Assis do Couto, petista contra o aborto, será o presidente da Comissão de Direitos Humanos

Deputado é membro da conservadora Frente Em Defesa da Vida, contrária ao aborto

866 7

Deputado é membro da conservadora Frente Em Defesa da Vida, contrária ao aborto; na rede, ativistas dos Direitos Humanos preferiam os nomes de Erika Kokay e de Nilmário Miranda

Por Redação

Nome gerou rejeição entre ativistas LGBT e feministas

A bancada do PT decidiu na noite de hoje (25) que a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) fica com o deputado Assis do Couto (PT-PR) em detrimento de Nilmário Miranda (MG) e Erika Kokay (DF), ambos com largo histórico na área dos Direitos Humanos.

Nem bem foi divulgado o nome de Assis de Couto e uma chuva de críticas de ativistas do movimento LGBT ocupou a rede. A maior parte deles preferia que o PT indicasse o nome de Erika kokay para presidência da CDHM. A principal queixa é de que Couto nunca esteve próximo as questões de Direitos Humanos e que sua biografia política está ligada mais a questão da agricultura familiar.

Outro nome muito bem visto pelos ativistas de Direitos Humanos era o do deputado Nilmário Miranda (PT-MG). Ele, inclusive, foi ministro de Lula na área.

Outro motivo que tem gerado rejeição ao nome de Assis de Couto é que o parlamentar é integrante da Frente Mista Em Defesa da Vida – Contra o Aborto, que agrega católicos e evangélicos que são contrários ao aborto, tema caro aos coletivos feministas que dialogam com a Comissão de Direitos Humanos.

O Partido dos Trabalhadores também decidiu a presidência de outras Comissões a que tinha direito: Constituição e Justiça (CCJ) fica com o deputado Vicente Candido (SP) e para a Comissão de Seguridade Social e Família, Amaury Teixeira (BA). Já a Comissão Mista de Orçamento será presidida por Devanir Ribeiro (SP).



No artigo

7 comments

  1. Matheus Emílio Silva Responder

    As eleições estão aí. irei me lembrar dessas decisões estúpidas do PT. (Façam o mesmo.)

  2. Paulo César Responder

    fora PT!!!

  3. Cassio Responder

    Meu partido cada vez mas me surpreende. Soube muito bem ser robusto na oposição, sabe mais ainda ser estratégico no governo. Precisamos nos manter no poder, para que as mudanças sejam,a feitas, não em oito, nem dezesseis anos, mas no seu tempo necessário. Muito inteligente trazer para o PT a comissão de direitos humanos, porem com alguém que não seja tanto ao mar, mas que não ira obstruir debates de temas que implica a vida e as minorias.

  4. Teodoro Magni Responder

    Por que alguns acham que o aborto é uma bandeira digna de ser defendida? Sou esquerdista e apoio o Governo do PT e acho que o pensamento de esquerda deve ser favorável à vida. Apoiar o aborto é ser a favor de assassinato de pessoas inocentes. A mulher tem direito ao seu próprio corpo, mas não é dona da vida que leva no ventre. Ser a favor do aborto é ser contra o direito fundamental à vida. O PT nunca poderia apoiar o aborto. Estou feliz pela escolha de Assis Couto para a Comissão de Direitos Humanos.

    1. Bárbara Gael Responder

      Desculpe ser eu a te dar essa notícia, mas não, você não é de esquerda. A esquerda defende as liberdades individuais. Até ao aborto. E não legalizá-lo não significa ser a favor da vida. Quem quiser, vai abortar de qualquer jeito. Legalizar só vai impedir a morte de mulheres em clínicas clandestinas porcas.

  5. Maria Responder

    Ruralista???

  6. Kelvin Responder

    defender a vida, companheiro, nunca é reacionarismo. mas democratizar é preciso.


x