EM EVANGÉLICOS OU CRISTÃOS EM GERAL,A FAMILIA ESTÁ DESCRITA NA CONSTITUIÇÃO FEDERAL,É LEI,APENAS CUMPRA,SE QUER VIVER ASSIM,PAGUE O PREÇO SEM RECLAMAR E COLOCAR A CULPA NOS OUTROS PELA ESCOLHA QUE FEZ…

  2. Tchutchu emanuel da silva Responder

    E tão bom ter uma familia.


x