Oposição venezuelana convoca nova manifestação contra Maduro

Acusado de "terrorismo", líder da oposição convoca nova manfiestação; Maduro conclama ao povo para vá às ruas e defenda a revolução bolivariana

347 0

Acusado de “terrorismo”, líder da oposição convoca nova manfiestação; Maduro conclama ao povo para que vá às ruas e defenda a revolução bolivariana

Por Redação

Maduro denuncia golpe orquestrado por López e convoca população a defender a revolução bolivariana

Leopoldo López, líder da ala mais radical da oposição venezuelana ao governo Maduro e membro do partido Vontade Popular, convocou uma nova manifestação para esta terça-feira (18). A convocatória veio depois que ele recebeu ordem de prisão, sob acusação de “terrorismo”.

O líder oposicionista pede aos seus apoiadores que o sigam até o Ministério do Interior, onde vai ser apresentar à Justiça. “Estarei aí para mostrar a cara. Disseram durante os últimos dias que me querem ver preso, aí estarei para mostrar a cara. Não tenho nada a temer, não cometi nenhum delito. Tenho sido um venezuelano comprometido com o nosso país, com o nosso povo, com a Constituição e com o nosso futuro”, declarou López em vídeo.

O oposicionista acusa o Ministério do Interior de ter se convertido em “símbolo da repressão, da perseguição, das torturas e das mentiras”. López também desmentiu boatos de que pretende abandonar a Venezuela e garantiu que vai permanecer no país.

O oposicionista é acusado de “associação, instigação para cometer delito, intimidação pública, incêndio a edifício público, danos a propriedade pública e lesões graves e homicídio”. Na madrugada deste domingo, militares invadiram a residência dele e também a dos seus pais, onde apresentaram mandado de prisão emitido pelo Ministério Público venezuelano.

Maduro classificou López como um “covarde” e, em resposta, o oposicionista declarou que vai apresentar documentos que visam esclarecer como o Estado está ligado aos homicídios que aconteceram durante as manifestações no último final de semana. Segundo o líder da oposição, há “provas irrefutáveis” da participação do governo em tais ocorrências.

Leopoldo López não é uma unanimidade nem entre a oposição, que o classifica como “radical demais”. Henrique Caprilles, que já foi candidato à presidência duas vezes, declarou que a utilização da violência só fortalece o governo, porém, grupos ligados a López pedem ainda mais radicalização nas manifestações.

A Venezuela já enfrenta cinco dias diretos de manifestações. O presidente venezuelano Nicolás Maduro (PSUV) acusa López de ter ligação com grupos paramilitares e empresariais interessados em derrubar o seu governo. Neste domingo, Maduro convocou a população a defender a revolução bolivariana e declarou que um “golpe está em processo”.

A seguir, assista a convocatória de López:



No artigo

x