O legado Snowden

O “Tem Boi na Linha” e o “ExposeFacts” são duas novidades que aparecem no combate à vigilância e proteção da privacidade na era da internet Por Vinicius Gomes...

335 0

O “Tem Boi na Linha” e o “ExposeFacts” são duas novidades que aparecem no combate à vigilância e proteção da privacidade na era da internet

Por Vinicius Gomes

As revelações de Edward Snowden a respeito do programa de vigilância em massa da agência norte-americana NSA foram as que tiveram maiores reverberações políticas, em escala global, de que se tem notícia. A simples ideia de que os EUA grampearam os telefones pessoais de dois chefes de Estado – até onde se sabe -, como a chanceler alemã Angela Merkel e a presidenta brasileira Dilma Roussef, fez todos se questionarem algo como: “Se eles chegaram a espionar pessoas desse nível, o que será do resto de nós”.

Dois novos sítios apareceram esta semana na rede buscando o combate a esse tipo de vigilância e a proteção da privacidade nas comunicações e divulgação de documentos com teor relevante para toda a sociedade.

O sítio brasileiro “Tem Boi na Linha” serve como um guia para todos aqueles indivíduos e organizações que querem o máximo de privacidade na rede. Como o próprio site diz: “Na era analógica, espionar as comunicações de um indivíduo ou grupo e apreender documentos sensíveis eram ações bastante comuns […] A cada dia fica mais evidente que grande parte das atividades na internet está sujeita à vigilância, e que há, quase sempre, bois na linha: algo ou alguém coletando seus dados privados, espiando suas conversas e e-mails, ou registrando os sites acessados por você. Esses bois não são inofensivos, e podem inviabilizar as ações de um grupo, expor os ativistas, e favorecer a repressão”.

Já o norte-ameircano ExposeFacts é uma espécie de “novo WikiLeaks” e, como o próprio lema diz, “visa jogar luz em atividades secretas que são relevantes para os direitos humanos, má conduta das empresas, o meio ambiente, liberdades civis e a guerra”.

Não à toda, a banca de diretores é formada quase que por uma espécie de “velha guarda” do whistleblowing. Dois deles, William Binney e J. Kirk Wiebe, foram, inclusive, oficiais da NSA que revelaram, muito antes de Snowden, a formação da máquina de vigilância do governo norte-americano. A outra co-fundadora é Marsha Coleman-Adebayo, que, como uma analista política da agência de proteção ambiental dos EUA, veio a público quando o governo norte-americano ignorou suas denúncias sobre uma empresa dos EUA estar destruindo o meio ambiente e a saúde de pessoas em uma mina da vanádio na África do Sul. E para completar, um dos mais clássicos whistleblower norte-americano, Daniel Ellsberg, famoso por revelar os “Documentos do Pentágono”, que forçaram o fim da guerra no Vietnã, ao mostrar como o governo norte-americano já sabia havia anos que não teria como sair vitorioso do conflito.

O site utiliza um sistema de envio de informações chamado “SecureDrop” e, junto da Fundação de Liberdade da Imprensa, utiliza, em suas próprias palavras, “a mais avançada tecnologia visando manter anônimos qualquer um que envie seus documentos para o site ExposeFacts”.



No artigo

x