“Este bar não é pra mana”

Cliente de bar em Curitiba reclama de atendimento e recebe resposta preconceituosa por Facebook

1398 17

Cliente de bar em Curitiba reclama de atendimento e recebe resposta preconceituosa por Facebook

Por Isadora Otoni

Insatisfeita com o serviço do bar Phoenix American Mex, de Curitiba, Juliana Cavalcante utilizou a página do Facebook do estabelecimento para publicar suas reclamações. A cliente contou que a hostess da casa a direcionou para uma área isolada, que a qualidade da bebida e a quantidade da comida eram insatisfatórias e que os banheiros estavam interditados. Mesmo assim, Juliana pagou um preço alto pelo serviço. Como resposta, ela ouviu do perfil do proprietário que “este bar não é pra mana”.

Juliana indignou-se com o comentário. “Será que se eu fosse loirinha de olho azul e reclamasse do bar iam me chamar de mana?”, publicou. Em seguida, o perfil de Marcus Vinicius Conte disse: “Uma pessoa como você deve pertencer à classe dos que começaram a vida agora, para não dizer mana”. A falta de respeito pública viralizou na rede social, fazendo com que o restaurante tivesse que se posicionar.

A justificativa para o acontecido é de que “um funcionário acessou indevidamente a conta pessoal do proprietário para responder comentários de clientes”. No entanto, um dos internautas que acompanhava o caso reparou que as respostas do perfil de Marcus foram publicadas em um intervalo de 24 horas. O proprietário alegou à Fórum que não percebeu as publicações porque estava fora de Curitiba, mas não quis revelar a identidade do funcionário. “Estamos ainda preservando a identidade do culpado uma vez que tinha uma excelente ligação comigo”.

Sobre as providências tomadas, Marcus Vinicius disse que já se desculpou com Juliana. “A pessoa responsável ligou para a cliente para se desculpar hoje pela manhã”. Quando questionado se considerava o caso como preconceituoso e racista, o proprietário foi enfático: “De maneira alguma”.

Curitibanos organizaram um rolezinho como protesto contra o bar. O encontro está marcado para o sábado (26), às 20h, em frente ao Phoenix American Mex.

(Foto de capa: Divulgação/Facebook)



No artigo

17 comments

  1. Atila José Responder

    Curitiba tem racismo?

  2. User Responder

    Dono do bar ainda apela pra covardia de sempre, a velha desculpa do “meu perfil foi invadido”. COVARDE! e estúpido.

  3. Sancho Responder

    E doido deu andar por ai numa cidade dessa do sul,são os lugares que tenho um pavor de ir, e o sul e a russia,sei que esse lugares estão com algo sinistro me reservando
    graças a deus não tenho dinheiro pra ir na russia,mais ja numa churrascaria rodizio de gaucho,uma vez por mes arrisco minha vida.ABAIXO AS CHURRASCARIAS DE GAUCHO FORA DO RS!!!!

    1. Macunaima Responder

      Menos, amigão. Sou caboclo do Rio (pai branco português e espanhol, mãe mestiça indigena e portuguesa) e estive visitando varias cidades do Sul em janeiro. Passei por Curitiba, Joinville, Blumenau, e até lugares minusculos da serra catarinense com forte população de origem alemã do Vale do Itajai como Pomerode ou Massaranduba e posso te dizer que fui muito bem tratado. Racistas e idiotas preconceituosos infelizmente estarão presentes em todos os cantos do Brasil, como do mundo. Seu discurso de generalizar não ajuda em nada.

    2. janda Responder

      ????

    3. Tatiana Responder

      Só pra te situar, Curitiba é no Paraná!

      1. Santana Responder

        E o Paraná fica no sul do país…

    4. Não sou só Gaúcho, sou Brasileiro Responder

      Abaixo à toda generalização em todo território nacional.

    5. Priscila Responder

      passei por constrangimentos tbm num bar no sul, percebi que não queriam me atender, ignoravam completamente minha presença, me senti mal e fui embora pq vi que eles atendiam outras pessoas que estavam ali e eram é claro mais brancas que eu. Não faço aqui generalizações pq seria burrice, mas o tratamento é diferente do que tive em outras partes dos Brasil, acho que não fui no lugar certo no sul onde eu me sentisse a vontade e bem tratada

    6. bira Gonçalves Responder

      Deixa de ser ignorante seu estúpido. A região sul e uma das regiões mais prósperas e humanoa do Brasil. Tu estás sendo tão descriminante quanto dono do bar.

    7. Claudio Ferreira Responder

      Comentário sem noção.

  4. Luciana Responder

    não desculpe o funcionário, processa ela

  5. mille Responder

    Gente, o que é “mana”?

  6. Jeison Responder

    Quando me chamarem de alemão de novo tbem vou processar… chamar um preto de preto eh crime, tao logo chamar um branco de branco tbem eh… racistas piores, sao aqueles que ofertam dois pesos e duas medidas para algo…

    1. Rosie Responder

      Manda um link aí com a condenação de alguém pelo crime de racismo por ter chamado preto de preto…

  7. Heder Responder

    Só temos que tomar cuidado com nossas observações e não cair no erro das generalizações que geram noções como “o pessoal do Sul é todo preconceituoso”, o que por si só já é um preconceito.
    Como já dizia Nietzsche: “Quem luta contra monstros deve tomar cuidado para não virar um monstro também”.

  8. Lupercio Responder

    Não são lugares como o bar Phoenix American Mex, de Curitiba que não duram mais de dois anos e mesmo assim tem uma renca de paga pau que freqüenta estes ambientes?? Primeiro deixam de pagar os fornecedores, depois os funcionários e quando abrem a mala nem os impostos? Estou fora!!!


x