Justiça liberta policiais que arrastaram Cláudia da Silva Ferreira em viatura no Rio

Segundo juíza, não é possível afirmar que os PMs sabiam que Cláudia era arrastada pela viatura Por Douglas Corrêa e Cristiane Ribeiro, da Agência Brasil...

1234 8

Segundo juíza, não é possível afirmar que os PMs sabiam que Cláudia era arrastada pela viatura

Por Douglas Corrêa e Cristiane Ribeiro, da Agência Brasil

Os três policiais militares estão presos no Complexo de Gericinó (Foto: Tomaz Silva/ABr)
Os três policiais militares estão presos no Complexo de Gericinó (Foto: Tomaz Silva/ABr)

Os três policiais militares (PMs) que estavam na viatura que socorreu e arrastou o corpo da auxiliar de serviços gerais Cláudia Silva Ferreira, de 38 anos, no último domingo (16,) vão ganhar liberdade provisória. A decisão foi anunciada na tarde de ontem (20) pela juíza Ana Paula Pena Barros, da Auditoria da Justiça Militar.

No despacho, a juíza diz que atendeu ao pedido do Ministério Público do estado, que se mostrou favorável à concessão da liberdade aos três indiciados pelo crime. “Na leitura dos termos da prisão em flagrante, não é possível verificar de onde partiram os tiros que atingiram Claudia Silva Ferreira, constando que os indiciados não estavam no local e foram acionados via rádio, pois a vítima estava baleada no chão”, diz Ana Paula na decisão.

“Assim sendo, por mais fortes e chocantes, e até mesmo revoltantes que sejam as imagens de Claudia Silva Ferreira, já baleada, sendo arrastada no asfalto, presa ao reboque da viatura, não é possível afirmar que os PMs conheciam tal fato e o ignoraram. Ao contrário, o que mostram as imagens é que a viatura parou e dois policiais desceram e a colocaram de volta na viatura”, acrescenta a juíza.

Os subtenentes Adir Serrano Machado e Rodney Miguel Archanjo e o sargento Alex Sandro da Silva Alves estão presos no Complexo Penitenciário de Gericinó desde segunda-feira (17). Na quarta-feira (19) eles prestaram depoimento na Polícia Civil. Os três estavam na viatura que transportou Claudia, atingida no peito por um tiro de fuzil durante operação policial no morro da Congonha, em Madureira. No trajeto para o Hospital Carlos Chagas, no bairro vizinho de Marechal Hermes, a tampa da caçapa do camburão, onde a mulher foi colocada, se abriu e ela foi arrastada por cerca de 250 metros, presa apenas pela roupa.

Nesta quinta-feira, três policiais militares que participavam diretamente da operação no Morro da Congonha foram ouvidos pela Polícia Civil. Além de Claudia,  a troca de tiros entre os policiais e traficantes resultou na morte de um adolescente de 16 anos.

*Foto de capa: Reprodução/Jornal Extra



No artigo

8 comments

  1. Jonathan Responder

    Na boa, a justiça brasileira tá “empurrando com a barriga” esse caso dos policiais. Um deles esteve relacionado na morte de quase 70 pessoas (a maioria nem resistiu) e nem assim o cara foi expulso. Calamidade isso aí.

  2. IC Responder

    Como não era possível ??? COMO ?? não é possível é imaginar que vcs tem um pensamento como esse. QUALQUER LEIGO sabe disso, impossível não ter visto que a porta abriu, sem contar, que nem precisava disso, deveriam continuar presos e pagarem já pelo simples fato de te-la colocado dentro de um porta malas, era um ser HUMANO e não um bicho, alias, nem animais se trata dessa forma. Chamar esses policiais de BICHOS ainda é elogio.

    1. Bobs Responder

      Cara, entendo a revolta de todos. Mas o problema é que todo mundo quer meter a boca sem saber de nada.

