A nova propaganda machista e manipuladora da Avon

Por Jarid Arraes Muito se fala sobre como as propagandas manipulam a mente dos consumidores e criam neles a vontade de comprar algo que nem sempre é útil, necessário ou até mesmo bom. Porém, por...

6432 61

Por Jarid Arraes

Muito se fala sobre como as propagandas manipulam a mente dos consumidores e criam neles a vontade de comprar algo que nem sempre é útil, necessário ou até mesmo bom. Porém, por mais que esse discurso seja mais ou menos aceito, nem sempre é fácil identificar o jogo de manipulação. A Avon, no entanto, lançou recentemente uma propaganda que pode ajudar a tornar essa questão mais acessível para o público.

No vídeo disponível no canal da marca no Youtube, uma moça branca e magra briga consigo em frente a um espelho: “Parabéns, eu acordei gorda de novo! Por que? Porque você não resistiu aquele último brigadeiro da festa. Comeu e hoje acordou parecendo um balão de gás hélio, inchado. Agora toca começar a dieta da proteína, a dieta dos pontos, do tipo sanguíneo, da pera, da lua. Parabéns pra você que se comportou a semana inteira e errou justo no dia da festa. Aquele vestido que você comprou, sabe aquele vestido lindo branco? Esquece, vai ficar todo marcado, ridículo. Vai colocar esse corpinho redondo cheio de brigadeiro pra dançar na pista, vai“.

A reação da moça diante do consumo de um mísero brigadeiro pode soar exagerada e absurda para alguns, mas a verdade é que esse pensamento é a realidade diária de milhares de mulheres, incluindo as que sofrem com transtornos alimentares como anorexia e bulimia; para elas, um único brigadeiro pode provocar crises severas. O discurso presente no vídeo é o discurso que essas mulheres reproduzem constantemente, sem qualquer “toque de humor”. Além disso, mulheres gordas são insultadas do início ao fim, ridicularizadas e desvalorizadas como seres humanos. E apesar da questão ser certamente mais grave para mulheres que sofrem com transtornos alimentares, a agressividade presente no vídeo atinge todo o gênero feminino.

Com o show de ofensas, a Avon espera despertar a preocupação com a aparência física em suas consumidoras. A partir daí todas as mulheres estão, presumidamente, na frente do espelho em verdadeira paranóia, se chamando de ridículas e se torturando porque não “se comportaram”. Até que a empresa, como um passe de mágica, oferece uma solução milagrosa, um produto que em apenas alguns segundos consegue transformar a autoestima destruída em uma autoimagem confiante. O discurso no vídeo de repente muda: “(…) Você vai rechear aquele vestido, vai sambar, se acabar. Os caras não querem ter onde pegar? Então pronto, meu amor. Tá linda, gata, poderosa. Olha só pra você!”

Infelizmente a vida real não é simples assim. Não basta uma aplicação de um produto de maquiagem para que a autoestima destroçada se transforme em amor próprio absoluto. E, ao contrário do que a empresa sugere, o fato de existirem homens que queiram “ter onde pegar” também não faz com que a mulher que se odeia passe a se amar. Afinal, são muitos anos de vida ouvindo que nunca são bonitas o suficiente, que seu valor está diretamente relacionado ao seu peso e as aos ditos “defeitos” no rosto e no corpo. Com uma vida inteira de destruição, nenhum produto é capaz de reparar os estragos. Mas certamente servirá como uma “máscara”.

A Avon sabe que muitas mulheres tentam resolver o problema maior buscando paliativos como os seus produtos. Por isso faz uma propaganda tão descaradamente manipuladora e ofensiva, que trata mulheres como desequilibradas. Subestima a inteligência de todo o gênero feminino, sugere que devem se sentir satisfeitas porque alguns homens gostam de “ter onde pegar” e oferece seu serviço.

Será que as pessoas têm tão pouco senso crítico como a empresa julga?

