“Não ouvirei calada a campanha negativa daqueles que querem ferir a imagem da empresa”, diz Dilma Rousseff sobre Petrobras

Presidenta declarou que a Polícia Federal e a Controladoria Geral da União (CGU) já investigam as denúncias e que “nada e nem ninguém vai conseguir destruir” a empresa

375 3

Presidenta declarou que a Polícia Federal e a Controladoria Geral da União (CGU) já investigam as denúncias e que “nada e nem ninguém vai conseguir destruir” a empresa

Por Redação

Em discurso realizado nesta segunda-feira (14), em Ipojuca (PE), a presidenta Dilma Rousseff saiu em defesa da Petrobras contra aquilo que ela ela classificou como “campanha negativa” contra a estatal. Rousseff declarou que a Polícia Federal e a Controladoria Geral da União (CGU) já investigam as denúncias e que “nada e nem ninguém vai conseguir destruir” a empresa.

Dilma Rousseff disse aos presentes que as investigações sobre as denúncias contra a Petrobras estão sendo feitas “com rigor” e que os culpados serão “punidos”. Porém, a presidenta declarou que não vai deixar que fatos isolados prejudiquem a imagem da Petrobras, que, segundo a presidenta, é a “maior e mais bem sucedida empresa brasileira”. “Nós, com determinação, estamos aqui nos comprometendo a cada dia, que o que tiver que ser apurado, vai se apurado com o máximo de rigor, e punido também com o máximo de rigor”, prometeu.

“Nós, como brasileiros, não podemos permitir que se utilizem ações individuais e pontuais, mesmo que graves, para tentar destruir a imagem de nossa maior empresa, nossa empresa mãe, ou confundir quem trabalha a favor e quem trabalha contra a Petrobras”, apontou. “Ao contrário do passado, a Petrobras é hoje a empresa que mais investe no Brasil: foram US$ 306 bilhões de 2003 a 2013. Está errado quando alguns dizem que a Petrobras está perdendo valor de mercado. Manipulam dados, distorcem análises, desconhecem deliberadamente o setor do petróleo. Escondem, por exemplo, que em 2003, no início do governo Lula, ela valia, no mercado, R$ 15,5 bilhões, e hoje, mesmo com toda a crise internacional, com todos os problemas a ela ligados, e questões relativas e conjunturais da bolsa, o valor chega a R$ 98 bilhões”, disse a presidenta.

Em clara alusão à gestão de Fernando Henrique Cardoso (1995-2002), a presidenta lembrou da tentativa de mudança do nome da companhia para Petrobrax. “A história da Petrobras e do petróleo aqui no Brasil tem sido cercada de muitos desafios, confusões e até mesmo de armadilhas. De forma muito sorrateira, prepararam todo um processo que, se não interrompido, acabaria por conduzi-la fatalmente a mãos privadas (…) a sigla que é a nossa identidade, a nossa nacionalidade, que é Bras, de Brasil (…). Com o apoio de todas as pessoas, a Petrobras resistiu a todas as tentativas de reduzi-la, privatizá-la. As tentativas de sucateamento deixaram marcas profundas, mas temporárias.”

Por fim, Dilma Rousseff declarou que não irá escutar “calada a campanha negativa daqueles que, por proveito político, não hesitam em ferir a imagem da empresa”.



No artigo

3 comments

  1. Mário de Oliveira Pinheiro Responder

    Esse pessoal corrupto tucano de São Paulo ultrapassa os limites da irresponsabilidade.Os demos nem merecem comentário pois são hodiernos patifes vinculados a interesses externos e parasitas internos associados.

  2. Gilsemar Fernandes Responder

    Sucesso presidenta!!! confiamos em você! Força, garra e ação contra esses tucanalhas!!! e DEMônios!!!!

  3. Evangelline Responder

    Essa é a postura q se espera da presidenta.


x