Se a direita ganhar

Engana-se quem imagina apenas uma reprise do que foram os tempos de FHC.  Para entender o que pode vir por aí, é melhor pensar no Tea Party estadunidense, no uribismo colombiano, na direita ucraniana...

936 28

Engana-se quem imagina apenas uma reprise do que foram os tempos de FHC.  Para entender o que pode vir por aí, é melhor pensar no Tea Party estadunidense, no uribismo colombiano, na direita ucraniana

Por Igor Fuser, no Brasil de Fato

 

O Brasil enfrenta, nas eleições presidenciais deste ano, o risco de um brutal retrocesso político, com o eventual retorno das forças de direita – representadas, principalmente, pelo candidato tucano Aécio Neves – ao governo federal. Nesse caso, teremos uma guinada rumo a um país mais desigual, mais autoritário, mais conservador. Engana-se quem imagina apenas uma reprise do que foram os tempos de FHC.  Para entender o que pode vir por aí, é melhor pensar no Tea Party estadunidense, no uribismo colombiano, na direita ucraniana.

Limitando este exercício de imaginação apenas à política externa, é aposta certa supor que uma das primeiras medidas de um governo Aécio seria a expulsão dos profissionais cubanos engajados no programa Mais Médicos. Também imediata seria a adesão do Brasil a um acordo do Mercosul com a União Europeia nos termos da finada Alca, cujas “viúvas” – também conhecidas como o Partido dos Diplomatas Aposentados – recuperarão o comando do Itamaraty, ávidas por agradar aos seus verdadeiros senhores, as elites e o governo dos Estados Unidos.

O Mercosul, se sobreviver, voltará a ser apenas um campo comercial, destituído do projeto político de uma integração mais profunda. A Unasul e a CELAC, esvaziadas, se tornarão, sem a liderança do Brasil, siglas irrelevantes, enquanto a moribunda OEA – o Ministério das Colônias, na célebre definição de Fidel Castro – ganhará um novo sopro de vida. Quanto ao Brics, articulação central no combate ao domínio unipolar do planeta pelo império estadunidense, sofrerá um baque, com a deserção (oficializada ou não) do seu “B” inicial.

Golpistas latino-americanos, já assanhados após os triunfos em Honduras e no Paraguai (ações antidemocráticas combatidas com firmeza por Lula e Dilma), ganharão espaço, certos de contar com a omissão ou até o apoio de um governo brasileiro alinhado com os ditames de Washington. Que o diga a performática Maria Corina Machado, líder da atual campanha de desestabilização na Venezuela, recebida com fanfarra pelo governador Geraldo Alckmin e por uma penca de jornalistas tucanos, no programa Roda Viva.

Governos e movimentos sociais progressistas, na América Latina e no mundo, perderão um ponto de apoio; as forças das trevas, como o lobby sionista internacional, ganharão um aliado incondicional em Brasília. Isso é apenas uma parte do que está em jogo nas eleições brasileiras. Espantoso é que, no campo da esquerda, tantos pareçam não se dar conta.



No artigo

28 comments

  1. Caio Responder

    Sejamos sinceros, que diferença realmente faz uma política externa mais alinhada aos EUA se internamente o neoliberalismo vai muito bem, obrigado?!

    A direita já ganhou, e é por isso que continuará pertencendo à base aliada da presidência e financiando com milhões de reais a reeleição de Dilma Roussef.

    Não se enganem pelegos, não há um governo de esquerda.

    A única saída para o progressismo é a política não institucional.

    1. Igor Responder

      É. Tem outro nome, que não conservador, um governo que multiplica as forças dos capitalistas e diminui os direitos dos trabalhadores?

    2. Marcio Responder

      Exato. Hoje temos canhotos que assinam com a mão direita. Sem falar dos “evoluídos” ambidestros, que permeiam por todos os meios.

  2. Ciro Responder

    “no campo da esquerda, tantos pareçam não se dar conta”?? Bem, no campo da esquerda, imagino eu, não há esse medo da volta da direita por que a direita está no poder, é a volta dos que não foram?

  3. Willian da Silva Responder

    Não acho o Aécio um bom político, mas…
    psicologia do medo? é sério isso? um pé a traz com o fórum, teus leitores não são tão ignorantes assim.

