Viatura da PM do Rio arrasta mulher por cerca de 250 metros

Transeuntes chamaram a atenção dos policiais, mas os PMs ignoraram; caso está sendo investigado pela 29ª DP

1309 8

Transeuntes chamaram a atenção dos policiais, mas os PMs ignoraram; caso está sendo investigado

Por Redação

Na manhã deste sábado (15) um viatura do 9º BPM (Rocha Miranda) foi flagrada descendo a Estrada Intendente Magalhães, no sentido Marechal Hermes, zona norte do Rio de Janeiro, com o corpo de uma mulher pendurado no para-choque do veículo. A vítima era Cláudia da Silva Ferreira, 38, auxiliar de limpeza.

De acordo com testemunhas ouvida pelo Jornal Extra, o corpo ficava batendo contra o asfalto e nos veículos que o ultrapassavam. As testemunhas garantiram que os policiais foram alertados, mas não pararam.

De acordo com a PM, Claudia Ferreira, foi baleada durante uma troca de tiros entre policiais e traficantes do Morro da Congonha, em Madureira. Os policiais, em depoimento, disseram que Claudia foi socorrida com vida e levada para o Hospital Carlos Chagas, porém, não resistiu. A Secretaria Estadual de Saúde desmente a versão da PM e afirmaa que Claudia chegou morta no hospital.

A irmã de Claudia, Jussara Ferreira, 39, ficou revoltada quando viu as imagens e declarou que os “PMs precisam pagar pelo que fizeram” e também criticou a Polícia Militar por achar que todo mundo que mora na “comunidade é bandido”. O primo de Claudia declarou que quando viu o corpo dela estranhou, pois, estava todo em carne-viva. “Desconfiamos de que tinha acontecido algo no trajeto até o hospital”, declarou Diego.

A filha de Claudia, Thaís Silva, 18, foi a primeira encontrá-la morta e ficou revoltada com o que viu. “Eles arrastaram a minha mãe como se fosse um saco e a jogaram para dentro do camburão como um animal”, criticou Thaís.

Claudia era conhecida como “Cacau” no morro, era mãe de quatro filhos e trabalhava como auxiliar de serviços gerais no Hospital Naval Marcílio Dias, no Lins. A vítima completaria 20 anos de casada em setembro próximo.

A assessoria de imprensa da PM declarou que os policiais do 9º BPM trocaram tiros na operação do Morro da Congonha e um suspeito foi baleado. A nota da assessoria também informa que a vitima foi encontrada na Rua Joana Resende, ponto mais alto da comunidade e que foi levada ao Hospital Carlos Chagas, mas não resistiu.

O caso está sendo investigado pela 29ª DP (Madureira). Os fuzis utilizados pelos policiais estão na perícia. Os moradores, indignados com o ocorrido, fizeram protestos e chegaram a fechar a Avenida Edgar Romero.



No artigo

8 comments

  1. Marcelo Ferreira de Souza Responder

    Onde está a presidente Dilma nesta hora, para dar uma explicação a população e cobrar que a justiça seja feita.

  2. Hanny Meire Responder

    Não sou ignorante para acreditar que todos os policiais são iguais, claro que como em qualquer profissão, existem os bons e ruins. Vamos torcer para que esses sejam identificados e punidos por essa atrocidade. Não importa se a mulher já estava morta! Não existe nada que justifique uma falta de respeito dessas. Li a reportagem e senti vontade de chorar! Pense nessa família que ama essa mulher e recebe o corpo todo judiado… meu Deus, sejamos humanos, tenhamos amor ao próximo! Se coloquem o lugar dessa família que sofre pela morte de uma mãe de família… peço a Deus que conforte essa família! E esses policiais que tenham humanidade e lembrem que eles também tem família… essa mulher era uma pessoa de bem, uma trabalhadora e não um saco de batatas!

  3. eu_anonimo Responder

    Em quem acreditamos? Bandidos protegidos por direitos humanos e policiais desumanos fazem vista grossa à população de cada cidade no Estado do Rio de Janeiro. À beira de uma guerra civil, pessoas combatem o crime fazendo justiça com as próprias mãos e são tratadas como criminosos de primeira grandeza.

    Enquanto isso, lá em cima, os poderosos sentam seu traseiro feliz atrás de uma escrivaninha e mamam nas tetas do governo até se fartarem.

    Até quando você vai ficar sentado atrás da tela do computador? Até quando você será uma vítima calada do que o sistema fez a esse país?

    Será que isso não é culpa nossa? Será que eles (a polícia) não são despreparados por culpa do cidadão que empurra tudo com a barriga? Pense nisso, cidadão. A corja está no sistema e você é cúmplice. Simples assim…

  4. sobibor Responder

    Há muito que os papéis se inverteram… quem são os mocinhos e quem são os bandidos?

  5. ana paula Responder

    Uma imagem vale mais que mil palavras.
    ASSASSINOS !!!!!!

  6. Fernando Monteiro Responder

    ….tanta surpresa??, essa é a nossa sociedade!..ora bolas!

  7. leandro Responder

    kde vc dilma nesta hora não esta sabendo disso que vergonha para nosso governantes ainda tenho que pagar miha justificativa por não votar ai guando voto dilma kde vc nesta hora

  8. Mila Alves Responder

    Um verdadeiro absurdo, e a culpa é dos nossos governantes e quem sabe, até de nós mesmos quando votamos nas pessoas erradas. O que vemos ai são os políticos preocupados não com a sociedade mas, sim em roubar cada vez mais os cofres públicos.


x