Paulinho da Força dá o tom da campanha de 2014: “Dilma deveria estar na Papuda”

Em ato organizado pela Força Sindical, deputado acusa presidenta de "roubar" a Petrobras e pede "banana simbólica" à mandatária

400 2

Em ato organizado pela Força Sindical, deputado acusa Dilma de “roubar” a Petrobras e pede “banana simbólica” à presidenta

Por Redação

No ato político de 1º de Maio organizado pela Força Sindical, realizado no centro de São Paulo, o deputado federal Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força (Solidariedade-SP) deu uma mostra de como deve ser o nível da campanha eleitoral de 2014. O parlamentar afirmou, durante discurso feito no evento, que a presidenta Dilma Rousseff deveria “estar presa”. “Quem deveria estar presa na Papuda é a presidente Dilma, pelos roubos que tem feito na Petrobras, empresa que os brasileiros aprenderam a admirar”, afirmou.

Não satisfeito, Paulinho lembrou do episódio de racismo sofrido pelo jogador Daniel Alves e pediu uma “banana simbólica” para a presidenta da República. “Vocês viram aquela banana para o Daniel Alves? Vocês têm coragem de mandar uma banana para a Dilma? Toma aqui, presidente!”, pediu, sendo atendido pela plateia.

O parlamentar esteve na maior parte do tempo ao lado do presidenciável tucano Aécio Neves, sendo que o pessebista Eduardo Campos chegou ao evento com duas horas de atraso, não participando do ato. Paulinho criticou a ausência da presidenta Dilma. “Quem tem coragem mostra a cara e quem não tem manda representantes”, disse, referindo-se ao secretário-geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, e ao ministro do Trabalho, Manoel Dias.

Gilberto Carvalho reagiu às declarações do deputado. “Esse tipo de reação dele [Paulinho] eu não levo a sério. Não podemos levar a sério esse tipo de declaração feita nesse momento. Já estou acostumado. Eu não vou fazer guerra nenhuma. Esse tipo de manifestação não é ouvido pela gente. O que eu ouço é a fala séria do João, do Miguel, do Juruna, de todo o pessoal da Força.”

Com agências. Foto: Divulgação/Força Sindical



No artigo

2 comments

  1. Anônimo Responder

    Politicagem é politicagem. Apontar dedos é o que se faz num ano de eleições e nervos à flor da pele, porém apontar acertos da oposição é tarefa que aparenta ser impossível a qualquer político. Não sou petista nem tucano, mas a desonestidade política desse ser também não tem partido, apenas alvos.

  2. Iara Glausiusz Responder

    Que moral ele tem pra falar de qualquer pessoa.
    Ladrão, aproveitador.


x