  4. ForaDilma Responder

    Me poupe

  5. Elias Responder

    O mundo é capitalista, nada melhor que se alinhar ao bloco econômico que mais cresce, os escravos Cubanos não serão liberados pois de fato o Brasil precisa de médicos, mas soluções como médicos federais serão criadas para realmente solucionar o problema.

  6. Felipe Responder

    É fundamental acreditar na transformação para ser progressista. O ceticismo, hoje, só leva à reprodução da lógica hegemônica… Muitas políticas neoliberais adotadas por governos de esquerda de fato vão no sentido da reprodução da lógica do capitalismo, entretanto, não dá para se negar que vivemos num mundo regido por uma geopolítica que ordena o funcionamento de quase a totalidade dos territórios mundiais… Resta ao Brasil escolher um caminho: O de enfrentamento e resistência ao imperialismo estadunidense-europeu, através da articulação com blocos de países orientados no sentido da ruptura com essa relação hegemônica imposta pelos países centrais (europa ocidental e EUA), ou retroceder no sentido de voltar a ser uma província colonial fadada a viver sob o cabresto dos ex(atuais) colonizadores…

  7. alessandro Responder

    EUA MALIGNOS KKKKKKKKKK

    1. Cleusa Responder

      EUA são imperialistas e se acham donos do planeta. Tanto que invadiram e invadem diversos países com o intuito de roubar suas riquezas e massacrar as culturas locais. Cara, vá estudar um pouco, antes de escrever papo de acéfalo!

      1. Hockgol Responder

        E os nossos políticos são o que? Há diferença entre o que os americanos fazem e o que os nossos políticos estão fazendo?

  8. visitante Responder

    É só uma re publicação de uma página mantida pelo governo com o dinheiro de todos, eles são patéticos assim mesmo.

  9. Bárbara Responder

    Quanta baboseira!!!

  10. Maísa paranhos Responder

    Excelente este artigo. Nos dá perfeitamente o nexo entre os interesses imperialistas dos EUA e sua atuação no mundo, como são expressos, e a nossa realidade, brasileira atual, bem como a da América Latina. Parabéns a este Portal pela publicação.

  11. Guto Responder

    Mais autoritário, conservador e desigual? Impossível. Vai ficar a mesma coisa. Não muda nada escolher entre o bonapartismo autoritário lulista e o neoliberalismo conservador tucano. São suas faces da mesma moeda. São a direita, com fantasias diferentes, só isso.

  12. Ricardo Responder

    As afirmações desta publicação são baseadas em quais fatos e argumentos?
    É engraçado ver como a esquerda radical acusa o governo atual de ser de direita e os liberais acusam o governo de sempre ter sido de esquerda. Ao que parece ninguém está satisfeito.

    Que tal menos FUD, menos mentes bitoladas e mais diálogo? No fundo, todos nós queremos as mesmas coisas.

  13. Ricardo Coimbra Responder

    “mas soluções como médicos federais serão criadas para realmente solucionar o problema.” -> Foi dada a chance pra médicos brasileiros participarem do programa Mais Médicos. Depois que as vagas ofertadas não foram preenchidas por brasileiros é que trouxeram os médicos de fora

  14. Cleusa Responder

    Quantos coxinhas escrevendo “lixo” por aqui! O Lula ou Dilma antidemocráticos? Se assim fossem vocês não poderiam emitir tantas opiniões mentirosas e burras neste espaço. Acho que a Revista deveria fazer como o Paulo Henrique Amorim. Quando os comentários são de baixa qualidade, como os que vi por aqui – deveriam ser eliminados. Viram como vocês coxinhas tem amplo espaço???? Eu não daria esse espaço para vocês!!! Vão de retro!!!!!! Vida Dilma 2014 e Lula 2018!!!!!!

  15. Esmagador de comunas Responder

    Vão embora pra Cuba, desgraçados. Aproveitem e passem na papuda para levar os heróis de vcs juntos.

  16. PAULO ROBERT Responder

    A DIREITA SE MOSTRA VERDADEIRAMENTE DIREITA, QUANDO DIZ QUE NÃO HÁ DIREITA E NEM ESQUERDA NO BRASIL. A LUTA DE CLASSES ESTÁ AÍ… E VOTAR NOS TUCANOS É DAR UM SALTO QUALITATIVO PARA O SÉCULO XIX.

  17. Thiago Guedes Responder

    hahaha…. quanto é que vocês, pelegos da Fórum, estão ganhando para defender tanto a falsa esquerda petista?