Foto de capa: Reprodução/Youtube



No artigo

61 comments

  1. Amanda Responder

    Ao contrário se vê na propaganda da Dove: https://www.youtube.com/watch?v=1_ULJzBsZ4A

  2. André Dudatt Responder

    Eu adoraria saber o que um delineador de cílios traz de diferença no peso de uma mulher que “exagerou” comendo um brigadeiro. Além do discurso extremamente sem noção, tiveram a brilhante ideia de colocar o produto errado no contexto errado. Palmas pra agência publicitária que produziu isso : http://24.media.tumblr.com/tumblr_mb4rzbSb4j1rso9nvo1_500

  3. Márcia Responder

    Publicidade SIMPLESMENTE deplorável.
    Horrorosa. Machista. Catastrófica.

  4. Marcelo Jorge Responder

    Exagero na “polêmica”; Sinceramente, não vi nada de mais na peça publicitária.

  5. Denilson Responder

    Sim… Muitas mulheres caem nessa ainda… Triste… Mulheres, uni-vos contra o machismo…

  6. Eugenia Rodrigues Responder

    muito nojo dessa propaganda.
    Meninas morrem todos os dias de anorexia, no mundo todo, pra caber nesse padrão ridículo!
    Curtam minha página no Facebook pra acompanhar o machismo na publicidade e na mídia em geral.

  7. Higor Costa Responder

    O e no final, ela tenta “recuperar” de todas as ofensas e padrões ditatoriais de beleza usados, elogiando-se “com ou sem quilinhos a mais”. Lamentável!

  8. Lucas F Responder

    Mas que coisa mais chata, vocês acham que uma mulher se achar gorda depois de ter comido um doce a mais é machismo? Que notícia patética.

  9. Gustavo Responder

    Os exemplos são muitos;
    A propagando da Cacau Show que mostra uma moça falando ao celular e ao encontrar 3 atores da Globo simula falhas na ligação com o próprio marido, levando o público a acreditar numa situação de infidelidade.
    Ou a campanha DA PRÓPRIA CONAR ( CONAR-Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária) que expõem ao ridículo as reclamações da população.
    Ou ainda a propaganda do Guaraná Antártica, que sugere esperteza do povo brasileiro (interpretado pelo Neymar) sacaneando estrangeiros. Acham exagero? Ou vocês acham realmente que não existem estrangeiros que falem fluentemente português?
    Eu poderia citar mil exemplos de absurdas.
    A publicidade brasileira sempre foi reverenciada no mundo todo. Mas mesmo tendo seus momentos brilhantes, precisa de um órgão regulador atuante, como toda e qualquer profissão.

    1. ADELE Responder

      NOSSA.. MEDO do “precisa de um órgão regulador atuante” entre o a liberdade e a censura, fico com a liberdade, mesmo que usada dessabidamente.

  10. Atila José Responder

    Avon chama.
    mas vai quem quer.
    quem quer ser manipulado, compra dela.

  11. Roberto Responder

    Acho que a ideia da propaganda foi passar aquela famosa “neurose” que toda mulher tem de se achar mais gorda do que ela realmente é (vejam o NOME do comercial–“Quilinhos”), mostrando que isso não existe com as maquiagens Avon. Gordinhas não se ofendam. Vocês são lindas de qualquer jeito. Peguem leve com a ideia. Como a própria atriz diz no final: “O homem quer ter um lugar pra pegar”. (Falo por mim mesmo. Quem gosta de osso é cachorro…rsrs)

    O mundo hoje tá muito chato cara.. qualquer pessoa se ofende por qualquer coisa. E falta também um pouco de “interpretação” da mensagem que a propaganda quer passar!

    1. Samuel Responder

      Um comentário sensato… concordo que vivemos em uma sociedade machista, mas esse preconceito com peso, celulite, estrias etc. é de mulher para mulher.

    2. Lígia Responder

      Vc precisa ler uns livros sobre discurso, retórica e interpretação de texto, vai te ajudar a fazer comentários mais pertinentes. Se vc precisar, posso te assarumas dicas ;-)

  12. flavio Responder

    o pessoal do politicamente correto esta destruindo o mundo ocidental..daqui a pouco ate desejar bom dia será ofensivo e preconceituoso.

    1. camila Responder

      Hahaha. Concordo!!

  13. Ana Responder

    O mais ousado destas empresas é tentar vincular a marca a lutas sociais. A avon é campeã nisso, a pouco tempo atrás começou a vender um colar contra a violência as mulheres, era uma “campanha” com um cunho social. Agora estão com outra campanha que junta o tema da copa, lei maria da penha e graffiti feito por mulheres. Empresas de beleza não cooperam e muito menos lutam por nossa libertação, ela vai usar nosso discurso e na primeira oportunidade $$$ dirá o contrario com humor.

