Maranhão: Presídio de Pedrinhas tem mais um preso morto

Delegacia de Homicídios investiga morte de Jean Araújo Pereira, de 19 anos, no Maranhão, estado que enfrenta crise no sistema prisional; Complexo de Pedrinhas enfrenta superlotação e é palco de rebeliões desde...

336 2

Delegacia de Homicídios investiga morte de Jean Araújo Pereira, de 19 anos, no Maranhão, estado que enfrenta crise no sistema prisional; Complexo de Pedrinhas enfrenta superlotação e é palco de rebeliões desde outubro de 2013

Leia abaixo matéria de Andreia Verdélio, da Agência Brasil

(Foto: Arquivo/Ministério Público do Maranhão)
Oito detentos já foram mortos neste ano no presídio de Pedrinhas (Foto: Arquivo/Ministério Público do Maranhão)

A Secretaria de Estado de Justiça e Administração Penitenciária (Sejap) informou hoje (19) que a Delegacia de Homicídios está investigando as circunstâncias da morte do detento Jean Araújo Pereira, de 19 anos, encontrado morto na cela 9 da Central de Custódia de Presos de Justiça (CCPJ) de Pedrinhas, em São Luís (MA).

O corpo do detento foi encontrado na tarde de ontem (18) durante vistoria por agentes penitenciários. Técnicos do Instituto de Criminalística e do Instituto Médico-Legal realizaram perícia, mas as circunstâncias da morte ainda não foram divulgadas. Jean Araújo Pereira cumpria pena por homicídio.

O sistema prisional do Maranhão enfrenta uma crise que se agravou a partir de outubro de 2013, quando nove presos morreram durante uma rebelião. Além disso, foi do interior do complexo penitenciário que partiram as ordens para que bandidos atacassem delegacias da região metropolitana da capital e ateassem fogo a ônibus, no início de janeiro deste ano. Em um dos cinco ônibus incendiados estava a menina Ana Clara Santos Souza, de 6 anos, que teve queimaduras em 95% do corpo e morreu dois dias depois.

Com a morte registrada ontem, já são oito detentos mortos no presídio este ano. Segundo dados do Conselho Nacional de Justiça, ao menos 60 detentos morreram dentro da unidade em 2013.

O Complexo Penitenciário de Pedrinhas está superlotado e é palco de rebeliões e violenta disputa entre facções criminosas. Quatorze presos já fugiram do local, desde o fim de março.

 



No artigo

2 comments

  1. Carmem Baia Responder

    Menos um, ele matou gente inocente, merecia a mesma coisa.

  2. Elias Responder

    Tadinho dele, eles mataram hoje no Brasil cerca de 200 pessoas, e essas não possuem nenhum texto de esquerda os defendendo.


x