Nova lei afegã proíbe que mulheres denunciem abusos sexuais

Crimes como abuso sexual, venda, prostituição forçada e assassinato por conta de comportamento "imoral" não poderão mais ser denunciados ao Ministério Público

1182 9

Crimes como abuso sexual, venda, prostituição forçada e assassinato por conta de comportamento “imoral” não poderão mais ser denunciados ao Ministério Público

Por Redação

Mulheres afegã não poderão mais denunciar crimes de abuso sexual

Uma alteração em lei no Afeganistão vai proibir que mulheres denunciem homens por abusos sexuais. A mudança no Código Penal vai impedir que qualquer mulher deponha contra um parente que tenha abusado sexualmente dela. Ativistas consideram que a lei é um retrocesso na luta contra a violência de gênero no Afeganistão.

A mudança do Código Penal já foi aprovada pelo parlamento e aguarda a assinatura do presidente, Hamid Karzai. Em entrevista ao The Guardian, a ativista Manizha Naderi, do grupo Women for Afghan Women, declarou que a nova lei fará “com que seja impossível julgar casos de violência contra as mulheres, as pessoas mais vulneráveis não vão conseguir”.

De acordo com o texto da lei, casos como o de Sahar Gul, de  15 anos, que ficou acorrentada pelos sogros no porão, passando fome e sofrendo agressões, porque se recusou a se prostituir, não poderão mais ser registrados no Ministério Público. Além disso, os assassinatos cometidos por pais e irmãos que considerarem o comportamento de uma mulher negativo, o casamento forçado, venda de meninas, não serão mais punidos.



No artigo

9 comments

  1. Tarcísio Medeiros Responder

    Isso aí, meninas. Continuem apoiando Estado e religião juntos, que será esse o futuro no Brasil…

  2. Marcelo Responder

    ETK … cara eu pensei em discorrer sobre seu comentário. Mas decidi ser breve e o que eu vou dizer ajudará ao planeta e a você. Se mata.

  3. Marcelo Responder

    kkkkk Que Deus benevolente… cuidado que ele pode te pedir favores sexuais tb

  4. Marcelo Responder

    Que blz .. meus comentários sendo censurados. Quem é o Talibã que está no comando?

  5. Mirtes Responder

    Se houver também outro lugar no planeta, que aprove esta
    atrocidade. Matem todos, não são dígnos de viver.

  6. Mario Responder

    Não estaria a redação da Fórum simplificando demais? O texto como exposto parece sem sentido algum, sem contexto…

  7. maristela Responder

    Parece até uma piada, é absurdamente inacreditável que nos dias de hoje ainda recebemos notícias desse tipo, a vida está totalmente banalizada. O que serão dessas mulheres nas mãos desses criminosos covardes? Que intimidam as mulheres usando a força física? Estuprando, violentando e matando… cadê a ONU? Isso é estarrecedor!!!

  8. Márcia Elena Responder

    Que o analfabetismo funcional atinge grande parcela da população é inegável, mas as palavras do sr. Marcelo contestando o comentário do Tarcísio Medeiros são chocantes! Ou ele não entende nada sobre a laicidade do Estado, ou é um reaça fanático e louco desvairado. Putz!


x