  14. Julianna Responder

    Lamentável. Só isso que consigo pensar agora.

  15. Amanda Responder

    Qual é o problema dela ser branca e magra? Nada a ver.

  16. luciana falcão Responder

    gente !!! quanto drama!vamos parar de mimimi

  17. Larissa Responder

    Eu gostei da propaganda. É um discurso de muitas mulheres lindas mas que se enxergam com alguns defeitos. Não é questão de melhorarem com um passe de mágica, mas sim reconhecerem que na verdade estão exagerando consigo mesmas. O produto é coadjuvante na história.
    Temo esses questionamentos atuais, onde se vê defeito em tudo, “Meu primeiro Sutiã” um dos comerciais brasileiros mais premiado mundialmente, com esse olhar feminista de hoje, talvez seja considerado ofensivo, “manipulador de padrões” embora ilustre uma fase de qualquer menina, com muita leveza e simplicidade.
    http://www.youtube.com/watch?v=yQGGrDjdFuM

  18. Larissa Responder

    Eu gostei da propaganda. É um discurso de muitas mulheres lindas mas que se enxergam com alguns defeitos. Não é questão de melhorarem com um passe de mágica, mas sim reconhecerem que na verdade estão exagerando consigo mesmas. O produto é coadjuvante na história.
    Temo esses questionamentos atuais, onde se vê defeito em tudo, “Meu primeiro Sutiã” um dos comerciais brasileiros mais premiado mundialmente, com esse olhar feminista de hoje, talvez seja considerado ofensivo, “manipulador de padrões” embora ilustre uma fase de qualquer menina, com muita leveza e simplicidade. http://www.youtube.com/watch?v=yQGGrDjdFuM

  19. Carlos Dechandt Responder

    Nunca vi tanta bobagem num só texto!!! Só tenho a dizer… Meus parabéns! Só uma pergunta, o consumismo em cosméticos, roupas, acessórios é o homem quem dita as regras?

  20. sandro Responder

    puta exagero em madame

  21. lili = Responder

    Realmente, terrível!

  22. TYANE Responder

    È O FIM DA CRIATIVIDADE!

    E A RETIRADA DA MASCARA,DEMOSNTRANO O PRECONCEITO EMBUTIDO EM CADA PIADINHA QUE SÓ TEM GRAÇA PARA QUEM NÃO SE ENQUADRA NO PERFIL DESCRITO.

  23. america Responder

    Vocês, da AVON, são muito descarados , seus manipuladores capitalistas.
    Seus produtos são péssimos. Os perfumes têm essência de ”nafitalina” , as maquiagem e os cremes são cheio de substâncias alérgicas e nocivas à saúde.. Vocês são a alternativa das classes com menos poder aquisitivos, mas fazem comercial para ”burgueses”

  24. Selton Igor Responder

    Prezada Jarid, td bem que nem toda propaganda é machista, mas me mostre uma única propaganda neste planeta que não seja manipuladora???? Faz parte do jogo da propaganda e cabe a cada pessoa ter bom senso ao usar seu controle remoto…. Ou vocês pensam que viver no mundo do filme “a invenção da mentira” seria o ideal????

  25. Lucas Responder

    foi como comentei contestando a postagem no facebook de um amigo, estudante de publicidade, que reclamava da “chatice” das pessoas: se você, mulher gordinha, botar a a máscara da avon e AINDA ASSIM se sentir um lixo, é problema seu que não tem essa auto-estima #megapracima. a culpa é sua se você é uma inepta emocional que não se sente bem com um maravilhoso levantar de cílios!

  26. Denizalde Pereira Responder

    Isso sem contar que a atriz da propaganda não é, certamente, o público consumidor a quem eles pretendem convencer a gastar seus tostões pra ficar “megapracima”. É uma mulher magra e linda. Por que será que a Avon não usou uma mulher realmente gorda e não tão “bonita” (falando dos padrões, obviamente)? A manipulação vai ainda um pouco mais do que a autora do artigo muito bem aponta.

