Dilma: “o PMDB só me dá alegrias”

Em reunião realizada ontem, presidenta sinalizou para a possibilidade de o PT abrir mão de candidaturas próprias ao governo de seis estados – Maranhão, Goiás, Alagoas, Paraíba, Tocantins e Rondônia – em prol do aliado

290 0

Em reunião realizada ontem, presidenta sinalizou para a possibilidade de o PT abrir mão de candidaturas próprias ao governo de seis estados – Maranhão, Goiás, Alagoas, Paraíba, Tocantins e Rondônia – em prol do aliado

Por Luana Lourenço, da Agência Brasil. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

A presidenta Dilma Rousseff minimizou hoje (11) a crise com a base aliada e disse que está satisfeita com a relação com o PMDB, maior partido da bancada de apoio ao governo. “O PMDB só me dá alegrias”, disse, em entrevista antes de reunião bilateral com a presidenta eleita do Chile, Michelle Bachelet, em Viña del Mar.

Dilma se reuniu ontem (10) com lideranças do partido para discutir a formação de alianças regionais entre o PMDB e o PT para as eleições de outubro. As duas legendas trabalham para manter o maior número de alianças possível no próximo pleito.

No encontro, Dilma sinalizou para a possibilidade de o PT abrir mão de candidaturas próprias ao governo de seis estados – Maranhão, Goiás, Alagoas, Paraíba, Tocantins e Rondônia – em prol do PMDB, em uma tentativa de melhorar a relação entre os dois partidos.

Líderes do PT e do PMDB farão mais reuniões para continuar negociando alianças para as eleições deste ano.



No artigo

x