      Daí o comentarista perito diz: “impossível não ter visto que a porta abriu”.
      Na minha opinião é possível sim. Já vi coisas assim acontecendo. Pessoas perdendo a compra do mercado que estava no porta malas, sem perceber que o mesmo havia se destrancado, indo embora sem perceber.
      Não estou comparando um cadáver com as compras, não é isso, mas o fato de um porta malas se abrir sem que percebam.
      Deve-se levar em conta que eles acabaram de sair de um conflito, estressados, com pressa. Tem muita coisa que sai errada que acontece na hora da pressa.

      Ainda diz que: “deveriam continuar presos e pagarem já pelo simples fato de te-la colocado dentro de um porta malas, era um ser HUMANO e não um bicho”
      A mulher já estava morta, então era um cadáver, não um ser humano. Você colocaria ela onde? No banco do passageiro, com cinto de surança?
      O que tem de mais glamuroso na caçamba do IML do que na viatura?
      Então pára tudo e manda prender os agentes do IML também!
      Muito barulho pra puca coisa. Houve uma falha na logística, fato. Mas o que deve ser apurado, é de onde partiu o tiro, a causa do conflito e se realmente houve intenção ou negligência no transporte do CORPO.
      O mundo seria uma bosta se fosse governado por indignadinhos que acham tudo absurdo e não avaliam as condições em que os fatos ocorreram.

  3. JR Responder

    Só gostaria de ver se isso, tivesse acontecido a uma passageira de um ônibus, e o motorista a arrastasse se teria um julgamento da mesma forma.

  4. Ewerton Responder

    Como nao era possivel saber que a tampa estava aberta?
    Pra que serve o espelho que auxilia o motorista a ver a parte de trás do carro?
    Acho que a juiza nao considerou isso.

  5. MARCOS ADRIANO Responder

    A MÍDIA MANIPULA TODO MUNDO MESMO EH! PORQUE VCS COMENTARISTA NÃO SE COLOCAM NO LUGAR DESSES POLICIAIS, TRABALHA PELO MENOS UM DIA NO LUGAR DELES PRA VCS VEREM COMO FUNCIONA, DEIXA DE SEREM COMO CAVALO QUE ANDA COM TAPA OLHO NA CARA, ESSA MULHER JA ESTAVA MORTA, VCS ACHA QUE DOIS TIROS DE FUZIU AINDA IRIA DEIXAR ELA VIVA? SERÁ TAMBÉM QUE ESSES POLICIAIS SERIA TÃO MONSTRO DE ARRASTAR ESSA MULHER PELAS RUAS? ISSO FOI UMA FATALIDADE, PODE ACONTECER COM QUALQUER AMBULANCIA DO SAMU, OU QUALQUER OUTRO VEÍCULO QUE TRANSPORTA PESSOAS. DEIXEM DE SER MASSA DE MANOBRA, USA A CABEÇA PRA PENSAR UM POUCO.

    1. Marcos Responder

      Agora por que o trabalho é dificil precisa SER corrupto?!
      E se todo professor nao quiser dar aulas que prestem por ser difcil? e se todo medico se negar a salvar alguem por ser dificil? e se todo arquiteto engenheiro desistir de projetos por ser dificil? e se todo psicologo desistir de um paciente por ele ser dificil? e se eu decidir para meus estudos por ser dificil?! Isso nao é justificativa pra matança e para tanta coisa errada! Pelo amor de deus de todas as vezes que precisei de policia sempre fiquei na mao! Nao estou generalizando mas 90% é corrupta é as vezes até negligente!!!! Eu sei que o trabalho é dificil* e perigoso e é exatamente por isso que a policia devia estar ao lado do povo e nao sendo cachorros de poderes maiores!

  6. Aristóteles Responder

    É simples: pergunte ao povo brasileiro o que ele acha da polícia (civil e militar), do Judiciário, do Legislativo? Estamos vivendo sob a ditadura desses citados. Corremos, ainda, o risco de ver esses pseudo-profissionais serem PROMOVIDOS COM LOUVOR!


x