“A batalha democrática passa, hoje, pela batalha por liberdade na internet”, diz Manuel Castells

Em debate no Arena NETmundial, sociólogo relacionou o poder libertário da rede à eclosão das manifestações em todo o mundo

472 0

Em debate no Arena NETmundial, sociólogo relacionou o poder libertário da rede à eclosão das manifestações em todo o mundo

Por Anna Beatriz Anjos

Para o sociólogo espanhol Manuel Castells, a democracia, nos dias atuais, está diretamente ligada à liberdade de expressão na internet. Ele esteve presente  nesta quarta-feira (22) em um dos debates da programação do segundo dia de atividades do Arena NETmundial.

Castells, que leciona na University of Southern California, nos Estados Unidos, participou do evento por videoconferência. Em São Paulo, participaram do diálogo o ciberativista Javier Toret, articulador do movimento espanhol 15M; a ativista política mexicana Laura Citali Murillo, do movimento #YoSoy132; Everton Rodrigues, da campanha Por Que o Senhor Atirou em Mim?; e Fabio Malini, coordenador do Laboratório de Estudos sobre Imagem e Cibercultura (Labic), da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). A mediação ficou por conta de Diogo de Sant’Ana, secretário executivo da Secretária-Geral da Presidência da República.

O espanhol falou sobre os movimentos sociais que se organizam por meio da rede e, posteriormente, tomam as ruas. Para ele, isso incomoda as elites políticas e os governos, que reagem às manifestações – o que chama de contra-revolução. “Estamos vendo cada vez mais a tentativa de encontrar novas formas de repressão e controle dos movimentos sociais, dos espaços de debate público. Isso se expressa, em primeiro lugar, na tentativa de controle da internet. Por isso, a liberdade de expressão na internet é uma batalha fundamental”, explicou.

Essa resposta se dá, segundo Castells, quase sempre por meios não pacíficos. “A forma essencial de controlar os movimentos sociais é a violência. Para eles, nada melhor do que provocar a violência, infiltrando-se como provocadores”, indicou.

O sociólogo não deixou de abordar o Marco Civil da Internet, aprovado ontem (22) pelo Senado e sancionado, nesta manhã, pela presidenta Dilma Rousseff. “É um momento histórico”, disse.

Foto de capa: Eduardo Aigner



No artigo

x