  27. isa Responder

    q absurdo de matéria! Tudo é machista agora…

  28. Hellen Responder

    Até para ‘aceitar’ o quilo a mais, é em função do que os homens gostam ou não gostam… ah, faça-me o favor! Tenho pena.

    E vamos combinar que essa atriz é ruinzinha, hein?! pelamor…

  29. Fátima Monteiro Responder

    Não há machismo algum aí, é uma propaganda divertida, e se Avon vende cosméticos o normal é que apele para a vaidade. Vc com isso está fazendo propaganda grátis da marca e anti propaganda do feminismo, mostrando um lado chato e carrancudo.

  30. Luciene Responder

    Olá!

    Gostei do seu texto e na verdade resolvi comentar depois de pensar um pouco sobre o assunto. Lembro que já tive a mesma sensação ao ler um texto como o seu,no * Escreva Lola,escreva* onde uma propaganda de um shampoo da marca Garnier, que falava sobre os habitos e costumes locais,isso era na India, era visto com tripudiação e desrespeito.
    Lendo o seu texto agora,tive a mesma sensação e algumas duvidas.
    Não acho que a propaganda seja machista,não acho tb que tudo precisa ser visto de forma tão radical,Isso vindo de uma propaganda de cosmeticos. Eu vejo nesse video uma mulher sendo exagerada em sua critica, se maltratando,e se cobrando exageradamente por comer apenas um misero brigadeiro Logo em seguida se avaliando,e vendo o exagero que cometeu, dizendo a si mesma que está bem.
    Claro,isso é uma propaganda, e entre a mudança,ela passa um rimel, simbolizando um *toque feminino*.
    Isso faz parte do universo feminino, e acredito! no universo masculino tb. O fato de ser abordado dessa forma, não torna isso uma ameaça a meninas e mulheres que sofrem trantornos. Digo isso,pq eu mesma, sofro de compulsão alimentar(e já fiz diversos tratamentos para controlar) não me sinto abalada pela propaganda.
    Me considero feminista, tanto que sigo e acompanhado os trabalhos de mulheres como vc,a clara Averbuck, a Jessica Ipolito, para entender cada ver mais.

    Não sei se fui clara nesse texto e peço desculpas desde já, pois fiquei insegura para dizer o que queria.

  31. haroldo Responder

    Pura besteira. A colunista ta precisando se ocupar com coisas importantes. Esta vigilância do politicamente correto é realmente muito chata.

  32. Andréa Responder

    Olha, eu já estava bastante incomodada com o primeiro vídeo dessa campanha. Agora então, me chateou mesmo. Falta de respeito. Em contrapartida vemos uma grande marca como a Dove, que faz a mulher se identificar, se sentir bela como é. Um marketing muito bem feito que gera boa imagem e lucro pra marca, sim, mas que tem um papel positivo na consumidora também. Alguém já viu o vídeo do ” adesivo da beleza” (“Beauty Patch”), da Dove?

  33. Frederico C Responder

    Achei o comercial ótimo. É apenas uma alusão ao pensamento das mulheres. Agora tudo é crime? Você, Jarid, infantiliza e menospreza as mulheres como se elas não tivessem cérebro para pensar. Alíás, você e todos os novos publicitários críticos de plantão que vieram pra salvar as pessoas das garras dos vilões.

  34. Fabi Cesquim Responder

    ótima reflexão, parabéns à revista Fórum, oásis pensante na web.

  35. jorge luiz Responder

    Deve ser triste ter uma visão tão limitada das coisas da vida, onde somente se vê e tudo traduz em discriminação racial contra o negro machismo. Uma pessoa assim é útil em alguma coisa?

  36. Jorge Luiz Responder

    Para os raivosos ativistas negros de plantão, sugiro que se deliciem com ódio ao bebes, na matéria http://oglobo.globo.com/sociedade/saude/bebes-sao-racistas-sugere-estudo-12222802

  37. Joacir Responder

    Propaganda imbecil, publicitário idem.

  38. Gisele Cardoso Responder

    Não me impressiono com a propaganda ridícula dessa empresa. Afinal de contas ela cumpre o seu papel que ofertar uma fórmula mágica para os
    ” problemas femininos”.
    Ela apenas representa uma parcela de mulheres desprovidas de senso crítico, que acreditam que a causa última de suas existência seja agradar os homens. Aff tenho preguiça dessas propagandas que não representam as mulheres de verdade, em toda sua diversidade e etc.

