MP defende libertação de PMs que arrastaram Cláudia da Silva Ferreira

Segundo o Ministério Público do Rio de Janeiro, o promotor se posicionou em defesa da soltura dos policiais no próprio auto de prisão em flagrante encaminhado à Auditoria de Justiça Militar Por Vitor Abdala, da...

1317 4

Segundo o Ministério Público do Rio de Janeiro, o promotor se posicionou em defesa da soltura dos policiais no próprio auto de prisão em flagrante encaminhado à Auditoria de Justiça Militar

Por Vitor Abdala, da Agência Brasil

O promotor de Justiça Paulo Roberto Cunha atendeu a um pedido dos advogados dos três policiais militares presos por erros no socorro a Claudia da Silva Ferreira, de 38 anos, no último domingo (16), e se manifestou a favor da libertação dos PMs. Segundo o Ministério Público do Rio de Janeiro, o promotor se posicionou em defesa da soltura dos policiais no próprio auto de prisão em flagrante encaminhado à Auditoria de Justiça Militar.

Os três policiais militares acusados de arrastar a auxiliar de serviços gerais Claudia Ferreira chegam para depoimento na delegacia de Madureira (Tomaz Silva/Agência Brasil)
Os três policiais militares acusados de arrastar a auxiliar de serviços gerais Claudia Ferreira chegam para depoimento na delegacia de Madureira (Tomaz Silva/Agência Brasil)

Como os três policiais foram presos em flagrante pelo comando do Batalhão de Rocha Miranda (9º BPM), o Ministério Público teria cinco dias para oferecer denúncia contra os policiais e mantê-los presos. O promotor Paulo Roberto Cunha considerou, no entanto, que as investigações ainda estão em curso e ainda não há elementos suficientes para o oferecimento da denúncia.

Caberá à Auditoria de Justiça Militar decidir sobre a libertação dos policiais militares. Claudia foi baleada no último domingo, durante uma operação policial. Ela foi socorrida pelos três policiais e colocada no porta-malas do carro. Durante o trajeto para o hospital, a porta abriu e ela foi arrastada por dezenas de metros. Claudia chegou morta ao hospital. O laudo do Instituto Médico-Legal apontou o ferimento do tiro como causa da morte.



No artigo

4 comments

  1. linaldo martins Responder

    AI COMO EU DESEJO QUE A PROXIMA VITIMA DESSES ASSASSINOS TRAVESTIDOS DE POLICIAIS,SEJA O FILHO DESSE PROMOTOR!

  2. MARTHA PABLOS DE SOUZA Responder

    Tudo neste país acaba em pizza? Será que nunca vai mudar? Era um ser humano que eles carregavam com descaso e devem ser punidos com a prisão!

  3. Raquel Aparecida Augusto Responder

    No final vão dizer que a Claudia foi morta porque era traficante que o celular dela tinha mensagens para traficantes que ela ainda tentou pular do camburão porque estava transportando droga ou outras mentiras que eles sempre contam quando matam um negro to cansada da hipocrisia desse pais

  4. sergio Responder

    não acredito que eles não virão a pota aberta, acho que foi maldade


x