    Não tem como o Brasil dar uma virada à direita porque ele JÁ ESTÁ à direita.

    Nós já temos um governo neodesenvolvimentista que mata quilombola e indígena pra construir hidrelétrica e expandir o agronegócio; nós já temos um governo que atrela desenvolvimento a aumento do consumo; nós já temos um governo que manda a Guarda Nacional e o exército rasgarem direitos humanos e ocuparem os espaços periféricos das grandes cidades; nós já temos uma política econômica de “austeridade” que corta reiteradamente gastos na saúde, mantem os lucros dos bancos na casa dos 60 bilhões anuais, faz “ppp’s” espúrias que colocam na mão da elite empresarial brasileira os serviços públicos; nós já temos um governo de “coalisão” que para manter a “governabilidade” faz toda sorte de aliança com as bandas mais podres politicamente do país.

    A Fórum de alguns tempos pra cá ficou simplesmente nojenta e repudiável. Vocês não passam de mais um setor de mídia conservadora com ares de mídia de esquerda. Dignos de pena. E olha que já fui assinante desse lixo.

    1. Cleusa Responder

      Quer dizer que para você tudo é uma questão de ganhar ou perder? Quanta falta de cultura e conhecimentos históricos para cuspir nesta estrutura! Cara, dinheiro não compra a dignidade de quem deseja um Brasil livre e soberano. Mesmo que alguns queiram igualar o Partido dos Trabalhadores com o PSDB – possuem um a pobreza mental de fazer dó. Existem muitas diferenças. Se você quer realmente contribuir para um futuro melhor – aprenda a pensar!!! É claro que o governo não é uma perfeição, pois ninguém o é. Mas, querer igualar o Aécio (Arrocho Neves) do PSDB com os governos Dilma e Lula – é pura má fé e ignorância!!!!! Quantos avanços ocorreram nestes governos. Ao contrário do PSDB que seu único trabalho é destruir, proibir e amealhar para si os recursos que são de todos.

  18. Diogo Bordeguini Responder

    Que elite tem medo de que a Dilma seja reeleita? Que elite apóia Aécio? A mesma elite que cura seu câncer no Sírio Libanês? Elites…acordem…a cúpula do PT está nadando em dinheiro e não é elite??? Tenha paciência…

  19. Cleusa Responder

    Considero que o espaço oferecido, generosamente, por esta revista, não é bem aproveitado pelas pessoas que poderiam, em vez de se acusarem, trocar ideias, e assim poderem interagir em benefício do Brasil. Faço uma mea culpa,pois também, entrei nas provocações de alguns “trolls” que só querem barbarizar, nada mais. Eu fico surpresa com alguns que se dizem de esquerda que tem um ódio terrível contra o Partido dos Trabalhadores. Isso me faz lembrar sobre uma análise que li sobre o processo que levou à instalação da ditadura civil-militar no Brasil, que não foi somente com a participação do grupo Tradição, Família e Propriedade (TFP), EUA, entre outros, mas também contou com a ajuda das esquerdas radicais para ocorrer o golpe. Pois, alegavam coisas horríveis contra o Jango. Acontece que se a história fosse outra, o Jango poderia ter implantado as reformas de base que o Brasil clamava e ainda clama e nossa situação já estaria num outro patamar de evolução econômica e social.
    Considero uma tremenda falta de respeito e de civilidade, essa conversa de surdos e autistas. É preciso ter um pouco de humildade para acordar antes que seja tarde!!! Escrevo isso para aqueles que ainda não se transformaram em “zumbis”.

  20. gribou Responder

    Não lembro a última vez que ví tanta besteira junta…

    E o IG patrocinando é uma vergonha.

  21. Marcio Dreux Responder

    A Direita invadiu a Forum! Não entender a enorme diferença entre PT e PSDB não pode ser apenas miopia de quem se imagina de esquerda…

  22. Zeca Responder

    Acho que o medo declarado da volta ao poder por forças ditas de direita, se justifica em razão das forças ditas de esquerda ao assumirem o poder não fizeram o dever de casa que a classe trabalhadora esperava e se uniram ao que há de mais atrasado e asqueroso na política e na economia brasileira.

  23. Zeca Responder

    O medo esternado é uma mea culpa por não se ter feito nestes anos todos o que o povo trabalhador deste pais queria: romper com o que de mais sordido na política e na economia brasileira.


x