  39. Leticia Lopes DG Responder

    Ridículo!
    Isso foi deplorável.
    Endosso tudo que a Jarid escreveu.
    A modelo (que não é nada gorda), dá a “bronca” sem nenhum tom de brincadeira, isso irrita.
    É isso aí! Espalhando a futilidade sem limites.
    PS: Eles tem que arrumar melhores marqueteiros da próxima vez.
    Esses que “tão aí”, não sabem de nada, INOCENTES! KKK

  40. thewall Responder

    a palavra da Avon:
    “Em relação ao vídeo “Quilinhos”, veiculado pela Avon nas redes sociais, gostaríamos de esclarecer que nossa real intenção foi celebrar a confiança e a autoestima da mulher. Devido ao retorno que temos recebido por parte do público, analisamos o material novamente e entendemos que a mensagem pode ter sido mal interpretada. Lamentamos o desconforto gerado e reafirmamos nosso compromisso com o empoderamento das mulheres. A Avon é a empresa voltada para as mulheres. Por mais de 125 anos, tem oferecido às mulheres a oportunidade de ser economicamente independente e é o maior apoiador corporativo do mundo de causas que beneficiam diretamente as mulheres, especificamente o combate ao câncer de mama e à violência doméstica.”

  41. thewall Responder

    Como pode uma empresa arriscar perder as clientes que não são magrelas como a atriz/modelo deste comercial? Porque uma empresa arrisca parecer vender o estereótipo de beleza, como se ser “magra” fosse a única boa opção em uma pista de dança? Nem que fizessem uma versão com uma linda mulher gorda, apagaria esta impressão horrível que este comercial deixa. Com a palavra a agência, JWT.

  42. joão victor Responder

    elas deveriam ta é reclamando da péssima atriz q escolheram ‘-‘ ho mulher ruim, pelo amor de deus, é esse o nível dos atores q a gente tem aqui gente? D:

  43. Mario Responder

    Tentativa falha de copiar a marca da pomba, o argumento que a maquiagem levanta a alto estima, até seria valido se não jogasse na vala comum todas as mulheres. A mensagem residual que fica é: “Toda mulher esquizofrênica é paranóica ao ponto de achar que um único brigadeiro faz ela engordar um quilo.” A sátira “espelho” da Porta dos fundos ficou perfeita.

  44. Icaro Souza Responder

    Gostaria de saber a definição de “machismo,” pois nessa propaganda não vi nenhum machismo. Só vi a realidade de algumas mulheres paranoicas, narcísicas em que nada tem haver com nós homens, e sim com o padrão de beleza imposta não pela sociedade mas pelo marketing, que para vender seus produtos, fazem você acreditar que a sua condição está péssima, para você ser amada tem que comprar esse produto. Essa militância feminista está viajando na maionese faz tempo.

  45. Kelly Ebm Responder

    Quando uma empresa faz uma propaganda, obviamente irão falar que a marca é maravilhosa, milagrosa, ótima e afins.. Só vocês mesmo feministas pra achar que vai ter alguma empresa que vai dizer “não use nossa marca, pois não vai adiantar de nada na sua vida”.. É claro que vão querer exaltar o seu produto de todas as formas possíveis.. a avon talvez tenha exagerado um pouco, mas vocês falam de uma maneira como se nenhuma mulher pudesse se cuidar, se produzir, que todas devam ser relaxadas só pra não dar o “gostinho a sociedade” de que não se veste “no padrão”.. Vocês estão cada vez mais paranóicas com isso.

  46. Thais Responder

    Ruim demais…… mas já não compro da Avon há meses… desde que soube que é a única grande empresa de cosméticos (e popular) que ainda faz testes em animais!!!! Não faz a menor falta!!!!

  47. Vovô Garoto Responder

    Hahahahahaha, que texto ridículo! Vivemos em uma era onde uma propaganda que discute a velha paranoia feminina em relação ao peso é taxada de machista (como?) e manipuladora? Parece aquele comercial da Conar, só que desta vez não é piada. Jarrid, você parece ter questões complicadas em relação a sua própria autoestima, não vai ser transferindo a “culpa” disto para a “sociedade machista” que algo vai mudar, a mudança deve vir de você e não dos outros.

