Padilha nega envolvimento com doleiro: “Mente quem diz isso”

Ex-ministro afirma que acionará, na Justiça, quem "usou" seu "nome em vão"

334 0

Ex-ministro afirma que acionará, na Justiça, quem “usou” seu “nome em vão”

Por Igor Carvalho

Em entrevista coletiva, na tarde desta sexta-feira (25), o ex-ministro da Saúde, Alexandre Padilha, rebateu as reportagens que relacionam seu nome a irregularidades investigadas pela Polícia Federal. O nome do ex-ministro supostamente aparece em trocas de mensagens entre o doleiro Alexandre Youssef e o deputado licenciado do PT do Paraná, André Vargas. O deputado diz que falou com “Pad”, que a PF relaciona a Padilha.

Na conversa, Padilha teria indicado o executivo Marcus Cézar Ferreira de Moura para trabalhar no Labogen, controlado pelo doleiro Alberto Youssef, preso por suspeita de lavagem de dinheiro. “Estou extremamente indignado e repudio qualquer envolvimento do meu nome com essa situação. Mente quem diz que eu indiquei Marcus Cézar Moura para qualquer laboratório privado. Mente quem diz que existe ou existiu qualquer contrato do Ministério da Saúde com a Labogen”, afirmou Padilha. “Desafio a procurarem e encontrarem no site da Transparência algum contrato em minha gestão.”

O ex-ministro disse também que tomará duas providências imediatas. Pedirá, através de seus advogados, o relatório completo da Polícia Federal, e acionará judicialmente terceiros que o tenham citado. “Vou processar qualquer pessoa que tenha utilizado meu nome em vão.”

“Continuarei tranquilo e focado em meu trabalho à frente da Caravana Horizonte Paulista, que segue percorrendo o interior do estado. Vou continuar debatendo a falta de água, os atrasos nas obras do Metrô e da CPTM”, afirmou o ex-ministro. Segundo Padilha, seu partido, o PT, sempre enfrenta “ataques, agressões e raiva” quando debate os “graves” problemas de São Paulo.

Os boatos de que o ex-ministro poderia ser substituído por outro nome na candidatura petista foram rechaçados pelo presidente estadual do PT, Emidio de Souza. “Não há outra pessoa que não o Padilha, talvez os adversários estejam assustados com o sucesso da Caravana Horizonte Paulista e por isso surgiram essas notícias. Reafirmamos a candidatura única de Alexandre Padilha ao governo de São Paulo”, disse.



No artigo

x