  48. Martha Responder

    Ma….ma quê? Jorge Luiz….de onde saiu isso de negros?? Não tem nada haver com o contexto da história. O povo fuma e depois quer comentar….é o que dá.

  49. Dono da verdade Responder

    Na boa, deve ter pelo menos 2 mulheres pra cada 1 homem no grupo publicitário que criou esses comercial, se é machista é por culpa de quem? Quem manda encher a cara de brigadeiro…vai dizer que não gosta?

  50. Magalhães Responder

    Vergonha desse Conar e de muitas publicitários…. Fazer o que?

  51. Renata Responder

    Que propaganda horrorosa! Isso só reforça os conceitos de que a mulher tem que ser magra para ser aceita. Que bola fora, Avon!

  52. Paula Responder

    Caraca… Vcs são um bando de frustradas que se ofendem com tudo. Vcs precisam é regular o cerebro de vcs…

  53. Henzo Responder

    quando é o vídeo do porta dos fundos ninguém fala nada né?
    https://www.youtube.com/watch?v=mwJ8eMoZriQ

    seus bando de hipócritas

  54. HOMEM Responder

    CERTO! você nunca reclamou de uns quilinhos a mais…até eu reclamo depois de ter comido muito no dia seguinte.Esses exageros de “rebeldia” as vezes beirão o ridículo. pode até falar dos padrões de beleza..
    -meu deus ninguém é assim! certo.
    mais isso vai existir sempre, assim como o cara de tanquinho nos comercias, que vocês mulheres ficam babando, normal o cara que esta no comercial é mesmo bonito… mas o que vejo no comercial não é nada além de uma situação que toda a mulher passa pudesse ser magra, gordinha ou palito..mas não vou me aprofundar nisso. Porém machista ???? “homem não gosta de ter onde pegar?” .Bem não sei quanto, a vocês mas nunca foi falado sobre sexo em uma roda de amigas ninguém nunca saiu para ficar ? comentar sobre o que os homens gostam?? nos comentamos sobre o que vocês gostam. LUCIENE tu é porreta guria belo comentário mais forte ainda pois você é mulher concordo com você e acrescento ao meu comentário grande parte de suas palavras. Parem de fingir que não existe mulheres magras, gordas, gordinhas, semi-anoréxicas pois elas existem. Sou homem minha namorada é gordinha e não trocaria ela pela do comercial, além disso ela tem auto estima e é #megapracima. que tenha dito.

    Bj mandadas

  55. Jana Responder

    Acho que a propaganda ilustra aqueles dias, mais frequentes para umas do que pra outras, em que a mulher se olha no espelho com um olhar mais crítico e autodepreciativo. Até aí tudo bem. Agora o que deixou a desejar foi ela ter pulado da baixa auto-estima para um estado de narcisismo não por meio de reflexão e aceitação, mas sim por meio de uma coisa tão provisória quanto uma maquiagem. E quando ela retirá-la?
    Concordo com um colega que falou acima de uma questão importante: parece que hoje qualquer mensagem é recebida como preconceito. Por exemplo, já vi propagandas e novelas ressaltando a beleza e a sensualidade das mulheres com sobrepeso ou obesas. Desculpem-me quem se encaixa nesse perfil, mas criticar esse estilo de vida não é preconceito, é questão de saúde. É comprovado que problemas cardiovasculares, síndromes metabólicas e doenças osteomusculares atingem mais as pessoas com IMC acima do normal.
    No outro extremo, encontra-se a mídia perversa que propala o culto à magreza e beleza a qualquer custo, contribuindo para problemas prevalentes como baixa auto-estima, violência contra a mulher, distúrbios alimentares e morte.
    Acho que estamos em um momento especial da humanidade, em que há muitos caminhos a se trilhar e muitas informações acessíveis. Quem é sensata, cria seu próprio caminho e utiliza as informações que são úteis na construção de uma vida eficiente e feliz.

  56. mauricio Responder

    Jarid.. vai procurar oque fazer pelo amor de Deus…

  57. Thabita Responder

    Sinceramente gostaria de saber porque as pessoas comentam tantas coisas odiosas… se não gostou do texto então não leia, ignore.. partindo do mesmo princípio que vocês defendem quando alguém reclama de uma propaganda machista ou racista.


x